• história-pdf-breve-português-como-era-feito-antigamente-no-brasil-livro-linha-tempo-da-origem-nome
    vinhos

    História do Vinho, Processos de Produção e Interferência nas Culturas Mundiais

    Resenha sobre a história do vinho e como ele se difundiu na humanidade através do tempo

    Muitos não sabem, mas o vinho é uma das mais antigas bebidas consumidas pela humanidade. Na Antiguidade Clássica era a bebida preferida do Deus grego Dionísio, no Antigo Testamento, já aparecia nos registros de Noé e graças ao catolicismo esta bebida chegou até as Américas.

    Os grandes impulsionadores da cultura e desenvolvimento do vinho foram os egípcios, gregos e os romanos.

    Em nosso artigo de hoje, vamos trazer até você a história desta deliciosa e apaixonante bebida. Acompanhe conosco!

    Quais foram os primeiros vinhos?

    Para falar a verdade até hoje o marco zero do vinho no mundo é incerto. Escavações antigas já encontraram rastros desta bebida em meados de 8.000 A.C..

    De acordo com os registros arqueológicos as sementes mais antigas de videiras cultivadas pelo homem datam de 8.500 a 6.500 anos A.C., nos atuais territórios da Turquia, Armênia e Geórgia Soviética.

    Já o vinho, estima-se que tenha surgido a partir de 6.000 A.C., período no qual o homem deixa de ser nômade e começa a formar as primeiras comunidades, se dedicando a domesticação de animais e ao cultivo de grãos e frutas.

    Fábula persa

    Existe uma fábula persa que fala sobre a origem de vinho. De acordo com esta lenda, na corte do rei Jamshid, as uvas eram guardadas em jarras para serem comidas fora da estação.

    Uma destas jarras, foi descartada pois as uvas estavam espumando e o cheiro exalado por elas lhes parecia estranho. Para eles, isto poderia ser venenoso.

    Foi então que uma das donzelas que perdeu o carinho e atenção de seu rei tentou o suicídio consumindo o conteúdo desta jarra. Porém, ao invés de morrer, ela se sentiu muito alegre e teve uma noite de sono reparadora.

    Ao acordar, ela foi até o seu rei e contou o ocorrido, que ficou surpreso com a descoberta e ordenou a seus criados que fizessem uma grande quantidade desta bebida para que todos pudessem consumi-la.

    E assim foi feito, todos consumiram, ficaram eufóricos e felizes. Deste modo, os persas descobriram que uso de uva fermentado não era veneno, mas sim uma bebida poderosa.

    Como era o vinho no Antigo Egito?

    O Egito, considerado o centro das civilizações localizadas no Vale do Nilo no mundo Antigo, foi um dos responsáveis pela expansão do vinho nesta época.

    Os egípcios foram, inclusive, os primeiros a descrever o processo de produção de vinho etapa por etapa.

    Nos hieróglifos aparecem registros de como era preparado o vinho naquele tempo. Veja a seguir como:

    • Plantavam as parreiras sob treliças em locais com sombra e devida proteção do sol;
    • Após serem colhidas as uvas eram pisoteadas;
    • Depois disso, extraiam mais suco através da utilização de uma lona de linho, que era devidamente esticada em uma moldura de madeira, seria uma espécie de peneira bem rudimentar;
    • Em alguns casos, as uvas eram ainda prensadas com o auxílio de pedras. Esta opção não era muito utilizada pois o vinho obtido sempre ficava com um sabor residual amargo, devido ao esmagamento das sementes e caules da uva junto com a própria fruta;
    • A bebida então obtida a partir destas três prensagens, era armazenada separadamente ou então misturada para dar origem a diferentes tipos de vinho.

    Processo de fermentação

    Uma vez prensadas, as uvas seguiam para a etapa de fermentação. Este é um processo que ocorre de forma espontânea, em especial em sucos de frutas ricas em açúcar. Neste caso, a levedura (fermento), converte o açúcar em álcool.

    Os egípcios tinham certo domínio sobre o processo de fermentação, inclusive, o pão fermentado também teve sua origem no Egito Antigo.

    O grande destaque dos egípcios no processo de fabricação do vinho é que eles faziam mais do que deixar o suco de uva fermentar, eles já manejavam este processo, ou seja, tinham a noção de que para produção de vinhos mais leves, bastava poucas semanas de fermentação, enquanto para obter vinhos de maiores teores alcoólicos era necessário deixar fermentar mais tempo.

    Eles, já sabiam inclusive, que ao se aquecer a mistura, o processo de fermentação era também acelerado. As técnicas por eles utilizadas, serviram de base para os métodos utilizados ainda hoje.

    O produto da fermentação era armazenado e selados com barro em grandes vasos contendo duas alças cada, denominados ânforas.

    Além de fazer vinhos a base de uvas, os egípcios produziam também a base de romãs, tâmaras e figos, neste caso, eles tinham a noção de que precisavam adicionar uma pequena quantia de açúcar para que a fermentação ocorresse de forma satisfatória.

    Vale ressaltar que o vinho, bebida que exige um certo trabalho de produção, era reservada apenas para ser consumida pelos faraós e seus familiares. Além disso, era costume dos faraós deixar algumas garrafas em seus sarcófagos para que eles pudessem continuar brindando esta deliciosa bebida após partirem desta vida.

    Curiosidade

    Em 1922, na tumba do faraó Tutankamon foram encontradas 36 ânforas de vinho, e em algumas delas havia a descrição da região em que foi produzido, safra da uva, nome do comerciante e até mesmo a inscrição dizendo “de boa qualidade”.

    Tal fato, só veio confirmar todo o cuidado e dedicação que os egípcios já tinham com o vinho.

    Os vinhos na Grécia, como eram feitos e sua influência na sociedade

    De acordo com os registros históricos, a chegada do vinho na Grécia ocorreu em 3.000 A.C. através de comerciantes fenícios. E ao se depararem com tal bebida, a paixão dos gregos foi imediata.

    Além disso, pode-se dizer que o vinho foi de extrema importância para o desenvolvimento deste país, tanto na área cultural quanto econômica.

    Isto se deve ao fato de que, ao contrário do Egito Antigo, no qual o vinho só podia ser servido aos faraós e seus familiares, na Grécia esta bebida podia ser consumida por todas as classes sociais.

    E os gregos consumiam muito vinho, no mínimo 3 taças, eles afirmavam que a primeira taça era para o corpo, já a segunda taça para a mente e a terceira taça para o amor.

    Na Odisseia escrita por Homero, há relatos da produção de vinho realizada pelos gregos. Evidencia-se também nesta obra a paixão deste povo por esta bebida.

    Atribui-se a Dionísio, conhecido como o Deus grego do vinho (ou Baco, em Roma) a disseminação do cultivo de uva e produção de vinho pela Ásia. Existe, inclusive, uma história mitológica sobre isto.

    Mitologia ou não, o fato é que graças aos gregos, o cultivo de uvas espalhou-se pela Ásia e inclusive, muitas variedades de uvas ainda existentes atualmente no mundo são derivadas das mudas daquela época.

    Outra contribuição significativa dos gregos ao processo de fabricação desta bebida se deve ao envelhecimento do vinho. Na época, eles tinham o costume de forrar as ânforas com o intuito de dar a bebida sabores diferenciados, para tanto faziam uso de resina de madeira.

    Esta técnica de envelhecimento foi aprimorada pelos romanos, que passaram a realizar o processo em barris feitos de carvalho.

    Na Grécia Antiga era comum fazer misturas com vinhos, na verdade, eles quase nunca eram bebidos puros, ao menos um pouco de água era adicionado. Em ocasiões formais especiarias eram adicionadas a bebida com o intuito de lhe conferir melhor sabor e aroma.

    Existem também registros no qual o vinho era utilizado para fins medicinais neste período. Hipócrates, pontuou várias propriedades medicinais desta bebida, que são citadas em textos da história da medicina.

    A partir da Grécia o vinho se espalhou para a França, Itália e toda península Ibérica.

    Como eles chegaram na Roma Antiga?

    O vinho grego chegou em Roma por volta de 1000 A.C., porém não despertou muito o interesse do povo romano. Na época a bebida mais consumida por eles era a cerveja, e o vinho eventualmente produzido era exportado para o povo bárbaro.

    O interesse dos romanos pelo vinho se deu no século I A.C., quando estes saquearam uma cidade destruída na Batalha de Cartago atual Tunísia e se depararam com uma verdadeira biblioteca sobre vinicultura.

    A partir de então, esta bebida passou a ser alvo de interesse e consumo na Roma Antiga. Em todos os lugares que invadiam, os romanos levavam o vinho. Esta era uma forma deles imporem sua cultura e costume aos povos dominados.

    Desde modo, pode-se dizer que o Império Romano levou consigo a produção de vinhos para os demais povos europeus.

    Foram os romanos também os responsáveis pela catalogação e classificação dos diferentes tipos de uva. Eles catalogaram também os principais tipos de doenças e pragas que afetavam suas parreiras.

    Foram eles que descobriram que o armazenamento do vinho em barris de carvalho trazia melhoras em seu sabor. O povo romano também foi o primeiro a armazenar a bebida em garrafas de vidro.

    O tipo de vinho preferido por eles, era o doce. Assim, para produzir o vinho de sua predileção, os romanos colhiam as uvas o mais maduro possíveis, e quando não era possível, as colhiam ainda imaturas e as deixavam no sol para secar e assim concentrar o seu teor de açúcar.

    Esta técnica de produção de vinhos é realizada até hoje por alguns vinicultores e é denominada passificação da uva.
    Outra forma utilizada pelos romanos para deixar o vinho mais doce e forte, era ferver a bebida, concentrando assim a quantidade de açúcar, tal procedimento ficou conhecido como “Defrutum”.

    Em outros casos era adicionado a bebida uma pequena quantidade de mel, dando origem ao chamado “Mulsum”.

    Outra técnica desenvolvida por eles para deixar o vinho mais doce era o de preparar um mosto permanente “semper mustum”. Neste caso, a fermentação era interrompida através da submersão da ânfora em água fria, conservando assim parte do açúcar. Este procedimento é o precursor da obtenção do “Süssreserve” das vinícolas alemãs.

    França e Idade Média, como os vinhos se desenvolveram?

    Com o declínio do Império Romano iniciou-se a Era Medieval, nesta época contudo, o vinho já era conhecido em todo o continente.

    Nesta época, esta deliciosa bebida era servida nos banquetes, primeiramente por seu sabor e segundo, porque a qualidade da água da época era bem duvidosa, então ao se fermentar o suco, realizava-se uma espécie de descontaminação.

    Pode-se dizer, então, que na Idade Média, o consumo de vinho e da cerveja, que também era produzida, não era luxo, mas sim uma necessidade de sobrevivência.

    Foi na Idade Média que a França deu início a sua fama de produtora de vinhos de qualidade.

    Na época de Carlos Magno, foram promulgadas leis de regulamentação da produção desta bebida, a fim de padronizar a produção em todo o seu reinado.

    Além disso, no período medieval, o catolicismo era predominante e o vinho, utilizado durante a comunhão nas missas, por este motivo, a produção e consumo de vinho nesta época teve um significativo aumento.

    Fatores favoráveis ao aumento da produção do vinho na França no período medieval

    • A sede da Igreja Católica foi transferida para Avignon, cidade francesa localizada no sul do país;
    • A região de Bordeaux passa a ser a principal exportadora de vinho para a Inglaterra devido à união do rei Henrique II da Inglaterra com a viúva do rei da França;
    • No século XII, na região da Borgonha, houve o estabelecimento dos monges cistercienses que trouxeram consigo as primeiras mudas das uvas da variedade Chardonnay. Esta região continua sendo o centro mundial de produção de vinho branco feito a partir desta uva.

    Pouco a pouco o vinho foi ganhando seu espaço nesta época, com isso foram surgindo novas receitas e preparações. Os espumantes, vinhos brancos e rosés surgiram neste período.

    A utilização do vinho neste período foi além do cunho religioso e gastronômico. A ele foram atribuídas propriedades curativas, fazendo assim com que ele fosse utilizado também na área médica.

    Já no final da Idade Média, as prensas para as uvas tornaram-se popular, pois além de extrair o vinho com mais qualidade, também trazia segurança às pessoas, visto que o antigo método de produção, pisa a pé, estava trazendo problemas de saúde aos trabalhadores das vinícolas.

    Estes, ao realizar a pisa a pé das uvas acabavam tendo contato com o dióxido de carbono produzido durante a fermentação, levando-os ao sufocamento.

    Como os vinhos se espalharam no resto do mundo e no Brasil?

    O primeiro país americano que teve contado com uvas viníferas foi o México, no século XVI e tudo isto graças aos missionários católicos que precisavam de vinho para a eucaristia.

    A produção mexicana de vinho foi muito bem-sucedida, sobretudo ao clima do país propício a produção de uvas.

    Com o passar do tempo, a colônia espanhola tornou-se uma forte concorrente ao fornecimento de vinho para o mercado europeu. Isto obrigou ao rei espanhol barrar a exportação do México para a Europa para não comprometer a balança comercial.

    Surgimento das plantas híbridas

    As plantas híbridas surgiram no final do século XIX, quando as folhas das parreiras francesas foram atacadas pela praga Filoxera.

    As plantas americanas eram mais resistentes a esta praga, então mudas desta espécie foram importadas e cultivadas juntamente com as francesas, garantindo assim produção de uva suficiente para atender a demanda do vinho da época.

    A partir de então, outras espécies de uvas híbridas surgiram e esta prática é utilizada até hoje pelos vinicultores.

    Vinho no Continente Africano

    A produção de vinho no continente africano teve início com a chegada dos colonizadores holandeses na África do Sul, no século XVI. Durante muito tempo, grande parte de toda a bebida produzida neste país era exportada para o Reino Unido.

    Porém depois de um acordo firmado entre a França e o Reino Unido, esta exportação parou de ocorrer até o final do apartheid.

    Na Austrália o vinho chegou a partir de mudas africanas trazidas por comerciantes. Porém a produção e consumo desta bebida neste país é ainda pequena quando comparada aos demais países. Ainda assim a Austrália vem ganhando mercado com a produção de ótimos vinhos.

    Vinho no Brasil

    Assim como no México, aqui no Brasil, o vinho chegou com o catolicismo. Em 1532, chegam até o nosso país as primeiras mudas de videiras através da expedição colonizadora de Martim Afonso de Souza.

    É atribuído a Brás Cubas, fundador da cidade de Santos, a façanha de ser o primeiro a cultivar vinhas em terras brasileiras.

    Em 1626, chegam as primeiras videiras no Rio Grande do Sul, trazida por Roque Gonzáles, um padre jesuíta.

    Ele plantou algumas videiras de origem europeia, porém, estas não se adaptaram bem em nosso solo, fazendo assim com que a viticultura não se disseminasse em nosso país neste primeiro momento.

    Em 1742, a viticultura no sul do Brasil é retomada com a chegada de sessenta casais madeirenses e açorianos.

    Porém, foi a partir de 1875 que ocorre o crescimento da produção de vinho no Rio Grande do Sul, devido à chegada de imigrantes italianos, que além de terem conhecimento sobre o processo produtivo, tinham também o hábito de consumir vinhos.

    Outro grande impulso da viticultura no Brasil foi a chegada das vinícolas multinacionais na Serra Gaúcha, a partir da década de 70.

    Estas empresas trouxeram equipamentos e tecnologias que acabaram por tornar o vinho produzido no Brasil, mesmo diante às dificuldades, como sendo um vinho de qualidade e respeitado internacionalmente.

    Atualmente, nosso país continua mantendo o respeito pela qualidade de seus vinhos produzidos e comercializados. É também um mercado que vem crescendo a cada ano e fabricando vinhos premiados mundialmente!

    Considerações finais

    Viram só quanta coisa sobre o vinho trouxemos até você? Diga a verdade, você tinha o conhecimento sobre tudo isso?

    Após a leitura desta bela história sobre o vinho nada melhor do que degustar um de sua preferência, não é mesmo?

    Sendo assim, desejamos um brinde a essa bebida que acompanha a civilização humana a tanto tempo!

    Referências:

    https://vinepair.com/wine-colonized-world-wine-history/

    https://winefolly.com/lifestyle/a-brief-illustrated-history-of-wine/

    https://www.thoughtco.com/wine-origins-archaeology-and-history-173240

    https://lazenne.com/blogs/lazenneblog/a-brief-history-of-wine

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • para-seco-suave-acompanhar-de-camarão-caprese-que-combina-de-frango-seco-para-barato-cabernet-sauvignon-combina
    Gastronomia

    Aprenda a Fazer Ótimos 5 Risotos com Vinhos Brancos ou Tintos

    Como surgiu o risoto?

    A palavra significa “arrozinho” e nasceu no norte da Itália, precisamente na região da Lombardia.

    Sua origem vem de longa data, do século XI para maior exatidão, quando os sarracenos – como eram chamados pelos cristãos, os árabes e muçulmanos dessa época – trouxeram para essa localidade o grão diferenciado que é utilizado no risoto.

    Em 1574, nascia a receita original numa festa de casamento.

    De acordo com historiadores, o prato surgiu de maneira acidental na festa que o artista Valerius de Flanders ofereceu à sua filha pelo seu casamento.

    Flanders, um reconhecido artista responsável pelos vitrais da Catedral de Milão, era também bastante famoso na localidade por seus dotes culinários e deixou cair uma boa quantidade de açafrão na panela onde cozinhava o arroz.

    Mesmo assim, esse arroz “acidental” foi servido e bastante elogiado após o evento. Boato, invencionice popular ou verdade, essa “história” carrega dentro dela mesmo várias outras mini versões, oficiais ou não.

    E assim, cercado de lendas, surgiu o Risoto alla Milanese (risoto a milanesa)

    O que é e como fazer um bom risoto?

    Aparentemente um prato simples, onde o arroz é mantido constantemente hidratado até que chegue ao ponto “al dente”.

    O risoto também é ricamente incrementado no quesito condimentos e especiarias como orégano, queijo parmesão, açafrão e funghi costumam estar presentes em suas receitas.

    Esse é um prato que permite a criatividade em todas as etapas da sua elaboração.

    O arroz indicado para a preparação do risoto é o arroz do tipo “arbóreo”, cujos grãos quando cozidos apresentam uma textura macia e cremosa. Essa característica faz com que seja um ingrediente de alta versatilidade, com infinitas possibilidades de combinação com vários outros ingredientes.

    A cremosidade é um traço essencial do risoto e seu segredo está na liberação do amido no momento do cozimento: a amilopectina.

    Para isso, é muito importante prestar atenção na rapidez dessa etapa do processo. Deve-se também servi-lo assim que fique pronto: esse é um outro ponto – chave para obter a peculiar pastosidade.

    Como todo o processo é bastante rápido, é importante estar atento para evitar que o risoto queime. Para isso, deve-se mexer sempre. De preferência com uma colher de pau, para evitar que os grãos macios se quebrem.

    Basicamente, a cebola é refogada no azeite ou na manteiga e, a seguir, despeja-se o arroz, mantendo assim por 2 ou 3 minutos.

    Após isso, é o momento de adicionar um dos elementos básicos do risoto, o qual vai dar um toque todo especial à receita: caldo de carne, ave ou peixe, o qual pode ser industrializado ou preparado em casa.

    As receitas aqui apresentadas têm ingredientes simples, como queijo parmesão, verduras, vinhos tinto ou branco, fruta seca, cubos de caldos de carne ou frango, além de, é claro, o indispensável arroz arbóreo.

    São também receitas “Gluten Off”, rápidas e fáceis de preparar.

    Para acompanhar, a bebida mundialmente recomendada pela maioria dos Chef é o vinho rosé.

    1 – Risoto ao vinho tinto

    INGREDIENTES:

    • 375 ml de um bom vinho tinto;
    • 400 g de arroz;
    • 250 ml de água;
    • 20 g de queijo parmesão ralado;
    • 1 cebola cortada em pequenos pedaços;
    • ¾ de xícara (chá) de manteiga;
    • Sal a gosto.

    MODO DE PREPARO:

    • 1 – Refogar a cebola na metade da quantidade de manteiga, colocar o arroz e deixar fritar por 2 minutos.
    • 2 – Colocar o vinho e deixar cozinhar em fogo alto até que o mesmo tenha evaporado totalmente. Não mexer.
    • 3 – Acrescentar ao arroz a água, o sal, o parmesão e manter o cozimento em fogo brando. Caso seja necessário, pode-se adicionar mais água.
    • 4 – Desligar o fogo e manter a panela fechada por 5 minutos. Em seguida, acrescentar a manteiga restante, misturar bem e servir.

      2 – Risoto de tomate ao vinho tinto

      INGREDIENTES:

      • 3,5 colheres (sopa) de azeite;
      • 1,5 cebola cortada em pedaços;
      • meio quilo de arroz (arbóreo);
      • meio copo de um bom vinho tinto;
      • meio quilo de tomates sem pele;
      • 3,5 colheres (sopa) de manteiga;
      • 5 copos de caldo de carne;
      • 1 xícara de queijo parmesão ralado;
      • 1 xícara de queijo parmesão em fatias finas.

      MODO DE PREPARO

      • 1 – Frite uma cebola no azeite até dourar.
      • 2 – Junte o arroz e refogue por alguns minutos.
      • 3 – Adicione o vinho à panela e deixe cozinhar em fogo alto até que ele evapore.
      • 4 – Amasse delicadamente os tomates, deixando-os em grandes pedaços e junte ao arroz.
      • 5 – Pouco a pouco, vá adicionando o caldo fervente de carne e misture sem parar. Acrescente sempre mais caldo enquanto o arroz for secando.
      • 6 – No final do cozimento, retire do fogo, adicione a manteiga, o queijo ralado e o sal.

      Para um visual charmoso, coloque o risoto no centro de um prato e envolva-o com as fatias finas de queijo e pequenos ramos de ervas frescas.

      3 – Risoto de parmesão ao vinho branco

      INGREDIENTES:

      • 1 tablete de caldo sabor galinha;
      • 15 ml de azeite;
      • 3 colheres (sopa) de cebola cortadas em pedaços;
      • 4 colheres (sopa) de arroz próprio para risoto;
      • ¼ xícara (chá) de vinho branco do tipo seco;
      • 60 g de manteiga;
      • 1 colher (sopa) cheia de queijo parmesão ralado;
      • Sal e pimenta a gosto.

      MODO DE PREPARO:

      • 1 – Refogue até dourar a cebola em 1 colher (sopa) de azeite.
      • 2 – Adicione o arroz e deixe fritar por cerca de 3 minutos.
      • 3 – Junte o vinho branco e aguarde que o arroz absorva todo o líquido.
      • 4 – Dissolva o tablete do caldo de galinha em 600 ml de água, mantendo a fervura.
      • 5 – Coloque uma concha desse caldo na panela com o arroz e mexa bastante até que o líquido seja absorvido.
      • 6 – Vá repetindo o processo com todo o caldo.
      • 7 – Quando o arroz estiver “al dente”, desligue o fogo, adicione manteiga, queijo e tempero com pimenta e sal. Sirva logo em seguida.

      4 – Risoto com amêndoas ao vinho tinto

      INGREDIENTES:

      • 310 g de arroz próprio para risoto;
      • 1500 ml de água;
      • 1 tablete de caldo sabor galinha;
      • 20 ml de azeite;
      • 350 ml de um bom vinho tinto;
      • 20 g de manteiga;
      • 75 g de amêndoa triturada;
      • 230 g de queijo cremoso ou requeijão;
      • 1 cebola média cortada em pedaços pequenos;
      • 1 caule de salsão;
      • 1 cenoura de tamanho médio;
      • Sal e pimenta a gosto.

      MODO DE PREPARO:

      • 1 – Numa panela, despeje a água, o caldo de galinha, a cenoura e o salsão cortados em rodelas e deixe-os cozinhar por 15 a 20 minutos, em fogo médio, até que os legumes fiquem macios.
      • 2 – Em outra panela, refogue a cebola no azeite e junte o arroz.
      • 3 – Acrescente aos poucos a metade do vinho, o caldo com as verduras e vá misturando sem parar, até que o arroz absorva a parte líquida e fique cremoso.
      • 4 – Despeje na panela o restante do vinho, o queijo (ou requeijão) a manteiga e as amêndoas trituradas. Por fim, junte a pimenta e o sal equilibrando a seu gosto.

      5 – Risoto funghi com vinho tinto

      INGREDIENTES:

      • 300 g de arroz;
      • 40 g de funghi secchi;
      • 200 g de shimeji (ou um pacote);
      • 300 ml de vinho tinto do tipo seco;
      • 1 cebola (média) cortada em pequeninos pedaços;
      • 40 g de manteiga;
      • 1 xícara (chá) de queijo tipo parmesão, bem ralado;
      • Ramos de salsinha e cebolinha;
      • Sal e pimenta a gosto.

      MODO DE PREPARO:

      • 1 – Hidrate o funghi no vinho por cerca de 1 hora. Após esse período, escorra o funghi e reserve o vinho.
      • 2 – Numa panela, ferva 1 litro de água junto com a salsinha, a cebolinha, cebola, sal e pimenta.
      • 3 – Em outra panela, refogue a cebola na manteiga até dourar. Acrescente então o funghi e o shimeji.
      • 4 – Junte o arroz e continue refogando.
      • 5 – Adicione agora a essa panela o vinho que foi reservado da hidratação do funghi.
      • 6 – Aos poucos, vá colocando o restante do vinho. É importante não deixar o arroz secar.
      • 7 – Por fim, quando o arroz estiver “al dente”, coloque por cima pedaços de manteiga e queijo. Tampe a panela por 5 minutos e sirva em seguida.

      Muitos outros ingredientes podem ser tranquilamente adicionados a essas receitas sem que o gosto original seja prejudicado.

      Alguns exemplos são: tomate seco, presunto de parma cortado em pedaços, orégano, azeitonas, castanhas trituradas, damascos, etc.

      Desde que se mantenha a cremosidade do risoto, o céu é o limite para a sua criatividade.

      Vale lembrar que o risoto é um prato que cai bem em qualquer ocasião, seja um jantar romântico, seja um almoço agitado de família. Você simplesmente pode fazer as devidas adaptações nos ingredientes que compõem a receita.

      Também é um prato muito indicado para aquela visita que chega na última hora já avisando que vai ficar para o jantar.

      A grande vantagem em escolher essa opção é que você vai passar por Chef de Cozinha, mesmo que não tenha lá grandes habilidades culinárias. Então aproveite, pois os elogios serão para você.

      Mãos à obra e bom apetite!

      Referências:

      https://www.eatingwell.com/recipe/250205/basic-risotto/

      https://vinodelvida.com/wine-and-food/best-wine-with-risotto-pairings/

      https://www.allrecipes.com/recipe/85389/gourmet-mushroom-risotto/

      Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • curso-gratuito-sommelier-gratis-senac-para-iniciantes-preço-básico-expert-em-vinhos-profissional
    Curiosidades

    Veja os Melhores Cursos de Vinho Online do Mercado

    No celular gire a tela para ver a tabela completa

    PosiçãoNome Curso Vinho OnlinePreço à VistaPreço à PrazoSite Oficial
    1Aprenda Sobre VinhosR$197,0012 x R$19,19Ver
    2Enófilo CertificadoR$397,0012 x R$38,68Ver
    3Expert em VinhosR$197,0012 x R$19,19Ver

    Ama vinho, mas sente que o seu conhecimento no assunto não é o suficiente? Que tal fazer um curso sobre vinho?

    Se interessou? Então continua com a gente nesse artigo e conheça vários cursos que cabem no seu bolso, que abragem os mais variados assuntos sobre essa bebida.

    Conheça onde e como aprender a arte da degustação de vinhos, mesmo sendo iniciante

    Assim como você, muitas pessoas tem o desejo de saber mais sobre o vinho.

    Pensando nisso, especialistas criaram cursos para ensinar, iniciantes ou não, sobre essa bebida mundialmente consumida.

    Certo, mas qual conteúdo é abordado e o que se aprende em um curso de vinhos?

    O que se aprende e como é na prática um curso de sommelier online?

    Entre muitas outras coisas, com um curso de vinho você irá saber qual deles combina com diferentes tipos de comida.

    Você saberá também quais os tipos de uvas e como elas interferem no sabor da bebida.

    Não entender as informações dos rótulos das garrafas também não será mais um problema.

    A formação foca igualmente em ensinar o nível correto de dulçor, acidez, tanino, álcool e outros pontos importantes que a maioria das pessoas não sabem.

    Por fim, você poderá realizar o sonho de muitos amantes de vinho: ter sua própria adega, com rótulos escolhidos a dedo, por você. Fantástico, não?

    Quanto e como é na prática, isso vai depender da formação escolhida. Mas a grande maioria coloca o aluno para degustar não só vinhos, mas também outras bebidas, como tarefa prática do conteúdo ensinado em cada módulo.

    Além disso, uma prova é aplicada para que o professor avalie o aproveitamento do aluno. Lembrando que alguns detalhes podem ser diferentes entre um curso e outro.

    Na prática, isso quer dizer que você se tornará um expert em vinhos.

    O que é ser um “Wine Hunter”?

    Além de ser um expert de vinhos na sua família e entre os amigos, sabia que se você quiser, você pode fazer dessa paixão uma profissão?

    Como? Tornando-se um Wine Hunter! Esse profissional é basicamente um “caçador de talentos” de vinho. A pessoa em questão viaja o mundo todo degustando bebidas e escolhendo os sabores que serão comercializados.

    Basicamente, o Wine Hunter procura vinhos de sabores exóticos e pouco conhecidos, e os promove, ajudando a divulgar para todo o mercado.

    O Wine Hunter, além de descobrir “novos talentos”, pode igualmente se juntar a enólogos, oferecendo consultoria. Neste caso, o trabalho é finalizar sabores, elaborar rótulos para as garrafas e, em alguns casos, sugerir preços dos produtos.

    Imagina se profissionalizar em uma profissão onde seu trabalho é degustar vinhos novos e viajar pelo mundo? Não dá para reclamar, não é mesmo?!

    Veja abaixo os cursos que selecionamos para vocês

    Aprenda Sobre Vinhos

    Uma das opções de formação é o curso Aprenda sobre Vinho.

    O conteúdo é ministrado pelo dono das lojas Vina Del Mar, Dirceu de Castro.

    Com uma vasta experiência, Dirceu distribui seu conhecimento em um curso com nove módulos e mais dois em forma de bônus.

    Ao todo são 60 vídeo aulas com acesso vitalício, que vão te ensinar desde a fabricação do vinho até a degustação, cuidados com a bebida e acessórios utilizados antes, durante e depois que a garrafa é aberta.

    Todo o material é 100% digital.

    Possui conteúdo sobre vinho tinto, branco, rosé, licoroso e espumante.

    E fique tranquilo se ficar com alguma dúvida ou precisar de ajuda. No próprio site do curso você tem acesso a um número de WhatsApp para falar com a equipe do Aprenda Sobre Vinhos.

    Após o fim do material, você recebe um certificado de conclusão.

    Bem legal, não é? Mas agora vem a pergunta importante: valores!

    Normalmente o custo para esse tipo de aprendizado é relativamente alto, em torno de R$500 reais. Mas se você adquirir agora sua cópia do Aprenda Sobre Vinho, seu investimento vai ser de R$197,00 a vista ou em 12x R$19,19.

    Para a quantidade de aprendizado disponibilizado por Dirceu, o preço está super em conta, aproveite!

    Você comprou, mas não gostou, e agora? Fique tranquilo, pois o curso te dá uma garantia e você pode pedir seu dinheiro de volta. O reembolso fica disponível até 30 dias após a compra.

    Enófilo Certificado

    O Enófilo Certificado é mais uma opção para os amantes de vinho. O curso foi criado por Stefan Massinger. De origem austríaca, ele trabalha como consultor de vinhos para gastronomia e hotelaria. Ele também organiza eventos e ministra palestras em todo o mundo.

    O conteúdo criado por ele é para todos os níveis de conhecimento, de alguém que não entende nada sobre vinhos, até uma pessoa que já tem uma certa familiaridade, mas quer expandir seu conhecimento.

    O curso é 100% digital e nele você terá acesso a informações como a história do vinho, seu processo de fabricação, taças e acessórios e harmonização.

    Você ainda leva um bônus sobre petiscos para combinar com a bebida em dias quentes, a influência deste na história da arte, como criar uma adega com até R$1.000 e até como combinar este item com churrasco.

    Além de tornar você um expert em vinho, o intuito do curso desenvolvido pelo Stephan é mudar o pensamento de que conhecer vinhos é uma tarefa difícil.

    E mesmo garantindo um conteúdo simples e divertido, o comprador pode pedir seu dinheiro de volta em até 15 dias após a compra do produto.

    Todo esse processo é bem simples e a solicitação é feita via e-mail.

    Agora, caso goste do curso e conclua ele, você receberá um certificado de conclusão assinado pelo próprio Stephan.

    Se interessou?

    Se começar agora, você adquire o conteúdo por R$397,00 à vista ou em 12x de R$38,68.

    Expert em Vinhos

    Uma outra opção de curso é o Expert em Vinho.

    Este é ministrado pelo especialista e estudioso em vinhos, Eduardo Calanzand.

    O material é 100% digital, e é ótimo tanto para quem não conhece nada sobre o assunto, quanto para quem já tem uma experiência e quer aumentar seu conhecimento.

    Dividido em 8 módulos, você tem acesso à vídeo aulas (em HD) por cerca de um ano. E não precisa ter acesso a internet para aprender. Basta baixar o aplicativo da Sparkle, plataforma onde o material está disponível, e ver tudo offline.

    Eduardo ainda disponibiliza tabelas e fichas em pdf para baixar e todo o suporte para alunos é feito via WhatsApp.

    Com o Expert em Vinhos você aprenderá como a escolher a bebida certa, descobrirá qual é o rótulo perfeito para você – com base em dulçor, tanino, acidez, etc, – como harmonizá-lo com as refeições, quais são as principais produtoras dessa bebida em diversos países e também como se tornar um Wine Hunter.

    Atualmente, o curso está com desconto de 50%, o que quer dizer que você terá acesso a todo esse excelente material por apenas R$197,00 à vista ou em 12x de R$19,19 no cartão de crédito.

    Vinhos e Harmonizações

    O curso Vinhos e Harmonização do chef Arthur Troncoso foca não só no conhecimento do vinho em si, mas também na harmonização, ou seja, como você pode combinar essa bebida com todos os tipos de comida.

    Dividido em 11 vídeos aulas, você terá uma introdução ao vinho e essências da bebida, até o processo de armazenamento e a função de cada propriedade presente no alcoólico.

    Você ainda leva de brinde 12 receitas inéditas de harmonização, além de um ebook com 6 diferentes vinhos e suas respectivas funções.

    Por ser um conteúdo 100% digital, você acessa e assiste quando e onde quiser. Seja no celular, computador, na sua casa ou no trabalho.

    Para dúvidas ou ajuda, o chefe disponibiliza um número de WhatsApp e um chat que funciona 24 horas por dia, te dando todo o suporte que precisar.

    Quanto a valores, o curso de Vinho e Harmonização tem um investimento de R$220,00 reais a vista ou em 12x de R$21,43 no cartão de crédito.

    Como saber diferenciar os vinhos, suas peculiaridades e singularidades?

    Mesmo com um processo de criação tão simples, que acontece da fermentação do suco de uva, você sabia que cada vinho tem traços únicos?

    Isso ocorre devido ao método de fabricação, o clima e solo onde a fruta foi plantada. Além, é claro, do tipo usado na fabricação.

    Sendo assim, com tantas informações armazenadas em uma garrafa, como você irá saber diferenciar esses vinhos? Simples, com um dos cursos que nós indicamos nesse texto.

    Assim que você começar a estudar sobre o assunto, muito em breve você saberá identificar essas peculiaridades com facilidade.

    Qual o jeito certo de degustar e desenvolver o seu paladar?

    O vinho possui um leque enorme de variedades, para começar, temos os sabores, que podem ser amadeirados, adocicados e frutados. Você também pode escolher entre tinto, rosé e branco, seco ou suave.

    Por conta disso, é necessário ter um vasto conhecimento para poder apreciar e distinguir as características de cada um, e é aí que o curso entra.

    Esse conteúdo fará com que você seja capaz de treinar e apurar o seu paladar, tornando possível a prática correta da degustação, que te levará a um mundo de sabores.

    Então, respondendo a pergunta do subtítulo, você só aprenderá a degustar de maneira correta e a treinar seu paladar com um material voltado a esse assunto.

    Como é o funcionamento e didática de uma aula online de vinhos?

    Quer fazer um dos cursos, mas ainda está em dúvida em como eles funcionam?

    Sem problema!

    Já falamos um pouco mais acima, mas a didática de cursos onlines são simples e feitas para quem tem interesse em aprender algo e muitas vezes não tem tempo de fazer isso de forma presencial.

    Todo o conteúdo é ministrado por meio de vídeo aulas, que são gravadas por especialistas no assunto. Assim que você realiza a assinatura, o material é enviado via email.

    Com ele em mãos, você só precisa de um aparelho com acesso a internet, e voilà!

    Outra vantagem é que você pode ver o conteúdo com calma, no seu tempo.

    Alguns têm acesso ilimitado, outros com um prazo de um ano.

    O que te dá tempo de sobra para se especializar no assunto, não é mesmo?

    Ah, e fique tranquilo pois esses cursos possuem certificado de conclusão e você pode pedir seu dinheiro de volta caso não goste do material. O tempo de reembolso varia, mas o prazo mínimo é de 7 dias após a compra.

    Quanto a dúvidas ou ajuda, todo o suporte é feito via WhatsApp ou chat. E muitos cursos possuem a chamada área de membros, onde você interage com o professor e outros alunos.

    Quais são os benefícios de ser um bom entendedor de vinho?

    Bom, os benefícios de se tornar um conhecedor de vinho depende do seu objetivo.

    Pode ser um excelente hobby, onde você expandirá seus conhecimentos sobre o assunto e alimentar ainda mais essa paixão.

    E tem também o aspecto profissional, onde você pode transformar esse amor por vinhos em sua profissão.

    Seja qual for o seu objetivo, esse conhecimento com certeza não será em vão. Será sua chance de mudar de área ou de surpreender aquele crush em um jantar especial.

    Referências:

    https://digitaldefynd.com/best-wine-classes/

    https://www.thespruceeats.com/best-online-wine-classes-5087185

    https://winefolly.com/deep-dive/guide-to-online-wine-courses/

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • antigamente-era-tinto-dos-judeus-caseiro-produção-artesanal-feita-a-fermentação-do-processo-branco-fabricação-passo-a-passo-processo-fluxograma
    vinhos

    Resenha Completa com Passo a Passo Para Produzir e Como Fazer um Bom Vinho

    Sendo uma bebida milenar, inclusive com passagens bíblicas, o vinho surgia de um processo natural chamado “vinificação”, o qual pouco dependia da intervenção humana.

    Com o passar das décadas, sobretudo após a Revolução Industrial, esse processo foi se aprimorando e hoje em dia raramente vemos um produtor pisando nas uvas, numa etapa bastante famosa que caracterizou a produção vinícola algumas décadas atrás.

    Da plantação a comercialização dos vinhos, veja todas as etapas

    A quantidade de etapas da produção vinícola não é um valor exato ou fixo e costuma variar bastante de um produtor para outro.

    É um fator diretamente relacionado ao produto que se pretende obter: os mais sofisticados certamente passarão por mais etapas na sua elaboração até que se obtenha um vinho mais requintado. O oposto vale para as bebidas mais simples.

    Ainda assim, são basicamente 8 as etapas nesse processo todo.

    São elas: colheita, desengace e esmagamento, prensagem, fermentação, trasfega e descubra, amadurecimento e engarrafamento.

    Quais são as uvas mais cultivadas para se fabricar vinhos?

    Cabernet Sauvignon –

    É uma uva clássica, sendo unanimidade, preferência mundial.

    Largamente cultivada no mundo inteiro, em países como Argentina, Estados Unidos e até mesmo no Brasil, além de países europeus. Sua origem é a famosa região de Bordeaux, na França.

    Tem excelente grau de adaptação aos mais diversos tipos de solo e produz vinhos tintos robustos, com aromas herbáceos.

    Merlot –

    Mais uma uva clássica proveniente da mesma região, cuja produção também se alastrou mundo afora.

    A diferença mais básica para a uva acima é que esta proporciona uma bebida mais macia e suave, com toques frutados no aroma e no sabor.

    Carmenére –

    Com a mesma origem das outras uvas acima citadas, esse tipo, entretanto, raramente é encontrado no país de origem, sendo mais comum no Chile.

    Seu vinho também é robusto e frutado, com toque de pimenta.

    Malbec –

    Mais uma uva imigrante: saiu do território francês e se estabeleceu na Argentina.

    Diga-se de passagem que os Malbecs argentinos estão entre os melhores do mundo: macios, bastante aromáticos, onde flores e especiarias se fazem presente.

    Pinot Noir –

    Originária da região da Borgonha, essa uva conseguiu conservar sua identidade francesa, já que poucos países se arriscam no cultivo dessa espécie.

    Os vinhos produzidos pela Pinot Noir são suaves, discretos e sofisticados, ou seja: são bem no estilo dos franceses.

    Chardonnay –

    Uma das uvas obrigatoriamente presente na composição do espumante mais famoso do mundo, o Champagne.

    Proporciona um vinho branco macio, leve e elegante. Com excelente adaptabilidade de cultivo no mundo inteiro.

    Sauvignon Blanc –

    Uva clássica utilizada na produção de um vinho branco, bem suave com toques de ervas e boa acidez.

    Também é originária da França e possui uma larga produção na Nova Zelândia.

    Tempranillo –

    E para fechar a lista, uma uva “não-francesa”.

    Essa uva espanhola também é bem cultivada em Portugal e na Argentina, e produz um vinho de elevado teor alcóolico, baixa acidez e pode apresentar gosto de morango.

    Quais são os processos para fazer a colheita da uva?

    Também conhecida como “vindima”, é essa etapa que definirá o sucesso do trabalho.

    Determinadas condições climáticas podem favorecer ou atrapalhar a qualidade final do produto em desenvolvimento. Chuvas fortes em tempo de colheita podem estragar todo o trabalho de uma safra, por exemplo. A melhor hora também é no final da tarde, quando a temperatura está amena.

    Além disso, é de suma importância atentar para o tempo certo de colher as uvas: não podem estar maduras demais nem verdes demais.

    Portanto, há uma série de fatores climáticos e meteorológicos a serem cuidadosamente observados.

    A colheita pode ser manual ou mecânica. No primeiro caso, os cachos são cortados com um tesoura apropriada e depositados em recipientes onde não sejam amassadas.

    No modo mecânico, um trator balança os galhos da videira, fazendo com que os cachos caiam num depósito forrado e protegido, evitando assim qualquer amasso.

    Como é o esmagamento e desengace?

    Após a colheita, as uvas são colocadas numa máquina chamada “desengaçadeira – esmagadeira”, que remove os engaços (ramos que sustentam as frutas) dos grãos, esses por vezes acabam gerando um indesejável amargor em bebidas de qualquer tipo.

    A máquina corta delicadamente as cascas das uvas e o suco escorre livre, sem que haja a trituração das cascas e sementes. O objetivo é aproveitar o máximo possível deste suco (também chamado de mosto).

    Em vinícolas mais rudimentares e simples, essa etapa ainda é realizada manualmente e após isso, as uvas são conduzidas para o tanque, onde são pisoteadas.

    Prensagem, como é feita?

    O mosto, então, é conduzido para o processo seguinte, numa prensa. Essa etapa separa as cascas e sementes do suco. Porém, os vinhos tintos e rosé não participam desse processo, uma vez que precisam ser fermentados juntamente com as cascas para adquirirem cor.

    Os primeiros sucos aqui obtidos são tidos como mais nobres e partem direto para a “vinificação”. Os sucos finais, mais ralos, seguem para a produção de aguardentes variados, tais como a grappa.

    Como é feita a fermentação do vinho?

    Nessa importante etapa, ocorre a transformação em álcool do açúcar natural contido no suco da fruta.

    A equação da fermentação alcoólica é simples: Levedura mais açúcar é igual a álcool e CO2.

    As fermentações podem ser feitas tanto com leveduras nativas quanto com leveduras cultivadas.

    As fermentações de leveduras nativas (ou fermentações espontâneas) são executadas com leveduras naturalmente presentes encontradas nas peles das uvas e no ambiente de uma vinícola.

    As fermentações de leveduras cultivadas são implementadas utilizando cepas compradas de leveduras e adicionando-as ao suco para executar o processo.

    As fermentações espontâneas tendem a levar muito mais tempo e são frequentemente direcionadas para a produção de vinhos finais mais complexos.

    Aqui, o vinho pode ser conservado tanto em tanques de aço inox como em barris de carvalho: cada opção oferece uma vantagem diferenciada e o produtor precisa ter essa visão do produto final para fazer a escolha inteligente e correta.

    Tanques de aço inox conseguem conservar melhor o frescor da fruta sendo, por isso, mais propícios aos vinhos frutados.

    Por outro lado, a fermentação no carvalho proporciona uma maciez bem característica no paladar. Nesse caso, teremos vinhos mais claros e naturalmente amadeirados, no sabor e no aroma.

    Um outro ponto de suma importância é a temperatura presente nessa etapa.

    Se durante o processo de fermentação as uvas não estavam suficientemente maduras, o açúcar pode ser adicionado ao mosto para aumentar os níveis de álcool no produto final, esta adição é chamada de “enriquecimento”.

    Da mesma forma, ácido também pode ser adicionado ao mosto se a acidez for baixa, o que é compreensivelmente chamado de “acidificação”.

    Também com a fermentação do vinho branco, uma etapa adicional referida como “agitação das borras” é adicionada.

    Esta etapa envolve a mistura da levedura residual que é deixada após a fermentação para produzir mais sabores.

    No caso dos vinhos brancos e rosés, o melhor é a temperatura mais baixa, a qual favorece a preservação da delicadeza e suavidade de suas características olfativas e gustativas.

    Já nos tintos, o oposto se aplica e temperaturas mais altas são necessárias para a obtenção de uma cor mais intensa e de taninos mais marcantes.

    A etapa da fermentação dura cerca de 21 dias e após esse processo é preciso fazer uma “limpeza” no líquido.

    O que é a etapa de trasfega e descubra?

    Após a fermentação, temos enfim uma bebida alcóolica, pois o açúcar natural da fruta foi transformado. Porém, é necessário separar a bebida das impurezas sólidas resultantes da etapa anterior.

    Inicialmente, ocorre então a “descubra”, que é a drenagem das partes sólidas e líquidas do líquido fermentado.

    Etapa simples, embora não menos importante na conjuntura do processo.

    A trasfega é a tarefa de transferir o vinho de um tanque (ou barril) para outro, com o objetivo de fazer a limpeza de todos os indesejáveis resíduos gerados na fermentação, tais como bactérias, leveduras, matérias orgânicas e outros.

    Essa porção de impurezas gera alterações desagradáveis no sabor e no aroma da bebida.

    O que é preciso fazer na filtragem?

    Essa etapa que requer bastante precisão: são utilizados durante esse processo vários filtros com diferentes graus de porosidade para barrar resíduos variados, tais como restos de cascas de uvas e microrganismos usados na fermentação.

    Após a filtragem, o vinho torna-se claro e brilhante.

    Amadurecimento

    Essa é uma etapa de harmonização e de equilíbrio entre o aroma e o sabor do produto.

    Aqui, o vinho perde a “dureza inflexível” ou adstringência e ganha suavidade.

    Porém, nem todos os tipos de vinho necessitam passar por essa fase. Alguns já estão prontos para degustação e outros precisam de alguns anos de armazenamento até encontrar o seu equilíbrio.

    O amadurecimento do vinho em aço inox cria um ambiente não oxidante, o que significa que os vinhos não são expostos ao oxigênio. Isto tende a preservar no vinho os sabores frescos, que são impulsionados por frutas, e nenhum tanino ou sabor externo é adicionado a partir da madeira.

    No lado oposto do espectro, o amadurecimento em carvalho cria um ambiente oxidativo, significando que o vinho tem contato com o oxigênio. Isto permite que o vinho desenvolva diferentes níveis de textura e sabores.

    Quando se utiliza carvalho novo (em oposição à madeira neutra ou usada), os sabores de baunilha, especiarias de panificação, coco e/ou endro podem muitas vezes ser degustados no vinho resultante.

    Vinhos brancos, rosés e tintos leves podem ser consumidos jovens, aproveitando assim o máximo do seu frescor. São vinhos que perdem o charme e a graça quando envelhecem e são dispensados dessa etapa.

    Portanto, a famosa máxima “quanto mais velho, melhor” nem sempre se aplica.

    Geralmente, a bebida amadurece melhor nas barricas de carvalho, pois, além da intensidade da cor, os taninos são amaciados.

    Também, com a evaporação mais lenta, o vinho torna-se mais encorpado. A qualidade de um vinho tinto é geralmente determinada pelo seu amadurecimento.

    Etapa final: Engarrafamento, rótulo e armazenamento

    Para o processo de engarrafamento são utilizadas 3 máquinas:

    • Enxaguadora: para higienização das garrafas;
    • Enchedora: aquela que vai encher as garrafas, como podemos imaginar pelo nome;
    • Rolhadora, a qual veda a garrafa com rolhas naturais, sintéticas ou tampas de rosca chamadas Screw Cap.

    É importante que a rolha seja de boa qualidade porque ela tem o poder de alterar drasticamente o sabor da bebida.

    Após o engarrafamento, o vinho necessita de um período de repouso, aguardando no depósito da vinícola o tempo da comercialização.

    Esse “tempo de pausa” é benéfico para a maioria dos tipos de vinho, para que possam se recuperar da agitação dessa etapa do engarrafamento e do consequente contato com o oxigênio.

    Nas vinícolas, o intervalo de repouso varia de alguns dias a anos, dependendo do produto que se deseja obter.

    Referências:

    https://www.liquor.com/how-is-wine-made-5088382

    http://wineanorak.com/howwineismade.htm

    https://www.thespruceeats.com/how-wine-is-made-3511362

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • escolher-vinhos-para-iniciantes-saber-se-pela-garrafa-escolher-barato-supermercado-na-taça-pelo-fundo-da-garrafa-características-frases
    vinhos

    O que Esperar e Como Reconhecer um Bom Vinho Branco Seco?

    O vinho branco vem ganhando espaço e popularidade no Brasil, desde os produzidos em terras tupiniquins, aos importados. Esse vinho tem um tom de classe e sofisticação que chama bastante atenção, além de ser muito utilizado para cozinhar, é um dos ingredientes que faz toda diferença em um bom risoto.

    Se você ainda tem um pouco do receio em relação ao consumo, ou apenas curiosidade, te faço um convite para conhecer um pouco mais sobre o vinho branco seco, que é muito mais que um ingrediente para cozinhar.

    O que é um vinho branco seco?

    Para entendermos o que é um vinho branco, vamos conhecer um pouco da sua produção, pois ao contrário do que se imagina não são apenas as uvas claras utilizadas na fabricação dele.

    A fabricação é parecida com a do vinho tinto, porém a maceração é o que difere nesses dois tipos de vinho.

    As uvas no processo de fabricação do vinho branco, podem ser escuras ou brancas, o que dar cor ao vinho é o tanino, pois as uvas são prensadas de forma suave para que as sementes e as cascas não sejam esmagadas.

    O que fica de solido é retirado, o suco é filtrado e colocado em barris para que o processo de fermentação comece.

    Geralmente a fermentação ocorre em barris de aço inoxidável, no entanto alguns vinhos ficam por um curto período em barris de carvalho, para terem uma maior oxigenação, uma das principais características do vinho branco.

    Controlar a temperatura durante a produção é um ponto importante, pois a temperatura altera a característica do vinho, uma temperatura mais baixa faz com que o vinho seja mais leve e frutado, enquanto a temperatura mais elevada faz do vinho mais dourado e encorpado.

    No Brasil, o termo vinho seco, está relacionado a quantidade de açúcar na composição da bebida. Eles podem possuir até 4 gramas de glicose por litro, no caso dos suaves a quantidade de glicose em sua composição é de 25 gramas por litro.

    O vinho suave, refere-se à uma bebida mais fácil de beber, oferecendo uma sensação agradável do primeiro ao último gole, de modo popular muitos o descrevem como um vinho docinho.

    Porém o sabor está mais relacionado a percepção do tanino, substância encontrada na casca das uvas e notamos essa diferença ao degustar o vinho seco.

    Quando em contato com nossa saliva a reação é justamente essa de secura, devido a uma quantidade maior de tanino em sua composição.

    Combina com o que? Quais situações e comidas ele pode acompanhar?

    De modo geral, a bebida é sempre uma ótima pedida para acompanhar desde refeições completas a petiscos, seja em uma reunião de amigos, em casal ou sozinho em casa após um longo dia de trabalho.

    O vinho branco seco não seria diferente, por ter essa característica adstringente, ele combina com queijos, carnes e alguns outros aperitivos, vamos te dar alguns exemplos para consumir de maneira harmoniosa.

    Uma das harmonizações mais comuns é com queijos, uma tábua de queijos e frios é sempre uma boa pedida quando se trata de beliscar algo enquanto se bebe vinho, os queijos mais comuns que harmonizam bem com vinho branco seco são, Camembet, Gouda e Brie.

    Isca de tilápia empanada é uma das combinações que também harmonizam com este vinho, lembrando que esse aperitivo também combina com outros e alguns acompanhamentos podem tornar o aperitivo ainda mais saboroso.

    Canapês de bacalhau ou de queijo coalho, ambas as combinações são deliciosas por si só, mas ao harmonizá-las com vinho branco seco, o sabor que temos é indescritível de tão satisfatório ao paladar.

    Estes são apenas alguns pequenos exemplos de aperitivos que você pode fazer para comer com amigos, em um encontro mais íntimo ou simplesmente para se dar de presente e sair da mesmice de pedir comida fora.

    Ele é usado na cozinha para preparar pratos, por quê?

    O vinho em si é muito utilizado na culinária para fazer desde pratos salgados a doces, cada tipo da bebida é mais indicada para um determinado prato, não há exatamente uma regra, mas essas indicações auxiliam na escolha do vinho para o prato que se deseja preparar.

    Vinhos brancos secos equilibram o sabor dos ingredientes, mas leves e suaves, como pescados, aves e frutos do mar, além de agregarem um melhor cozimento dos alimentos citados.

    O Sauvignon Blanc é o favorito e, provavelmente, é por causa das notas de ervas e de sabor. Elas permitem que o vinho haja como uma especiaria, e traz à tona o melhor da comida. O melhor é que não há limitações, você pode até mesmo fazer deliciosos cupcakes com esta variedade.

    Mas se você tiver um Chardonnay não cozido (fermentado em tanques de aço em vez de barris de carvalho) ou um Pinot Grigio normal, eles funcionarão muito bem na maioria dos pratos, exceto mexilhões.

    Pode parecer esnobismo na cozinha, mas mexilhões e frutos do mar são melhor preparados com Albarino.

    Se isso não estiver a seu alcance, você poderá utilizar o Riesling seco, Chenin Blanc, ou Pinot Gris.

    Algumas carnes leves em que esse vinho tem uma ação positiva, são lombo, filés de frango e filé mignon.

    Este vinho também agrega muito sabor em algumas hortaliças e legumes, como os aspargos. Devido a sua acidez é possível equilibrar o sabor adocicado que normalmente os legumes têm, assim como o amargor dos vegetais.

    Risotos, estrogonofe de frango e paleta, são alguns dos pratos onde o vinho branco seco faz parte dos ingredientes, como já dissemos a sua acidez equilibra os sabores e não sobressai.

    Então receitas que levam o vinho branco tem o frescor do vinho, mas não o sabor em si, podemos dizer que o vinho nesse caso auxilia o prato e traz um toque especial.

    Como comprar um bom vinho branco seco?

    Agora que já sabemos um pouco mais sobre o assunto, com quais alimentos e petiscos ele harmoniza e como utilizar na cozinha, vou te dar algumas dicas para adquirir um bom vinho e apreciar da maneira que desejar em sua casa.

    Pode parecer obvio, mas a leitura do rotulo é um dos pontos mais importantes na hora da escolha, afinal o rótulo contém todas as informações necessárias sobre o vinho, uvas utilizadas, melhor temperatura para ser servido, teor alcoólico e outras muitas informações.

    Enquanto você lê o rótulo do vinho, vale lembrar que alguns pontos importantes e informativos são necessários prestar a atenção, sendo eles:

    • Safra;
    • região de origem;
    • variedade de uvas;
    • denominação de origem;
    • maturação;
    • envelhecimento.

    A aparência do produto também é um ponto a ser avaliado, a qualidade da embalagem e armazenamento, a aparência da rolha ou capsulo que está lacrando a garrafa.

    Verificar se não há rachaduras na garrafa, a cor da bebida também pode dizer muito sobre seu estado de conservação, no caso do vinho branco, por ter esse tom que varia do dourado ao transparente deve-se ficar atento ao tom amarelado pois ele pode indicar oxidação da bebida, o que não é bom para seu consumo.

    Com certeza após todas essas informações você vai dar uma chance a esse vinho que vem conquistando tantas pessoas, lembre das nossas dicas e decida qual rótulo será consumido e tenha uma ótima experiência degustativa.

    Referências:

    https://californiawineryadvisor.com/dry-white-wine/

    https://winefolly.com/episode/expert-tips-on-choosing-dry-white-wines-video/

    https://www.thrillist.com/drink/nation/white-wine-types-explained

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • todos-os-uva-vinhos-no-brasil-suaves-mais-principais-doce-brasileira-tinto-tipos-cabernet-sauvignon-syrah-carmenere-malbec-pinot-noir-merlot
    Curiosidades

    13 tipos de Uvas Tradicionais e Famosas na Produção de Vinho

    Apreciado por grande parte das pessoas em todo o mundo, o vinho é de fato uma bebida requintada.

    A forma como é produzido, o local onde é produzido e o qual é realizado o cultivo das uvas bem como a qualidade da cepa usada para cada receita, concede a cada garrafa características distintas em relação a qualquer outra.

    Há uma imensa variedade em rótulos em todo mercado, e muitas pessoas gostam de experimentar os distintos sabores disponíveis.

    Você sabe que tanto o vinho branco quanto o tinto podem ser elaborados com o mesmo tipo de uva?

    Sim, tudo depende da forma em que se produz bem como a particularidade de cada vinícola.

    Em virtude disso, produzimos esse artigo mais completo para sanar dúvidas quanto aos tipos de uvas mais utilizadas para produzir vinhos de qualidade.

    O que uma uva precisa para ser boa para fabricação de vinhos?

    A uva é a matéria-prima de todos os vinhos, no entanto, a sua qualidade tende a interferir sempre no produto final.

    São inúmeros os fatores que são capazes de influenciar especialmente a parte inicial da produção.

    Desse modo, para que a uva seja considerada de qualidade e ideal para produzir um bom vinho, depende dos seguintes fatores:

    • Qualidade de cada solo;
    • Condições do clima e temperatura, bem como a sua oscilação diária;
    • Metodologia de plantio, cultivo e colheita;
    • Manipulação adequada, dentre outros.

    Todos esses fatores são imprescindíveis para formar uma bebida com aromas, sabores e texturas agradáveis.

    Cada casta da uva, é indica para produzir um tipo do vinho. Além disso, há outros fatores pois a produção é oriunda da combinação de 2 ou mais tipos de uvas.

    Grande parte dos vinhos existentes, é elaborada por uvas “Vitis vinífera” com origem na Europa, por exemplo a Merlot, a Cabernet Sauvignon e a Chardonnay, entre tantas outras.

    Veja abaixo as 13 uvas mais usadas:

    1 – Pinot Noir

    No que tange ao cultivo, essa uva sob nome Pinot Noir é muito oposta às uvas Cabernet Sauvignon.

    Isso dado que, elas precisam estar em perfeitas condições para que a sua colheita constitua ótimos vinhos.

    Quando elas são plantadas nas áreas que não possuem um equilíbrio no clima e nem na temperatura ambiente, as bebidas tendem a ser muito mais adocicadas e até consideradas sem qualidade.

    Trata-se, portanto, de um tipo que pode ser encontrado apenas na região da Bulgária, França, Chile, Califórnia ou na Argentina.

    Nesses países, a uva consegue se desenvolver perfeitamente e, por consequência, gerar bebidas mais requintadas, complexas, únicas e muito elegantes.

    Os vinhos criados através da Pinot Noir são ditos como misteriosos, com seu taninos bem firmes e menos acentuados.
    O aroma é bem característico e singular, o que torna essa uva ideal para as varietais.

    Embora ela seja mais utilizada para vinhos tintos, ainda é possível ver versões de vinho branco, rosé e até mesmo espumantes com ela.

    Qualquer uma destas bebidas são consideradas de muita qualidade, valor e apreciado por muitos.

    2 – Merlot

    Vinho produzido com Merlot geralmente é a preferência de quem preza pela elegância na degustação.

    A suavidade bem como a longevidade bem variada são características marcantes dele. Tanto os vinhos mais jovens quanto os mais envelhecidos são de igual qualidade.

    Esta uva é facilmente distinguida devido a sua aparência mais aveludada, azulada e ainda por contar com bagos maiores.

    Este último, no entanto, é que proporciona aos vinhos taninos medianos sendo então contemplados pelas pessoas.

    Essas uvas, são cultivadas nos países que possuem climas diferentes. Isto é:

    • Produção em regiões quentes – Os vinhos tendem a ser mais frutado, com poucos taninos, mais estruturados especialmente quando permanecidos durante um tempo nos carvalhos;
    • Produção em regiões frias – Os vinhos geralmente são dotados de taninos maiores mesmo que eles sejam mais jovens. Além disso, possui a estrutura mais robusta e, por isso, é a preferência de muitos especialistas.

    De modo geral, as bebidas com a Merlot, possuem uma textura doce e bem macia. Os aromas são comumente das frutas mediterrâneas e vermelhas.

    Pode-se notar a presença de cereja, figo, framboesa, morango, ameixa, groselha e amora.

    Há versões sob tons florais da violeta e da rosa, bem como também amadeirados como o cedro e o carvalho.

    Além disso, apresentam em seu aroma notas de tabaco, cacau, baunilha, erva, fumaça e também especiarias.

    Diante das possibilidades, nota-se que essa uva é uma variante ótima tanto para vinho de corte quando para varietal, oferecendo mais complexidade e sensações únicas.

    3 – Cabernet Sauvignon

    Essa é indiscutivelmente uma uva muito popular e bem democrática. Sob origem francesa, é permissível o seu cultivo em outras regiões no mundo desde que sejam em climas temperados e quentes.

    Devido a sua extrema qualidade, a Sauvignon é conhecida como a verdadeira rainha de todas as uvas tintas.

    Ela é inclusive, usada com um tipo de termômetro para medir o valor da vinícola.

    Muitas pessoas defendem a ideia de que se um rótulo é bom, automaticamente todos os outros serão.

    A sua plantação é específica para frutificação tardia ou média. Isso é o que a torna especial, pois, os vinhos com ela contam com sabores e aspectos bem diferentes.

    Nos lugares mais frios, traços do pimentão tendem a se acentuar. Em contrapartida, nos lugares mais quentes há a acentuação de ameixas e amoras silvestres.

    Essa uva é utilizada para os vinhos feitos para acompanhar satisfatoriamente as refeições.

    Em geral, a maioria das bebidas com elas produzidas são tintas, no entanto, é possível encontrar versões do branco. Tais bebidas são do tipo seco e com aroma e amargor bem característico.

    Ademais, o corpo é estruturado e seus taninos bem discretos e, por isso, é perfeito para acompanhar pratos mais intensos como bacalhau, queijo forte e carne de boi.

    4 – Cabernet Franc

    Como o nome já é bem sugestivo, nota-se que essa uva é oriunda da França. A sua junção com o tipo SauvignonBlanc originou a Cabernet Franc.

    Esse tipo de uva, quando submetida a temperatura bem como às chuvas de maneira correta, ela tende a florescer e amadurecer mais cedo.

    Ela é verdadeiramente muito sensível às variações da temperatura e, por isso, quando exposta ao frio extremo, a bebida fica podre.

    Entretanto, quando exposta a muito calor, o seu amadurecimento é precoce e pode acarretar em uma bebida com excesso de notas de ervas e vegetais em seu aroma.

    Por isso então, é imprescindível o cultivo adequado e correto para manter os cachos menores e sob a cor intensa e profunda da violeta.

    Seus bagos são mais delicados, suculentos e redondos. Resulta-se, portanto, em bebidas suaves mesmo com o residual de açúcar.

    Os vinhos fabricados exclusivamente com essa uva, são varietais bons, com o corpo médio ou leve, além da coloração ser mais suave.

    São vinhos de tom vegetal no fundo, com aroma de groselha e ainda da framboesa.

    Os produtores, utilizam a Franc para fabricar vinho de corte com sabor de fruta e de especiarias. Isso é que garante maciez e frescor para a bebida.

    É excelente para harmonizar com carnes grelhadas e também com vegetais.

    5 – Chardonnay

    A Chardonnay foi a mais mencionada nas literaturas e também no cinema. Ela é famosa por conceber vinhos brancos mais notáveis e apreciados em todo o mundo. É tão falada que o seu nome e confundido inclusive o com da bebida em questão.

    A sua origem é na França, porém, vários países como a Austrália, os Estados Unidos, a Nova Zelândia, Chile, África do Sul, Argentina e até mesmo no Brasil, ela é cultivada.

    Desse modo, é muito importante checar sempre a procedência da uva antes de experimentar qualquer rótulo.

    Isso porque, as variações de temperatura, chuva e solo são determinantes para garantir sabor e textura qualificada para a bebida.

    Portanto, as características do vinho são diretamente ligadas ao país de sua origem e também da vinícola produtora.

    Bom, as cultivadas no calor são encorpadas e com menos acidez. Nas áreas cujo clima é mais ameno, a bebida fica com um sabor cítrico.

    Já as sob cultivo no frio são mais doces e apresentam notas do pêssego e do melão, o corpo é médio, sua acidez é alta, e ao paladar é mais duro sob nota da ameixa e da maça verde.

    Quando passam pela barrica da madeira, todas as características sofrem alterações como, por exemplo, ficam com a concentração de álcool maior e acentua o açúcar, fazendo-se pensar até que não são vinhos secos.

    Diante disso, percebe-se que a Chardonnay é muito versátil e tem a capacidade de produzir variados tipos do vinho.

    Inclusive com uva de corte para fabricação de espumante, uma bebida bem equilibrada e ao mesmo tempo muito complexa.

    6 – Malbec

    Sua história é muito semelhante à da Tannat. Ambas são de origem na França e são cultivadas na área da Argentina com muita excelência. Essa região, na verdade é a responsável pela maior parte dos vinhos feitos dessa uva no mundo.

    Esse tipo de vinho se tornou a assinatura dos argentinos e um dos mais apreciados. A variação repentina do clima em apenas um dia, ou seja, muito quente e muito frio em um único dia, é perfeita para conceber às uvas amadurecimento e crescimento no tempo adequado.

    O resultado, é um vinho cheio de texturas aveludadas, com sabor muito intenso e com aromas do figo, da ameixa e ainda da cereja. Além deles, é possível notar a presença do tabaco, da baunilha, do café e do cacau.

    Se a bebida for envelhecida no carvalho, seu corpo é ainda mais firme e prazeroso ao paladar. Nessas versões, há existência de aroma do couro e de torrada. Sua cor é muito intensa, mas há opções em rosé e espumantes feito da Malbec.

    Esse vinho é apto para acompanhar desde receitas mais leves até as mais complexas e marcantes.

    7 – Moscato

    A Moscato pode ser encontrada na cor verde ou tinta. É uma das mais antigas uvas cultivadas ao redor do mundo.

    Elas são conhecidas pela produção de vinho rosé, branco e tintos sob altíssima qualidade. De modo geral, ela consegue dar origem a vinhos doces e com teor baixo alcoólico.

    A bebida feita com ela, contém aroma frutado da tangerina, do pêssego e da flor da laranja. Devido ao alto frescor, fabrica-se com ela espumantes moscatéis de extrema qualidade.

    O aroma dessa bebida é tão singular, que qualquer especialista o reconhece facilmente. Esse aspecto é aproveitado para vinho de sobremesa devido ao açúcar residual bem pronunciado.

    O vinho da uva moscato então, é a combinação ideal das saladas de frutas, bolos, creme de mamão, mousse ou ainda o petit gateau.

    8 – Sauvignon Blanc

    Esta uva branca é a mais famosa em todo o mundo! Como já mencionado anteriormente, ela em junção com a Franc origina a rainha Cabernet Sauvignon. É de fato muito nobre e uma das mais arcaicas bordalesas desse universo.

    O cultivo é feito na sua terra de origem, entretanto, ela é destaque também na região da Nova Zelândia.

    Por esse motivo, a uva de cada região apresenta aspectos distintos e bem característicos da cultura de cada uma delas.

    Sob os solos franceses, utiliza-se a uva para corte e com os blends com a Semillón. Ambas passam, pelo método nobre podridão com o intuito de elevar o teor de açúcar em todos os bagos.

    Já em Loire, região dos alpes franceses, essa uva é popular como uma varietal. Suas bebidas são ricas e sua fama se espalha pelo mundo.

    São do tipo seco, muito refrescantes e ainda apresentam os traços mais frutados, com aroma vegetal e mineral.

    Na Nova Zelândia, o sabor frutado é ainda mais acentuado do que na França. O segredo é a forma de cultivo com as colheitas realizadas em estágios distintos da maturação.

    A resultância pode ser sentida ao longo da degustação da bebida, que é muito mais encorpada quando se comparada aos outros rótulos.

    Além disso, com mais complexidade e com os aromas das ervas, da lima, do aspargo e ainda da maça verde.

    De modo geral, são tipos de vinhos bem marcantes, aromáticos, com acidez adequada e muito frescos.

    Essa uva, permite a combinação perfeita com aspargos e queijos de cabra, os quais geralmente são muito difíceis de harmonizar com vinhos.

    9 – Semillón

    Mesmo não sendo tão famosa quanto a Sauvignon Blanc ou Chardonnay, a Semillón está entre as brancas mais plantadas em Bordeaux, na região da França.

    A cultivação é muito simples, com o seu brotamento demorado e com maturação acelerada.

    A colheita é acertada no momento em que as uvas estão sob a cor mais rosada e bem acobreada.

    Nessas circunstâncias, os vinhos ficam mais frutados com notas de maça, pêra, uva, nectarina, limão, melão e também do figo.

    Algumas vinícolas, optam por deixá-las em processo de aprodrecimento nobre para acentuar ainda mais os açúcares.

    Esse processo nobre é derivado do “Botrytis cinérea”, um espécime de fungo muito específica.

    Esse procedimento, garante uma bebida de sobremesa com aroma de mel, pêssego, marmelo, damasco e até abacaxi.

    São vinhos de baixa complexidade, brancos e de corte, com textura macia e muito saborosos.

    10 -Tannat

    As Tannat são uvas francesas, porém, as vinícolas do Uruguai as adotaram para produzir seus variados e excelentes vinhos.

    No Brasil, entretanto, elas são cultivadas eminentemente nas áreas da Serra Gaúcha e também na Campanha Gaúcha. De fato, elas não perdem em nenhum momento pela qualidade.

    Mesmo que a qualidade seja igualada, os aspectos da uva Tannat cultivada na França são muito diferentes das cultivadas nos solos sul-americanos.

    A diferença está na temperatura da chuva, seja mais baixa e mais intensa, de maneira respectiva, no Brasil e também no Uruguai.

    O resultado, é um tipo de bebida mais fresca, fina, com taninos extremamente marcantes e bem latina.

    Devido a essas particularidades, antigamente era desprezada para a elaboração de varietal. Surgiu a partir daí a ideia de tê-la como ingrediente principal nos vinhos de corte.

    Esta uva Tannat envelhece muito bem e quando preservadas nas barricas por tempo adequados, tendem a conceber vinhos excepcionais e com altíssima qualidade.

    Com ela, é possível apreciar uma bebida imensamente saborosa, encorpada, redonda, e muito agradável ao paladar.

    Sua tonalidade é um vermelho bem escuro e seu aroma conta com notas do morango, da ameixa, da baunilha e de framboesa.

    É então um tipo que combina com pratos que são mais gordurosos como assados, churrasco e outros tipos de receitas condimentadas.

    11 – Gewurztraminer

    Aparentemente, é um nome muito complexo e complicado de se dizer. Para simplificar, deve-se pronunciar “gaverztramener”. É uma palavra alemã e significa “uva para tempero”.

    Essa uva em questão, consegue dar origem a vinhos muito fáceis de serem amados e principalmente de serem identificados pelos seus aspectos bem singulares e marcantes.

    O período de maturação dessa espécie é relativamente ágil. Para isso, o seu cultivo deve ser realizado nas áreas com temperatura mais amena.

    Esse equilíbrio é importante, pois quando submetidas ao calor o processo de amadurecimento é muito precoce.

    E quando esse fato ocorre, todas notas e nuances das flores e das especiarias se perdem, deixando a bebida um tanto sem graça, isto é, considerada sem qualidade satisfatória.

    Geralmente, os vinhos oriundos desta uva são rosés e brancos que contam com sabores muito particulares.

    O que diferencia essa bebida para as outras de costume, é o aroma da lichia, de canela, de gengibre, de abacaxi e de damasco.

    Os vinhos desta uva, se encontram na lista dos mais aromáticos diante das classificações vigentes.

    Embora sejam demasiadamente frutadas, podem ser mais secas ou doces, porém, sempre apresentaram muita doçura, independente da quantia do açúcar residual.

    Geralmente, seus vinhos, são muito encorpados e densos.

    Assim como qualquer rosé ou branco, a sua degustação é ideal para locais mais quentes ou com boas temperaturas.

    Isso visto que, são extremamente aromáticos e perfeitos para acompanhar receitas marcantes e condimentadas. Os pratos indianos são verdadeiramente a combinação perfeita.

    12 – Barbera

    De origem italiana, mas, muito popular em todo o território brasileiro, uma vez que foi transportada pelos colonos que migraram para cá.

    A uva Barbera, tem o poder de se transformar em diferentes bebidas. É capaz de produzir vinhos leves, intensos e até complexos, além de oferecer um potencial extremamente sadio ao envelhecimento.

    Essa uva até a década de 1980, era usada para elaborar os vinhos mais grosseiros. Desde então, iniciou um processo de otimização do cultivo, e assim, ela ganhou espaço nos rótulos mais reconhecidos e nobres do mercado vinícola.

    Ela se tornou especial, quando a plantação passou a ser efetuada nas áreas com o solo mais nobre e quente. Tais características se destacam na Itália, na Califórnia e também no Estados Unidos.

    Os tintos elaborados com ela são bem escuros, em tom rubi, com acidez mais elevada, e muito propício para ser envelhecido.

    Sob guarda, ao longo dos anos, esses vinhos ficam bem mais redondos, muito macios e o aroma das frutas vermelhas originais são satisfatoriamente mantidos.

    Essa versão, é uma das poucas que podem ser harmonizadas com salmão defumado, carne de cordeiro, com molhos de anchovas e brócolis.

    13 – Riesling Itálico

    Esta, é uma espécie de extrema importância para a fabricação e cultivo brasileiro. Ela é especialmente plantada na Serra Gaúcha e encarregada de produzir vinho branco e espumante nacional.

    Embora seu nome faça referência ao país da Itália, a sua origem não é precisa. Além do Brasil, a Croácia também é uma grande produtora dessa uva.

    Ela faz muito sucesso devido a sua boa acidez e a capacidade de ficar perfeita em temperatura mais baixa, ou seja, quando são resfriadas.

    Desse modo, os vinhos feitos com essa uva, acabam por ser uma bebida que harmoniza de maneira especial com os lugares sob temperatura ambiente predominantemente alta. E o Brasil, é um território que se encaixa nesse quesito.
    O seu frescor e seu corpo bem leve são muito característicos bem como o aroma pode variar entre cítricos e frutados.

    Por essa razão, essa uva é a preferência de muitas vinícolas para elaborar versões de corte e espumante.

    Outra maneira especial de desfrutar do potencial da uva Riesling Itálico, é utilizá-la em produções de vinho de sobremesa.

    O seu equilíbrio dentre a doçura e a acidez, o torna ideal para acompanhar doces feitos de frutas com laranja e limão.

    Conclusão

    Você já conhecia todos os atributos de cada tipo de uva? São várias opções que são utilizadas para formar vinhos distintos, com sabores e aromas bem particulares. Cada uma é capaz de oferecer experiências e prazeres incalculáveis.

    Se você ainda não é um apreciador de vinhos, sugiro que comece já, pois, verdadeiramente está perdendo experiências incríveis. Sentar em uma mesa com amigos, conversar, beliscar um petisco e deliciar uma taça de vinho é realmente algo maravilhoso!

    Nesse momento, você já é capaz de saber a diferença entre cada espécie de uva bem como suas principais propriedades.

    A partir desse artigo, certamente você está pronta para fazer a sua escolha entre versões tintas, branco, espumante ou rosé.

    E ainda de fazer a degustação compreendendo todas as classificações, registro pessoal de cada tipo e das percepções no paladar que cada opção é capaz de proporcionar.

    Quem entra para esse mundo de apreciadores de vinhos, percebe o quão valioso e prazeroso é cada um deles!

    Referências:

    https://www.foodrepublic.com/2018/05/20/15-types-of-grapes-to-know-eat-and-drink/

    https://winefolly.com/lifestyle/the-18-noble-grapes-wine-challenge/

    https://michiganwinecountry.com/wines-grapes/wine-grape-varieties/

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • vinhos-doces-descrever-e-barato-saber-se-melhores-vinhos-brancos-portugal-descrever-doce-sugestão
    Curiosidades

    Tudo o Que Você Precisa Saber Sobre Vinho Branco Suave

    Depois de muito preconceito para com os vinhos brancos, eles estão finalmente ganhando força no mercado brasileiro.

    Existem brancos tão bons quanto os tintos, ainda mais para quem vive em um país tropical como é o nosso caso, sem falar que este tipo de bebida harmoniza muito bem com nossa culinária.

    Neste artigo vamos trazer a você valiosas informações sobre o vinho branco, em especial do tipo suave, que certamente o irá fazer rever seus conceitos.

    O que é um vinho branco suave?

    Primeiramente vamos falar sobre o vinho branco como um todo.

    Este tipo de bebida é produzido a partir de uvas brancas ou então com uvas tintas, no qual separa-se as cascas no momento da fermentação.

    De modo geral, pode-se dizer que os vinhos brancos são obtidos a partir da fermentação do líquido (suco de uva), sem suas cascas, para evitar alterações na cor e nas oxidações. Isto vale tanto para as uvas brancas quanto para as tintas.

    E vinhos suaves o que são?

    Os do tipo suaves são aqueles nos quais insere-se açúcar no momento da fabricação, são portanto mais adocicados. São ideais para serem consumidos a qualquer momento, isto é, em dias comuns.

    O vinho suave é geralmente consumido por aquelas pessoas que ainda não possuem o hábito de consumir vinhos. Muitos o chamam de vinho “porta de entrada”.

    Então, ele é aquele que não possui pigmentos em sua coloração, podendo ser mais amarelados ou mais límpidos e que possuem sabores mais adocicados.

    Combina com o que, quais situações e comidas ele pode acompanhar?

    Bom, falamos acima que os vinhos suaves também são para aquelas pessoas que não possuem familiaridade com os vinhos, mas será que ele só pode ser consumido como aperitivo?

    A resposta é não!

    Ele pode ser consumido em diversas ocasiões e harmonizando com diferentes tipos de pratos. Confira a seguir, um pouco mais sobre isso.

    Carnes de aves

    Os vinhos brancos e suaves harmonizam muito bem com carne de frango, isto porque os cortes desta proteína são também, leves e magros, fazendo com que a combinação fique perfeitamente equilibrada.

    Massas

    Como já é de conhecimento de todos, aqui vale a regrinha, para molhos brancos vinhos brancos e para molhos vermelhos, tintos. Sendo assim, ele harmoniza muito bem com massas de molhos brancos.

    Peixes

    Os peixes também harmonizam muito bem com vinhos brancos, sejam eles suaves ou secos. Neste caso, a decisão deverá ser tomada com base na familiaridade e a preferência dos degustadores.

    Sobremesas

    E para quem tem em mente que apenas vinhos do Porto são bons para serem servidos com sobremesas, saibam que estão bem enganados. Os vinhos brancos suaves também harmonizam muito bem com pratos doces. Faça um teste e surpreenda-se com o resultado.

    Outras comidas que combinam com vinho branco suave

    Além das comidas citadas acima, outras também harmonizam muito bem com este tipo de vinho, são elas: queijos frescos, carne de porco assada, frutos do mar, escabeches, pratos com ovos, pratos com verduras quentes e saladas.

    O que não servir com ele?

    Pratos muito condimentados tais como moqueca, bobó ou então quando se adiciona o curry, tão popular na comida indiana e japonesa, não devem ser acompanhados deste tipo de vinho, isto porque deixará a refeição confusa, isto é, haverá “briga” entre os sabores.

    O que fazer para não errar?

    Jamais utilize na culinária vinhos que você não consumiria, lembre-se que no final você acabará sentindo o sabor desta bebida, mesmo em reduções. Então se você não gosta daquele vinho fora do prato, certamente não gostará do prato com o acréscimo dela.

    Além disso, não economize na hora da compra. Busque sim, melhor preço, porém não se esqueça da qualidade. No mercado atualmente existem excelentes vinhos brasileiros bem como importados, sobretudo argentinos e chilenos, que possuem um excelente custo x benefício.

    Evite harmonizam o vinho branco suave com carnes e queijos ricos em lipídeos (gorduras) e pratos mais picantes.
    Estas foram algumas dicas para você não errar na hora da harmonização, mas lembre-se você é quem deverá determinar qual é a combinação que mais lhe agrada.

    Ele é usado na cozinha para preparar pratos?

    Sim, o vinho branco suave também é usado para o preparo de pratos. Desde a antiguidade as bebidas têm sido utilizado na preparação de pratos, e a forma talvez mais comum é a marinada, que também pode ser realizada com este tipo, em especial em carnes brancas como, já citado anteriormente.

    E por que utilizar o vinho para cozinhar?

    Esta bebida é capaz de deixar a comida com um sabor mais intenso além de realçar o sabor dos demais ingredientes.
    Além disso, ao se adicionar o vinho a sua receita você agregará valor e sofisticação a mesma.

    Tipos de pratos preparados com vinho branco suave

    A seguir listaremos algumas receitas que utilizam este tipo de bebida em sua combinação, são elas:

    • Pernil de cordeiro assado;
    • Lombo com batatas;
    • Picanha com vinho e shoyu;
    • Macarrão com camarão;
    • Risoto;
    • Frango e cogumelos;
    • Strogonoff de frango;
    • Peixe assado;
    • Dentre outros.

    Bebidas e Drinks

    Além da utilização do vinho na preparação de pratos, ele é também bastante utilizado na preparação de drinques.

    Confira a seguir algumas bebidas que o utilizam em sua composição:

    • Coquetel: bebida a base de gelo, licor de pêssego, pera, gin e muito vinho.
    • Drink de laranja: este drink é feito com hortelã, um pouco de açúcar, suco de laranja e vinho branco. Ideal para ser servido bem gelado.
    • Batida de abacaxi: bebida feita batendo abacaxi gelado, com um pouco de água e vinho no liquidificador. Em alguns casos, adiciona-se ainda um pouco de leite condensado.

    Conclusão

    Se você é daquelas pessoas que ainda resistem em dizer que apenas o vinho tinto é bom, convidamos você a colocar em prática algumas das dicas deste texto e se surpreender com o resultado.

    Para aquelas pessoas que ainda não tem o costume de consumir vinhos com frequência, deixamos como dica, tomar uma taça de um vinho branco suave bem geladinho após um dia longo de trabalho, ou durante uma festa com pessoas especiais. Ouse, conhecer o novo!

    E para aquelas pessoas que já conhecem a bebida, o que achou das dicas que demos?

    Referências:

    https://www.thrillist.com/drink/nation/white-wine-types-explained

    https://www.marketviewliquor.com/blog/2018/09/the-different-types-of-white-wine/

    https://www.tasteofhome.com/collection/types-of-wine/

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • saca-rolhas-eletrico-xiaomi-abridor-de-vinho-recarregavel-oster-tramontina-brinox
    Curiosidades

    Top 10 Melhores Saca-Rolhas Bons e Baratos para Comprar

    No celular gire a tela para ver a tabela completa

    PosiçãoSaca-rolhasPreçoOnde comprar
    1Sommelier InoxR$40,50Ver
    2Ploc VinhoR$45,90Ver
    3Maltez InoxR$40,72Ver
    4Brinox manualR$14,90Ver
    5Inox Cromado estilo BorboletaR$14,70Ver
    6Abridor Inox Rock’n Cook VermelhoR$29,99Ver
    7Wine InoxR$100,00Ver
    8Profissional Lyon

    R$129,90Ver
    9Kit 5 peças e Abridor Elétrico OsterR$188,90Ver
    10Abridor de Vinho Elétrico B&DR$419,90Ver

    Para se degustar um bom vinho é imprescindível ter um saca-rolhas a altura, isto porque uma pequena parte da cortiça que caia sobre a bebida é capaz de alterar todo o seu sabor, e você não quer que isto aconteça não é mesmo?

    Atualmente existem no mercado diversas marcas fabricando saca-rolhas, dentre elas: Oster, Brinox e Tramontina. Alguns saca-rolhas exigem algumas técnicas para serem utilizados, enquanto outros, tais como os elétricos, requerem zero técnica.

    O que devo saber para escolher o melhor saca-rolhas?

    Quando for escolher o tipo de saca-rolhas ideal para você o que dever ser levado em consideração principalmente é a sua funcionalidade.

    Existem atualmente seis principais tipos de saca-rolhas que são: manual, borboleta, coelho, sommelier, elétrico e de ar comprimido.

    Cada um deles tem a sua vantagem e desvantagem. Para saber qual é o melhor para você, pense principalmente na frequência de uso, pois os mais modernos são também os mais caros, mas se você não tem o costume de consumir vinho regularmente não tem o porquê possuir um saca-rolhas top de linha a menos que queira.

    Alguns saca-rolhas oferecem também outras funcionalidades, tais como cortador de lacres e abridor de garrafas. Em alguns casos, pode ser uma boa pedida ter um destes em casa.

    Descubra na lista os 10 melhores saca-rolhas, onde comprar e seus preços

    Pensando nos mais diversos tipos de saca-rolhas disponíveis atualmente no mercado, trouxemos hoje uma lista com os 10 melhores, para que você possa escolher o que melhor se adapta a sua realidade. Vamos a ela!

    1 – Sommelier Inox

    Marca: Tramontina.

    Preço médio: R$40,50.

    Este é o modelo chamado sommelier e tem sido o queridinho dos profissionais do ramo, por ser leve, prático e bem fácil de ser transportado.

    Para abrir a garrafa, ele não exige tanta força, pois o seu suporte serve de alavanca no momento da abertura, porém existe certa habilidade por parte da pessoa para saber utilizá-lo de forma correta.

    Por ser feito de aço inox, é muito resistente e tem uma longa duração.

    2 – Ploc Vinho

    Marca: Maxchef

    Preço médio: R$45,90.

    O Ploc Vinho é o tipo certo para aquelas pessoas que buscam abrir seus vinhos de forma fácil e rápida. Ele funciona através de ar comprimido, então é só você colocar o saca-rolhas sobre a rolha do vinho, baixar o pino, bombear o êmbolo algumas vezes e pronto!

    A desvantagem dele é o seu tamanho, pois ele é maior do que os demais produtos. Além disso, por recomendações do fabricante, ele não deve ser utilizado em espumantes.

    3 – Maltez Inox

    Marca: Brinox.

    Preço médio: R$40,72.

    Este é também é do tipo borboleta. Ele é considerado o mais resistente dentre eles. Feito em aço inox, ainda possui um abridor de garrafas acoplado a ele.

    É ideal para aqueles que não são muito experientes na arte de abrir vinhos e que não possuem muita força. Sua desvantagem é que ele precisa de um espaço maior de armazenamento quando comparado com os demais tipos.

    4 – Brinox manual

    Marca: Brinox.

    Preço médio: R$14,90.

    Este é o modelo mais simples disponível no mercado atualmente. Ele é todo feito em aço inox, bonito, estiloso, tamanho adequado e bom preço. O ruim deste saca-rolhas é que exige força para abrir a garrafa.

    5 – Inox Cromado estilo Borboleta

    Marca: Gourmet Mix.

    Preço médio: R$14,70.

    Este é saca-rolhas do tipo borboleta que possui um lindo e elegante design. É um produto utilizado não só para abrir as garrafas de vinho como também objeto de decoração e opção para presentear alguém.

    Ele é feito de aço inox, portanto de fácil limpeza e longa durabilidade.

    6 – Abridor Inox Rock’n Cook Vermelho

    Marca: Tramontina.

    Preço Médio: R$29,99.

    O saca-rolhas abridor da Tramontina Rock’n Cook Vermelho é lindo, moderno e resistente, pois é feito de aço inox.

    Além disso ele possui mais 3 funções que são: cortador de lacre, abridor de garrafa e canivete. E tudo isso a um preço bem acessível!

    7 – Wine Inox

    Marca: Black e Decker.

    Preço Médio: R$100,00.

    De todos mostrados até aqui este é o que possui o maior e melhor custo x benefício. Ele é ideal para os iniciantes do vinho, pois é só apertar um botão e a rolha é removida. Para facilitar ainda mais o trabalho, o abridor conta ainda com um cortador de lacre.

    Possui design moderno e é feito de aço inox, o que lhe confere durabilidade e fácil limpeza. Por este motivo tem sido também o preferido na hora de presentear aos mais queridos.

    8 – Profissional Lyon

    Marca: Brinox.

    Preço médio: R$129,90.

    Este modelo é recomendado para profissionais, que precisam abrir muitas garrafas em um mesmo dia, como em uma festa, por exemplo.

    Além da função de saca-rolhas ele possui também a de cortador de lacre.

    Ele tem sido muito utilizado também para presentear parentes e amigos que são apreciadores de um bom vinho.

    9 – Kit 5 peças e Abridor Elétrico Oster

    Marca: Oster.

    Preço Médio: R$188,90.

    Este é um kit muito apreciado pelos amantes de vinho, pois de uma vez só você adquire tudo o que precisa para degustar um bom e delicioso vinho.

    Ao adquirir este kit você receberá: um saca-rolhas elétrico, anel anti-gotas, cortador de lacre, bomba de fechamento a vácuo e bico para servir. Você receberá tudo isto em um elegante estojo de couro.

    O abridor elétrico é feito de aço inox, o que lhe confere resistência e durabilidade. Assim como outros abridores já mencionados anteriormente, este é também uma excelente opção para se presentear os amigos apreciadores de vinhos.

    10 – Abridor de Vinho Elétrico B&D

    Marca: Black e Decker.

    Preço Médio: R$419,90.

    Este abridor de vinho elétrico desenvolvido pela Black e Decker é perfeito para quem busca facilidade e agilidade na hora de degustar seu delicioso vinho. Isto por que para usar este saca-rolha não é preciso ter habilidade, muito menos força.

    Possui um lindo design e muitas vezes é até mesmo utilizado como objeto de decoração além de ser uma boa pedida para presentear parentes e amigos que são apreciadores de vinho.

    O seu carregador de bateria é bivolt e a cada carga você consegue abrir 30 garrafas de vinho.

    Referências:

    https://www.liquor.com/best-corkscrews-5070781

    https://www.thespruceeats.com/best-corkscrews-4590262

    https://www.goodhousekeeping.com/cooking-tools/g34145848/best-wine-openers/

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • vinho-ruby-tawny-e-doce-preço-chilenos-tintos-ferreira-teor-alcoolico-marcas
    vinhos

    Os 10 melhores Vinhos do Porto Bons e Baratos para Comprar

    No celular gire a tela para ver a tabela completa

    PosiçãoVinho do PortoPreçoOnde comprar
    1Croft RubyR$94,90Ver
    2Ferreira TawnyR$74,90Ver
    3Reserva Adriano Ramos PintoR$141,99Ver
    4Taylor´s LBV 2011 (Tinto)R$304,50Ver
    5Vintage 2007 (Tinto)R$497,44Ver
    6Lágrima (Branco)R$199,90Ver
    7Croft Pink RoseR$110,00Ver
    8Messias RubyR$69,90Ver
    9Rozés Extra Seco (Branco)R$144,90

    Ver
    10Ferreira RubyR$83,61Ver

    O vinho é uma bebida que dia a dia vem ganhando mais espaço em nosso país. E para aqueles que optam por degustar esta deliciosa bebida acabam não só se beneficiando com os seus sabores e aromas como também com os benefícios que ela traz ao organismo.

    Um dos vinhos mais famosos no Brasil e no mundo é o Vinho do Porto. Mas que tipo de vinho é esse? Você conhece? Já o consumiu? Neste artigo, traremos algumas curiosidades sobre esta bebida e ainda, quais são os 10 melhores para comprar e beber. Confira!

    Como assim vinho do Porto, o que isso significa?

    São chamados de vinhos do Porto, as bebidas que são produzidas no norte de Portugal, numa região chamada Douro. Após a produção, a bebida é transportada para região do Porto, onde será envelhecida e engarrafada.

    São mundialmente conhecidos por possuírem um maior teor alcoólico quando comparado com os demais vinhos, por este motivo são conhecidos por “vinhos fortificados”. O seu teor alcoólico pode chegar a 22%, devido à adição de aguardente vinícola.

    Ele é mais licoroso e doce, devido ao açúcar residual que fica no vinho após a interrupção da fermentação. Existem também, os do tipo seco, porém estes são mais difíceis de ser encontrados.

    Atualmente é possível encontrar uma infinidade de vinhos do porto diferentes, cada qual com seu aroma e sabor, e por este motivo possuem classificações distintas. O valor do produto, inclusive, é calculado com base nesta classificação.

    Surpreenda-se com o Top 10 Vinhos do Porto

    E para você que já é amante de Vinhos do Porto ou pretende degustá-los, confira o nosso top 10.

    1 – Croft Ruby

    Este é um vinho de sobremesa com excelente custo x benefício. É produzido pela empresa Croft Port, uma das mais tradicionais no que se refere a Vinhos do Porto.

    A bebida fica armazenada em barricas de carvalhos por cerca de 3 anos e ao final deste período adquire a cor ruby, aroma e sabor de frutas em compotas. Possui teor alcoólico de 20%, é, portanto, considerado um vinho fortificado.

    Ele é bem macio na boca e harmoniza muito bem com chocolates e sobremesas.

    O preço médio de uma garrafa gira em torno de R$94,90.

    2 – Ferreira Tawny

    Feito com a mesmas uvas do que o Ruby. Esta bebida adquire uma cor acastanhada devido ao tempo que fica em contato com a madeira (barricas).

    É menos doce, e seu sabor e aroma remetem a amêndoas, figo seco, mel e especiarias.

    Acaba por ser bem macio a boca e seus taninos são bem maduros. Certamente é uma boa pedida.

    Possui um bom custo x benefício, o preço médio de uma garrafa é de R$74,90.

    3 – Reserva Adriano Ramos Pinto

    Os vinhos de reserva são produzidos com uvas devidamente selecionadas. Eles podem ser conversados por 30 anos, caso queiram.

    Esta bebida passa por um envelhecimento em barris de carvalho por um período que varia de 6 a 7 anos. Após este período adquirem sabor de frutos e uvas frescas. Seu aroma é bem característico, com notas de carvalho doce.

    Ele pode ser servido juntamente com entradas, sobremesas ou simplesmente como aperitivo.

    O valor médio de cada garrafa deste vinho gira em torno de R$141,99.

    4 – Taylor´s LBV 2011 (Tinto)

    O LBV (late bottled vintage) passa por um longo período de envelhecimento em barris de madeira, e somente após este período são engarrafados. Devido a este processo mais demorado, seu valor de comercialização também é mais elevado.

    Este vinho do Porto possui acidez equilibrada, sabor de amoras, ameixas, cassis e aroma de cereja preta.

    O preço médio de uma garrafa deste vinho é de R$304,50.

    5 – Vintage 2007 (Tinto)

    O Vintage 2007, é uma daquelas bebidas que deve ser degustada em ocasiões muito especiais, pois é capaz de agradar a todos os paladares, inclusive os mais exigentes.

    Ele é fortificado, com acidez e doçura na medida certa. Extremamente saboroso e intenso e, por este motivo, recomenda-se degustá-lo puro, apreciando cada gole.

    Este é um vinho que possui um valor um pouco salgado, o valor médio de cada garrafa é de R$497,44, porém ele vale cada centavo do investimento.

    6 – Lágrima (Branco)

    Este é o ideal para quem gosta de bebidas licorosas e doces. Ele tem toques de frutas secas, cítricas e mel. Ao degustá-lo será capaz de sentir ainda no final um gostinho de caramelo.

    Apesar de sua doçura, este vinho é bem equilibrado e delicado. Ele harmoniza muito bem com sobremesas e pratos salgados, desde que o alimento seja frito, tal como o pastel.

    O preço de compra deste vinho está em torno de R$199,90.

    7 – Croft Pink Rose

    Este é o primeiro rosé lançado no mercado. Sua cor é bem intensa, ao degustá-lo é possível perceber notas de cereja, morango e limão.

    Possui baixa acidez e alta doçura. Harmoniza muito bem com sobremesas, proteínas vermelhas e diferentes tipos de queijos, é um verdadeiro coringa na mesa!

    Uma garrafa deste vinho pode ser adquirida por R$110,00.

    8 – Messias Ruby

    Esta é uma bebida bem encorpada, assim como todo vinho Ruby. É bem adocicado, com notas de chocolate.

    Harmoniza muito bem com sobremesas a base de chocolate ou então como finalizador de refeições.

    O preço médio de comercialização deste vinho é R$69,90.

    9 – Rozés Extra Seco (Branco)

    O Rozés Extra Seco possui notas cítricas e um frescor diferenciado, resultado de seu envelhecimento em tanques de inox.

    É ideal para ser servido tanto em dia quanto em noites quentes.

    Pode ser adquirido por valores a partir de R$144,90.

    10 – Ferreira Ruby

    O Ferreira Ruby, possui acidez e doçura em perfeito equilíbrio. Além disso, possui notas de frutos maduros, nozes e mel.

    É envelhecido em barris de madeira, o que faz com que adquira características marcantes e únicas.

    Uma garrafa deste vinho custa em média R$83,61.

    Como escolher um ótimo vinho do Porto, o que olhar?

    Como mencionado anteriormente, existem diversos tipos destes vinhos, cada qual com sua particularidade que o torna único. Sendo assim, trouxemos algumas dicas que o ajudarão a escolher o tipo ideal para você. Veja quais são elas!

    • Algumas bebidas são produzidas a partir de um blend de uvas, com o intuito de controlar, a acidez, aroma e a consistência do vinho. Este não é o tipo ideal para os iniciantes a degustação de vinhos.
      Para estas pessoas recomenda-se a degustação de vinhos varietais, isto é, aqueles que são produzidos com uvas da mesma safra e variedade.
    • Tawny, LBV, Vintage, Ruby, Branco ou Rose: A maioria dos vinhos do porto são Tawny ou Ruby, porém existem ainda os Rosé e Branco que são tão bons quanto. Não deixem de provar, por simples receio ou preconceito de que só os vinhos tintos são bons.

    Existe um jeito certo de beber um bom vinho do Porto?

    Os vinhos do Porto se diferenciam dos demais, pois deve ser degustado em porções menores. Ele pode ser consumido tanto sozinho, como é o caso do tipo vintage, como aperitivo ou até mesmo como parte da receita de um prato principal, porém, sempre em pequenas doses.

    O tipo Tawny, é ideal para acompanhar sobremesas e cafés. Já o LBV, harmoniza perfeitamente com chocolates.
    Estas são apenas sugestões, lembre-se que você é o dono do seu paladar e pode então combiná-lo com o que preferir!

    Referências:

    https://www.cellartours.com/blog/portugal/10-top-port-wines

    https://www.vinovest.co/blog/port-wine

    https://bespokeunit.com/wine/port/best/

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • para-que-serve-mercado-livre-aerador-com-alça-camicado-bohemia-com-tampa-cristal
    Curiosidades

    Decanter de Vinho: Para que Serve e Como Funciona

    No celular gire a tela para ver a tabela completa

    PosiçãoDecanterPreçoOnde comprar
    1Bohemia BarR$88,00Ver
    2Vacu vin Cortiça TransparenteR$319,90Ver
    3Clássico Schott ZwieselR$199,90Ver
    4Cristal Riedel linha AppleR$299,00Ver
    5Cristal Spiegelau ToscanaR$479,00Ver
    6Bormioli Rocco TransparenteR$105,78Ver
    7Horn Wine em forma de U ChifreR$196,27Ver
    8Cristal PatoR$251,00Ver
    9Cristal Tipo GarrafaR$148,70Ver
    10Com Alça Mimo StyleR$110,00Ver

    Você é um amante de vinho?

    Se ainda não experimentou, aconselho acelerar, pois não sabe o que está de fato perdendo. Trata-se de uma bebida deliciosa e muito prazerosa.

    O vinho possui diferentes aromas e sabores ocultos e, para que seja possível aprecia-los o decanter é o acessório que favorece isso.

    O Que é e para que serve o decanter?


    Muitos ao olhar um decanter, visualizam apenas um simples jarro bonito para acondicionar o vinho. As pessoas muitas vezes nem sabem a real utilidade desse acessório e quão especial ele é.
    Dentre os seu atributos e funcionalidades estão:

    Confira a nossa lista do Top 10 Decanters de vinhos


    O decanter é de fato muito elegante e atualmente a procura por um modelo aumentou em todo o Brasil.

    Além da sua beleza, ele tem a capacidade de tornar a degustação do vinho ainda mais especial.

    Confira abaixo a lista dos 10 tipos melhores presentes no mercado e faça a sua escolha:

    1 – Bohemia Bar


    O bohemia é um tipo cujo seu preço é muito acessível.

    Ele possui o formato mais clássico, com a base mais alongada, e excelente toda ocasião.

    Ele é produzido em cristal e adição do titânio o torna mais resistente, atraente e de muita qualidade.

    O preço médio é de R$88,00.

    2 – Vacu vin Cortiça Transparente


    Esse modelo possui a sua base giratória. Se você busca um tipo diferente, esse é o que precisa, então.

    A sua giratória base é de cortiça e isso maximiza a oxigenação da sua bebida. Isto é, quebra todas moléculas e assim potencializa e libera os aromas e sabores mais ocultos.

    A cortiça é ainda um item decorativo com muita beleza e sofisticação, o que torna esse exemplar ainda mais de valor e requinte.

    Ademais, ele dispõe de uma base mais plana, isto é, mais facilidade no momento de se servir.

    O valor é cerca de R$319,90.

    3 – Clássico Schott Zwiesel


    Um tipo clássico de cristal e ótima qualidade. O Classic é capaz de levar mais oxigênio para o vinho.

    Assim, decantação máxima, no entanto, acentua as notas e os aromas para uma melhor degustação.

    Além disso, a sua fabricação foi feita com o propósito de evitar que gotas caiam na parte externa quando se servir. E por consequência, evita desperdícios e sujeiras.

    Esse modelo foi agraciado com o prêmio Design RedDot. Ele de fato é de renome e portanto, de muita qualidade.

    O preço médio é de R$199,90.

    4 – Cristal Riedel linha Apple


    Com sua função de separar todos sedimentos e ainda permitir a oxigenação do seu vinho, o torna impecável para qualquer situação e ambiente.

    É excelente para atenuar os vinhos que são mais jovens bem como também para os mais envelhecidos.

    Ele foi feito sob a forma de uma maça, com tamanho mediano, excelente para servir um bom vinho em jantares informais ou também em eventos mais sofisticados.

    Ele ainda cabe nas lava-louças com tamanho habitual e a sua higienização é bem fácil de ser efetuada.

    O custo é cerca de R$299,00.

    5 – Cristal Spiegelau Toscana


    A Spiegelau atua no ramo de decanter desde o ano de 1521. Ele é uma empresa de muita tradição e reconhecimento.

    Produziu esse modelo de cristal com a sua base mais larga. É de muita sofisticação, qualidade e ótimo pode de arear e decantar o vinho.

    O preço médio é de R$479,00 e sua capacidade é de 1,5 litros.

    6 – Bormioli Rocco Transparente

    O Bormioli é muito elegante com tampa e que proporciona muita classe para a mesa.

    Ele acentua satisfatoriamente os vinhos com maior tempo de guarda, porém, é possível utilizá-lo também para outras bebidas como, por exemplo, licor e whisky.

    O seu frasco remete a uma gota de lágrima, e a sua tampa tem a função de cessar a oxigenação no momento em que se deseja.

    O valor é cerca de R$105,78 e comporta 1,2 litros de bebida.

    7 – Horn Wine em forma de U Chifre


    O seu design é arrojado, charmoso e muito encantador. Ele traduz muita sofisticação na degustação do vinho e ainda deixa o seu ambiente decorado.

    Ele é capaz de potencializar a bebida até o seu máximo e permitir a apreciação dos mais diversos sabores e notas aromáticas que existem no vinho.

    Esse é certamente muito atraente e perfeito para presentear os amantes de um ótimo vinho.

    O preço médio é de R$196,27.

    8 – Cristal Pato


    O estilo pato é inclinado e possui uma alça que facilita na hora de se servir. A alça além de facilitar a maneira de servir, evita o contato direto com o frasco bem como que o mesmo escorregue das mãos e venha a cair.

    Ele é de cristal, elegante e de muita qualidade.

    Você pode encontrá-lo por R$251,00 aproximadamente.

    9 – Cristal Tipo Garrafa


    Esse modelo é indicado para os vinhos Reserva. Eles ficam muito tempo guardados e quando entra em contato com o ar, ocorre uma oxidação do mesmo.

    Desse modo, esse exemplar é capaz de manter todos os sedimentos, aromas e sabores aromas originais.

    O preço médio é de R$148,70.

    10 – Com Alça Mimo Style


    Além de possuir um design muito bonito, ele conta com uma alça que auxilia e facilita servir.
    É clássico, elegante e moderno. Além de realçar o se vinho ele deixará destacada e sofisticada a sua mesa.

    Ele é capaz de liberar todos os tipos de fragrâncias presentes no vinho com muito requinte. A alça evita possíveis acidentes e a sua capacidade é de 1,5 litros. Ideal para servir muitas pessoas!

    Seu preço é de aproximadamente R$110,00.

    O Que é e para que serve o decanter?


    Muitos ao olhar um decanter, visualizam apenas um simples jarro bonito para acondicionar o vinho.

    As pessoas muitas vezes nem sabem a real utilidade desse acessório e quão especial ele é.

    Serve para separação de sedimentos?


    Ele é capaz de separar todos os sedimentos dessa bebida, principalmente das que são mais antigas como, por exemplo, do tipo Gran Reserva e/ou Reserva.

    As bebidas com esses tipos, são guardadas durante anos e por isso surgem algumas borras no fundo de cada garrafa.

    Estes sedimentos possuem um sabor não muito agradável e, por isso, o decanter tem o poder de segurar tais sedimentos no fundo e evitar a sua ingestão.

    Além disso, ele ajuda o vinho a respirar, isto é, por meio da aeração, o oxigênio é guiado até o interior do vinho.

    Esse processo, ajuda acentuar ainda mais os sabores, os aromas, amolecer os seus taninos e por consequência despertar os mais ocultos deles.

    Esse acessório é de fato imprescindível para que você aprecie um bom vinho com seus aromas e seus sabores potencializados.

    O que preciso saber para escolher o melhor?

    Agora que já esclarecemos as funções de um decanter, temos a certeza de que você já quer adquirir o que mais combina com você, não é mesmo?

    Bom, existem diversos modelos no mercado, entretanto, conhecer as diferenças entre cada modelo é fundamental para uma escolha mais acertada.

    Para fazer uma boa escolha, é necessário atentar-se quanto a:

    • Capacidade de oxigenação seja ela mínima ou máxima;
    • Tipos de material;
    • Dimensões;
    • Peso.

    Modelo e/ou Dimensões de um Decanter


    Os modelos mais comuns que podem ser encontrados para compra são:

    • Bico de cisne;
    • Jarro;
    • Pato;
    • Padrão;
    • Cometa.


    Os jarros, no entanto, costumam ser menores do que os demais com aproximadamente 9 centímetros em sua base.

    Esse modelo atinge a uma mínima oxigenação. Esse é ideal para os vinhos que são mais envelhecidos e com pouco oxigênio, assim os sabores são mais preservados.

    O tipo padrão, possui a base mais ampla com aproximadamente 35 centímetros. Esse atinge a máxima oxigenação e, por isso, é ideal para os vinhos mais amargos, duros e adstringentes.

    Outros modelos contam com curvas e, essas são capazes de realizar uma dupla decantação, ou seja, a oxigenação é mais acelerada.

    Antes de escolher o decanter, verifique esses detalhes em sua dimensão e tamanho para fazer uma boa escolha.

    E lembre-se quanto maior o decanter, maior será a sua oxigenação.

    Decanter de Cristal ou de vidro


    Geralmente, o decanter é feito de vidro ou de cristal, confira as vantagens e desvantagens de cada um:

    O decanter de vidro é o mais comum de se encontrar, ele é composto por sílica, cal, óxido do sódio e também de óxido do alumínio. Ele geralmente é mais robusto, resistente e com menor custo.

    Já o decanter de cristal é verdadeiramente mais refinado e brilhante. Ele é composto por sílica e o óxido do chumbo somente. Há alguns que possuem o titânio na composição, o que o torna um pouco mais resistente.

    Ainda assim, embora o cristal seja mais bonito, brilhante e refinado, ele é mais frágil e demanda mais cuidado no manuseio para evitar que se quebre.

    A escolha vai depender do seu gosto é claro!

    Quanto a capacidade


    Antes de adquirir o seu decanter, atente-se à sua capacidade de acondicionar a bebida, pois a maneira mais adequada de utiliza-lo é despejando todo o conteúdo da garrafa nele para uma satisfatória oxigenação.

    Dificilmente será possível encontrar modelos que comporte menos do que 750ml.

    Em contrapartida, há opções maiores que chegam a capacidade de até 2 litros.

    Desse modo, verifique o que melhor atenda às suas necessidades.

    O Peso


    No momento da compra, é importante conferir o tamanho e o peso o acessório, isso porque, ele precisa de um local para ser guardado com cuidado.

    Diante de tantos modelos, é possível encontrar com o peso de 0,3 até 2 kg. Desse modo, verifique antes de escolher, se o seu espaço é disponível para guardá-lo bem como a sua necessidade e facilidade de deslocar e servir.

    Possíveis recursos extras

    Alguns exemplares, contam com recursos que podem facilitar o processo de servir bem como ter mais eficiência na decantação.

    Existem opções com tampa ou com rolha o que permite a interrupção da oxigenação quando desejado e/ou para conservar na geladeira a bebida.

    Outros contam com uma alça a qual reduz os riscos de derrubá-lo. Há também opções com a base giratória, e que ajuda a acelerar a aeração e a decantação do vinho.

    Esses são os principais detalhes que devem ser reparados no momento da sua compra. Se analisar cada um juntamente com que deseja e precisa, tenho certeza que a escolha será certeira.

    Como fazer para limpar e lavar após o uso?


    Como já citamos, há alguns modelos afirmam que podem ser higienizados em lava louças.

    Embora essa afirmação seja dos próprios fabricantes, essa prática não é a mais indicada.

    Seja de vidro ou de cristal, ambos são recipientes frágeis que são muito suscetíveis à quebras e também a permanência de gostos e odores desagradáveis.

    Desse modo, a forma mais indicada para higienizar o seu decanter é:

    • Despeje água morna no recipiente e deixe por alguns minutos de molho;

    • Posteriormente, em outro vasilhame junte água morna com vinagre de álcool branco. Com essa mistura, lave tanto a parte interna como a externa e depois enxague abundantemente com água morna.


    Se por ventura, o seu decanter apresentar manchas, indica-se o seguinte:

    • Dentro do decanter coloque um pouquinho de sal grosso ou de bicarbonato de sódio juntamente com um pouco de gelo triturado;

    • Deixe alguns minutos, limpe e enxague com agua morna abundante.


    Vale ressaltar que, a utilização de detergente e/ou produtos químicos são muito agressivos e, portanto, jamais use para higienizar o decanter.

    Eles são acessórios frágeis, especiais e que requer muito cuidado tanto para manusear quanto para limpar.

    Conclusão:


    Nesse artigo, você pode conhecer os melhores modelos de decanter disponíveis no mercado. Cada um deles dispõe de funções e características distintas e específicas.

    Além disso, o que é necessário considerar antes de adquirir um exemplar para a sua casa e ainda qual a melhor forma de higienizá-los.

    Trata-se de produtos notoriamente muito delicados e que demandam cuidados para que a experiência e a aproveitamento das suas funções seja o máximo que eles tenham a oferecer.

    Portanto, se você deseja aumentar o seu conjunto, presentear ou indicar para uma pessoa, essa lista tem os mais especiais.

    Siga todas as dicas, avalie a real necessidade e escolha o que mais combina com você e com a ocasião desejada.

    Certamente, qualquer que seja a sua escolha, não irá se decepcionar!

    Referências:

    https://winefolly.com/tips/choosing-the-best-wine-decanter/

    https://www.wineenthusiast.com/glassware/decanters

    https://www.masterclass.com/articles/what-is-decanting-wine

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • espumante-tinto-suave-lambrusco-vinhos-frisantes-bons-e-baratos-moscatel-qual-a-diferença
    Curiosidades

    Descubra As Diferenças entre os Vinhos Frisante, Espumante e Champagne

    No geral, as pessoas tendem a classificar os tipos de vinho de maneira genérica seja, sob o nome de Champangne ou espumante qualquer tipo de vinho que contem bolhas na composição.

    Sim, isso ocorre com muita frequência embora pareça estranho.

    Existem 3 variações sendo elas, frisante, espumante e champangne.

    Cada um, possui uma peculiaridade e é isso que mostraremos no decorrer desse artigo.

    Continue conosco e saiba quais são as reais diferenças entre eles.

    O que é um vinho frisante?


    O frisante é uma espécie de tipo de vinho que possui pouca quantia do gás carbônico. Ele é elaborado pelo processo natural de fermentação de uvas e a quantidade do gás que contém nele, geralmente é a metade da que contém nos espumantes.

    A fermentação ocorre uma única vez. Os mais conceituados são provenientes da Itália, os famosos vinhos lambruscos.

    Tanto o frisante quanto o espumante são tipos de vinhos devidamente fermentados e ainda mantidos com o seu próprio gás oriundo da fermentação.

    É imprescindível lembrar que há cidras populares em todo o Brasil, entretanto essas possuem o gás introduzido de maneia artificial.

    Desse modo, as cidras não podem ser consideradas nenhuma das três opções, ficando como bebida separada a parte.

    Espumante, como um vinho, pode ser classificado assim?


    Este também é um tipo do vinho que contém o gás carbono produzido naturalmente no processo da fermentação.

    Porém, diferentemente do frisante, ele é originário do segundo processo da fermentação natural, ou seja, passou pela primeira fase a qual é constituída o frisante e depois por mais uma vez.

    Esse processo favorece um nível de gás bem maior. Ele é elaborado sempre com uvas específicas para a produção de vinho.

    Na grande maiorias dos países que possuem vinícolas, é feita a produção dos espumantes, porém, a elaboração maior é na França.

    A França investiu na produção do espumante e com isso formulou vários métodos no processo da fabricação e assim, surgiram as mais variados categorias deste tipo de bebida. Isso, permitiu a origem de vários tipos nos outros países. São eles:

    Prosecco:


    Esse é oriundo a vinícola de Vêneto situada na região da Itália. É um lugar onde nas regiões vizinhas produzem variados tipos de vinho espumante e branco. O prosecco, ao longo de muito tempo foi utilizado para nomear a uva utilizada para produzi-lo. Mas o seu nome original é Glera.

    Asti:


    É um tipo bem mais doce e o seu teor de álcool é baixo. A uva utilizada para sua criação é a Moscato com fermentação única em tanques que possui a contenção de gás carbônico liberado. Sua fermentação, no entanto, é paralisada por meio de resfriamento no instante que a bebida atinge o nível de teor de álcool de 3,5% e doçura de 7 até 9gl.

    Sekt:


    Este tem origem na Alemanha. Ele possui um nível de doçura bem típico da uva. O tipo Sekt seco é denominado “trocken”.

    Cavas:


    Tem uma produção que é realizada na região da Espanha, mais precisamente na Catalunha e na Penedés. Sob um clima mais mediterrâneo e muito suave, oferece mais sabor e adocicado para as videiras que ali são cultivadas. É de fato, um sabor único e peculiar.

    Champagne é um vinho?


    Este é o nome verdadeiro e original de espumantes um tanto quanto especiais, oriundos de uma região, diferentes dos demais e são os únicos que podem levar o nome de champagne.

    O verdadeiro e autêntico champagne, é originário exclusivamente da região de Champagne, que está situada cerca de 150 quilômetros de distancia da cidade de Paris ( norte da França ).

    Percebe-se, portanto, que a bebida recebe o nome da sua cidade de origem.

    Essa versão é um tipo fino, sofisticado que demanda uma produção mais complexa e elaborada no universo dos vinhos.

    Dentre as etapas da sua elaboração, estão:

    • A fermentação é feita de maneira natural;
    • As uvas utilizadas são a Pinot Noir, a Chardonnay e também a Pinot Meunier;
    • O cuidado com a preparação das uvas é minucioso e específico para serem levadas ao consumo.

    É importante frisar que, o Champagne é a versão de vinho que tem autorização de carregar esse nome somente se o mesmo for elaborado na região da França.

    Portanto, nenhuma outra versão desta bebida podem levar esse nome!

    Quais são as principais diferenças entre eles?

    Então, as reais diferenças são as seguintes:

    Frisante:

    • É o vinho no qual a concentração do gás é menor em relação aos outros;
    • Ele é obtido da pré-produção de espumante, ou seja, oriundo da primeira fase de fermentação de uva;
    • Não pode ser chamado de espumante e nem de champangne;
    • É uma opção mais leve, muito discreta e ainda muito refrescante;
    • O mais famoso é o do tipo Lambrusco da Itália, porém, é possível encontrar diversos tipos de frisantes oriundos da Alemanha, França, Portugal e até mesmo do Brasil.

    Espumante:

    • É a bebida originária da segunda remessa de fermentação da uva. O processo é natural, seja para o tinto, o rosé ou até mesmo branco;
    • Ele possui o dobro do nível de gás que contém no frisante;
    • O prosecco é o tipo fabricado na Itália e que faz sucesso em todos os países. Ele é tão famoso que as pessoas tendem a associá-lo a qualquer versão espumante,

    Champangne:

    • Dentro desse mundo dos vinhos borbulhantes, há o que é considerado o de fato original. O Champagne vai muito além de um simples espumante, ele possui uma qualidade incomparável, com a fabricação muito mais complexa e originado apenas da região da França de mesmo nome;
    • As uvas utilizadas são as melhores que existem no mercado e são submetidas à procedimentos específicos para levar mais sabor, aroma e mais qualidade para a bebida;
    • A concentração alcoólica é mais alta;
    • É uma bebida mais intensa, sofisticada e refrescante;
    • Só é considerado Champagne as bebidas de origem francesa e que sigam rigorosamente o processo de elaboração do mesmo.

    Conclusão:


    Esclarecemos, contudo, que ambas as opções possuem suas particularidades. Tais são, o nível de álcool, de doçura, a quantidade de gás carbono em cada um deles e o local de fabricação.

    Diante das diferentes características, cada um deles merecem a oportunidade de serem apreciados.

    Dessa forma, se você gosta de bebidas mais leves opte pelo frisante. Se gosta de apreciar bebidas com mais bolhas de gás uma boa seleção é o espumante.

    Agora, se você é gosta de apreciar bebidas mais intensas e finas a escolha certa é o Champangne.

    Certamente para cada ocasião há uma opção. Escolha o seu e tenha as melhores sensações!

    Referências:

    https://justwines.com.au/blog/difference-sparkling-wines-semi-sparkling-wines/#:~:text=In%20layman’s%20language%2C%20semi%2Dsparkling,sparkle’%20than%20their%20sparkling%20counterpart.&text=While%20Champagne%20usually%20contains%205,’semi%2Dsparkling%20wines’.

    https://www.thedailymeal.com/drink/difference-champagne-prosecco-sparkling-wine

    https://content.kegworks.com/blog/sparkling-wine-champagne-prosecco-cava-moscato-lambrusco-cremant

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • 2020-os 100-melhores-brasileiros-vinho-vendido do-melhores-suaves-2019-nacionais
    Curiosidades

    Quais São os 10 Vinhos Mais Vendidos no Brasil neste Ano?

    No celular gire a tela para ver a tabela completa

    PosiçãoVinhoPreçoOnde comprar
    1Guaspari Syrah/Vista do Chá 2016R$300,00Ver
    2Benjamin Nieto SuaveR$40,00 e 50,00Ver
    3Espumante Casa Perini MoscatelR$40,00Ver
    4Pata Negra Oro TempranilloR$50,00Ver
    5La Flor de Pulenta Sauvignon Blanc 2018R$150,00Ver
    6Miolo Seleção Rosé 2020R$40,00Ver
    7Los Riscos, Chardonnay 2020R$35,00 e 45,00Ver
    8Mont´arquato Cabernet Sauvignon Barbera BlendR$75,00Ver
    9Merlot Pinotage
    Tinto
    R$55,00Ver
    10Quinta de Bons Ventos TintoR$48,00Ver

    O vinho é uma das bebidas mais tradicionais do mundo, faz parte de vários períodos históricos, citado até mesmo na bíblia, é uma bebida sempre presente em comemorações.

    Ao longo dos séculos sua produção foi ficando vez mais refinada até chegar aos dias atuais. O vinho está presente em muitos lugares do mundo, sendo utilizado tanto para cozinhar alguns pratos, para acompanhá-los ou simplesmente para relaxar após um longo dia.

    Veja nossa seleção de brasileiros e internacionais mais comercializados

    Caso você tenha dúvidas sobre qual vinho escolher, nós sabemos que com a grande variedade a escolha pode ser um pouco difícil, principalmente quando não se tem o hábito de comprar vinhos, ou se apenas possui curiosidade em saber quais são os vinhos que tem feito a cabeça dos brasileiros, confira nossa lista com os dez vinhos mais vendidos nos dias de hoje.

    1 – Guaspari Syrah/Vista do Chá 2016

    Da avícola Guaspari, produtora brasileira de vinhos.

    Este vinho é produzido com uvas Syrah, com um aroma de frutas vermelhas, especiarias e um leve toque de baunilha e chocolate.

    Um belo e elegante vinho tinto que harmoniza muito bem com carnes vermelhas, queijos e massas.

    Deve ser servido na temperatura entre 16 e 18 °C para melhor aproveitamento.

    Seu preço é de aproximados R$300,00.

    2 – Benjamin Nieto Suave

    É um delicioso vinho branco Argentino, produzido com uvas Torrontés, Sauvignon Blanc e Chardonnay, com um aroma de flores brancas, maçã verde e pêssego em calda.

    Um vinho de cor clara, delicado e levemente doce, harmoniza bem com massas, risoto, queijos e sobremesas. Deve ser servido na temperatura entre 8 e 10°C para melhor aproveitamento.

    Seu Valor fica entre R$40,00 e 50,00.

    3 – Espumante Casa Perini Moscatel

    Vinho nacional produzido com uvas moscateis, possui um aroma floral e de frutas bem agradável, de cor levemente amarelada e sabor doce com o frescor das uvas moscatel.

    Harmoniza bem com legumes, carnes suínas e sobremesas. Deve ser servido na temperatura entre 4 4 e 6 °Cpara melhor aproveitamento.

    Seu preço é de R$40,00.

    4 – Pata Negra Oro Tempranillo

    Um delicioso vinho tinto Espanhol, produzido com uvas tempranillo, possui uma coloração em rubi profundo e um aroma agradável de frutas vermelhas maduras e um leve toque de caramelo e cacau.
    Harmoniza muito bem com carnes vermelhas, queijos e massas. Deve ser servido na temperatura entre 16 e 18 °C para melhor aproveitamento.

    Preço de R$50,00.

    5 – La Flor de Pulenta Sauvignon Blanc 2018

    Vinho branco Argentino, produzido com uvas Sauvignon Blanc, possui um aroma delicioso de frutas cítricas como abacaxi e maracujá, de cor amarelo esverdeado é um ótimo vinho.

    Harmoniza com petiscos e frituras. Deve ser servido na temperatura de 9°C para melhor aproveitamento.

    O custo é de aproximados R$150,00.

    6 – Miolo Seleção Rosé 2020

    Um vinho rosé nacional, do Rio Grande do Sul, sendo o primeiro vinho Rosé do Grupo Miolo, produzido com uvas cabernet sauvignon e tempranillo, apresenta uma coloração rosada bem suave, aroma de frutas vermelhas como o morango.

    Harmoniza bem com saladas, aperitivos, peixes e frutos do mar. Deve ser servido na temperatura de 8 °C para melhor aproveitamento.

    Seu preço é de R$40,00.

    7 – Los Riscos, Chardonnay 2020

    Vinho branco Chileno, produzido com uvas chardonnay, apresenta uma coloração amarelo-pálido e um delicioso aroma floral intenso.

    Harmoniza bem com queijos, salmão e camarão.

    Deve ser servido na temperatura entre 12°C para melhor aproveitamento.

    Custa entre R$35,00 e 45,00.

    8 – Mont´arquato Cabernet Sauvignon Barbera Blend

    Proveniente da Itália é um vinho tinto produzido com uvas cabernet sauvignon e barbera, apresenta uma coloração rubi e um delicioso aroma de frutas vermelhas com um leve toque de ervas finas.

    Harmoniza bem com aves, massas e vitela. Deve ser servido na temperatura entre 16 e 18 °Cpara melhor aproveitamento.

    Preço aproximado de R$75,00.

    9 – Vinho Tinto Merlot Pinotage

    Proveniente da África do Sul, vem ganhando espaço nas casas brasileiras, é um vinho tinto produzido com uvas merlot e pinotage, de colocação vermelho rubi e com um aroma de frutas vermelhas maduras como amora e framboesa, um leve toque de ervas, especiarias e chocolate.

    Harmoniza bem com carnes vermelhas grelhadas e massas com molhos escuros.

    Deve ser servido na temperatura entre 17 °C para melhor aproveitamento.

    Seu preço é de R$55,00.

    10 – Quinta de Bons Ventos Tinto

    Um vinho de origem Portuguesa produzido com as uvas castelão, touriga nacional, camarate e tinta mipuda, possui um aroma de frutas maduras e um leve defumado, de cor rubi.

    Harmoniza bem com queijos, filés, risotos e tomates recheados.

    Deve ser servido na temperatura entre 17°C para melhor aproveitamento.

    O valor desta belezinha é de R$48,00.

    Porque o consumo de vinhos vem crescendo no Brasil?

    Para alguns brasileiros manter um vinho em casa é uma prática comum, prática essa que vem se popularizando nos últimos anos no Brasil, desde a compra de vinhos importados à vinhos nacionais.

    Com as compras online, o vinho está entre os itens mais adquiridos pelos brasileiros, seja para inovar na cozinha ou simplesmente para degustação, não se restringindo apenas a ocasiões festivas, fazendo parte do consumo diário ou semanal de alguns brasileiros.

    Existe uma grande quantidade de rótulos e sabores disponíveis no mundo e no nosso país, que tem feito presença na casa de muitos brasileiros, hoje nós vamos falar um pouco dos dez vinhos mais vendidos ultimamente, para que você possa conhecer e quem sabe se tornar um apreciador de vinhos.

    O mercado de vinhos vem crescendo no Brasil, mostrando que os brasileiros têm bom gosto e estão dispostos a aprender à apreciar um bom vinho, desde o tradicional vinho tinto ao vinho branco e o pouco mencionado rosé, todos estão ganhando espaço na lista de compras dos brasileiros por diversos motivos.

    O consumo de vinho tem se tornando comum, com certeza você já se deparou com algum conhecido nas redes sociais degustando um bom vinho ou já faz parte dos mais novos consumidores.

    Agora que você já sabe quais são os vinhos mais vendidos e com quais alimentos eles harmonizam, que tal dar uma chance para esse mundo saboroso e degustar um bom vinho, seja no jantar, uma comemoração ou simplesmente para relaxar em uma sexta-feira em casa.

    Referências:

    https://www.wine-searcher.com/regions-brazil

    https://www.winecountry.com/blog/brazil-wine-facts/

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • remedio-suave-combina-com-o-que-tipos-de-como-e-feito-seco-harmonização-beneficios-do-antes-de-dormir-ou-tinto-bom-e-barato
    Curiosidades

    10 Ótimos Motivos Para Apreciar os Vinhos Brancos

    Saiba por que os entendidos preferem mais brancos que tintos

    Ainda existe um grande preconceito das pessoas aqui no Brasil para com os vinhos brancos, há quem diga, inclusive, que vinho bom é vinho tinto, isto é um grande engano.

    O clima tropical de nosso país, faz com que frutos do mar, peixes, saladas e frutas sejam parte de nosso cardápio e os vinhos brancos harmonizam muito bem com este tipo de alimento.

    De forma discreta o consumo desta bebida vem crescendo dia a dia em nosso país, e várias opções de brancos importados também já podem ser encontradas em mercados e sites.

    Neste artigo temos muita informação e curiosidades sobre eles, e se você é daquelas pessoas que torcem o nariz quando o quesito é este tipo de vinho, vamos fazer você mudar de ideia, com toda a certeza.

    O clima interfere na escolha entre vinhos?

    Com certeza interfere. Climas quentes e altas temperaturas pedem vinhos mais refrescantes, mais leves ao paladar e devem ser servidos em temperaturas mais baixas.

    Os vinhos brancos costumam ser servidos mais frios, frescos e até gelados, variando entre 8ºC e 10ºC. Além disso, quanto mais baixa for a temperatura, mais frutado será o seu sabor.

    Já climas frios e baixas temperaturas requerem vinhos com um maior teor alcoólico e que devem ser servidos em temperatura ambiente.

    Como ele é usado na gastronomia?

    O segredo da harmonização entre a bebida e alimentos está no equilíbrio entre o peso da comida e o peso do vinho. Por exemplo, os mais encorpados e densos como o sauvignon, devem ser servidos juntamente com pratos leves e delicados. Já os vinhos leves harmonizam melhor com pratos mais pesados.

    A harmonização baseia-se em dois conceitos: harmonização por contraste e harmonização por semelhança. Em ambas, deve-se levar em conta o sabor dos alimentos quanto ao gosto, o aroma, a textura, a cor, a temperatura e a intensidade.

    Algumas técnicas utilizadas são:

    • Doçura ameniza acidez;
    • Acidez ameniza gordura;
    • Salgado ameniza doçura;
    • Tanino ameniza gordura e suculência.

    De forma geral pode-se dizer que vinhos brancos harmonizam bem com aves, peixes, saladas, frutos do mar, massa com molho branco e queijos de massa mole.

    Faz bem para saúde, como?

    Sim, inúmeros são os estudos científicos já realizados que comprovam os benefícios do vinho à saúde.

    O principal se deve a saúde cardiovascular. O resveratrol que é um polifenol presente na uva é capaz de reduzir o estresse oxidativo, ajuda no controle da pressão arterial, inibi a inflamação das veias, retarda a progressão da aterosclerose e ainda preveni a agregação plaquetária.

    Além disso, a bebida é capaz de prevenir o câncer e auxiliar no bom funcionamento do cérebro.

    Alguns estudos também apontam o vinho como importante componente para a prevenção de cáries e auxílio no emagrecimento.

    Para obter estes e outros mais benefícios atribuídos ao vinho é recomendável o consumo de uma taça ao dia, que para os amantes desta bebida alcóolica não será nenhum sacrifício, não é mesmo?

    Bom, depois de trazer estas informações todas a vocês, vamos ao título do texto: Dez motivos para apreciar vinhos brancos.

    Dez motivos para apreciar esta bebida

    Confira a seguir os 10 principais motivos pelos quais você deve incluir a ingestão de vinho branco no seu dia a dia.

    • 1 – Faz bem para a saúde: Como já mencionado acima, o consumo regular desta bebida, traz uma série de benefícios a saúde, em especial, na prevenção de doenças cardiovasculares. Além disso, estudos realizados na Universidade de Milão revelaram que algumas substâncias contidas nos vinhos brancos são capazes de prevenir a artrite reumática e a osteoporose.
    • 2 – Clima: Os brancos são mais refrescantes do que os tintos, e por este motivo devem ser servidos a temperaturas mais baixas. E países de clima tropical, tal como o Brasil, pedem a ingestão de bebidas em temperaturas mais baixas.
    • 3 – Queijos, vinhos e Fondue: Os vinhos brancos harmonizam muito bem com queijos devido a sua boa acidez e estrutura, sendo assim eles são ideias para serem degustados juntamente com receitas de fondue de queijo.
    • 4 – Gastronomia: Os brancos são mais versáteis no quesito harmonização do que os tintos. Estes vinhos harmonizam muito bem com:
    • Saladas;
    • Frutos do mar;
    • Doces;
    • Arpargos;
    • Choucroute;
    • Escargots;
    • Foie gras (escalope e terrine);
    • Cozinha chinesa;
    • Cozinha japonesa;
    • Cozinha tailandesa;
    • Rãs;
    • Risoto;
    • Pato;
    • Vitela;
    • Presunto cru.
    • Veja quantas combinações possíveis!
    • 5 – Bom gosto e bom senso: este item complementa o item anterior que trata da relação entre gastronomia e vinhos. De modo geral, as pessoas costumam pedir pela versão tinto em todas as ocasiões e de acordo com o que vimos acima, o branco é muito mais versátil do que o tinto, então deve-se ter bom senso na hora de escolher o vinho e deixar de lado a ideia de que só o tinto é que é bom, pois já deixamos claro que isto é apenas mito.
    • 6 – Serviço correto: Muitas pessoas acabam não gostando do vinho branco porque o consomem de forma incorreta. Os brancos requerem temperaturas mais baixas do que os tintos. As temperaturas variam de 6ºC para os brancos doces até 14ºC para os com mais idade. Além disso deve-se, sempre que possível, fazer uso de taças ovaladas, pois estas ajudam a valorizar o aroma da bebida.
    • 7 – Brancos de guarda: Eles não envelhecem, eles podem viver mais de uma década sem problemas. De modo geral, quanto mais doce o vinho mais longevo ele será.
    • 8 – Estilo: Atualmente são diversos os vinhos brancos disponíveis no mercado, tudo isto a fim de atender a todos os paladares e ocasiões. Existem atualmente os doces, semi-doces, secos, leves, encorpados, com aromas de baunilha, tostados, entre outros. Acompanhe abaixo alguns exemplares:
    • Verdes: Sauvignon blanc, Torrontés, Pinot grigio e Chablis AOC.
    • Encorpados: Vinhos barricados, Rieslings, Chardonnay, Alvarinhos, brancos do Rhône.
    • 9 – Diversidade: Como já mencionado, são diversas as opções de vinhos brancos já disponíveis no mercado atualmente. Então, se você é daquelas pessoas que só degustam tintos, dê uma oportunidade para os brancos, temos a certeza de que você encontrará um que agradará o seu paladar.
    • 10 – A cara do Brasil: já dizemos que o vinho branco é ideal para o clima tropical de nosso país e mais do que isto ele combina também com o temperamento comunicativo e afável de nossa população.

    Conclusão:

    Diante do exposto, acreditamos que deixamos claro a você que os vinhos brancos possuem qualidades que os tintos não possuem, sendo assim que tal dar uma chance para esta deliciosa bebida? Fica a dica!

    Referências:

    https://www.washingtonpost.com/news/to-your-health/wp/2015/10/13/new-thinking-about-health-benefits-of-white-wines-could-they-be-as-good-as-reds-in-some-respects/

    https://www.boldsky.com/health/wellness/2018/10-health-benefits-of-white-wine-you-probably-didn-t-know-120790.html

    https://www.winebags.com/50-Seriously-Awesome-Reasons-To-Drink-More-Wine-s/1856.htm

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • moscatel-lambrusco-tinto-italiano-brut-garibaldi-branco-salton-significado-barato-chandon-wikipedia-mini-nature-extra-brut-sec-semi-doce
    vinhos

    Os 15 Melhores Espumantes Bons e Baratos Para Comprar

    No celular gire a tela para ver a tabela completa

    PosiçãoEspumantePreçoOnde comprar
    1Cava Cordón NegroR$70,00Ver
    2Brut Nature da Louis RoedererR$950,00Ver
    3Imperial Brut da Moët & ChandonR$450,00Ver
    4Prosecco Valdobbiadene da Villa SandiR$199,00Ver
    5Veuve Clicquot Yellow LabelR$400,00Ver
    6Moscatel da AuroraR$33,00Ver
    7Art Tradicional da Casa ValdugaR$64,00Ver
    8Natural Branco Nature da Georges AubertR$87,00Ver
    9Lucia Canei da SaltonR$240,00Ver
    10Moscatel da Santa AugustaR$62,40Ver
    11Chandon Riche Demi-SecR$76,00Ver
    12Millésime Brut da MioloR$139,00Ver
    13Garibaldi Prosecco RoséR$33,16Ver
    14Moscatel da Casa PeriniR$46,90Ver
    15Cave Geisse NatureR$106,00Ver

    Confira as principais marcas francesas, italianas e do sul do Brasil

    Quando você pensa em espumante, qual é a primeira coisa que lhe vem à cabeça?

    Comemorações, certo? Essa bebida é frequentemente usada em festas como natal, ano novo ou a celebração de alguma data especial e se tratando de um evento tão importante, é preciso escolher a melhor opção.

    Não se esqueça na hora de comprar, em verificar a classificação do teor de açúcar em g/l objetivando a harmonização, isto é, Nature ( 3 ), Extra Brut ( 3 e 8 ), Brut ( 8 e 15 ), Sec ( 15 e 20 ), Demi-Sec ( 20 e 60 ) e Doce ( acima de 60).

    Se você deseja comprar, mas não sabe por onde começar, estamos aqui para te ajudar. Logo abaixo, separamos os melhores espumantes internacionais e nacionais para você escolher. Vamos a eles?!

    1 – Cava Cordón Negro

    A partir de R$70,00.

    Vamos começar essa lista com uma opção bem em conta de um espumante internacional.

    Esta é uma bebida refrescante e leve, com um aroma de frutas cítricas, além de uma acidez bem equilibrada. Seu tom é de um amarelo claro e detém borbulhas bem pequenas.

    Se deseja fazer dele um acompanhante, ele vai bem com massas, risotos e carnes.

    Prós:

    • Custo-benefício;
    • É um excelente acompanhante.

    Contra:

    • Deve ser servido em temperaturas bem baixas.

    2 – Brut Nature da Louis Roederer

    A partir de R$950,00.

    Se procura por um espumante de excelente qualidade, então o Brut Nature é para você.

    Esse selo é produzido pela Louis Roederer, produtora de vinho com dois séculos de idade.

    Além de ganhar destaque pelo seu sabor único, ele ganha holofotes por ser uma parceria da marca com o famoso designer francês, Philippe Starck, que trabalhou na garrafa da bebida.

    É um espumante com quase nenhuma porcentagem de açúcar. É fresco, mas tem um sabor mais amargo e com notas de especiarias.

    Claro que com tantos pontos fortes, tudo isso se refletiria no custo. Sendo assim, se deseja adquirir uma garrafa de Brut Nature, prepare-se para colocar a mão no bolso.

    Esse espumante chega a custar quase mil reais.

    Pró:

    • Espumante de alta qualidade.;

    Contras:

    • Altíssimo custo;
    • Gosto amargo – pode causar estranhamento para quem está acostumado com sabores mais adocicados.

    3 – Imperial Brut da Moët & Chandon

    A partir de R$450,00.

    Se além de se interessar por bons espumantes você também gosta de consumir itens históricos, então o Imperial Brut da Moët & Chandon é pra você.

    O selo leva esse nome como uma homenagem a Napoleão Bonaparte, que era um “fã” assumido da marca, que foi criada em 1743. Legal, não? Imagina ter um importantíssimo monarca apreciador de sua bebida?!

    O espumante possui as características clássicas de um brut, secura média e não muito doce. Detém uma coloração dourada, aroma de frutas frescas e delicadas bolhas.

    Por fim, trata-se de um espumante bem versátil, combinando com saladas até peixes e outros tipos de carne branca.

    Prós:

    • Alta qualidade;
    • Ótimo acompanhante para vários tipos de comidas.

    Contra:

    • Alto custo.

    4 – Prosecco Valdobbiadene da Villa Sandi

    A partir de R$ R$199,00.

    Para quem procura prosecco não pode deixar de experimentar o selo da Villa Sandi.

    De origem italiana, a vinícola é uma das marcas mais reconhecidas quando o assunto é esse tipo de espumante.

    O Valdobbiadene detém um sabor fresco e seco, ao mesmo tempo, que se prende a língua. Seu aroma exibe notas de flor de acácia e frutas, com uma coloração amarelo suave.

    Prós:

    • Um dos melhores proseccos italianos;
    • Ótimo custo-benefício.

    Contra:

    • Deve ser servido em baixíssima temperatura.

    5 – Veuve Clicquot Yellow Label

    A partir de R$400,00.

    O Veuve Clicquot Yellow Label é um dos produtos mais conhecidos da vinícola Veuve Clicquot. Este começou a ser fabricado em 1772.

    A bebida leva cerca de 3 tipos de uva, sendo a pinot noir a mais presente, com cerca de 55% de porcentagem. Produz pequenas bolhas, sua cor é dourada, com um aroma frutado e um sabor ácido e bem marcado.

    Se estava à procura de um acompanhante para frutos do mar e massas, você acabou de encontrá-lo.

    Prós:

    • Um bom acompanhante de massas e frutos do mar.

    Contra:

    • Alto custo.

    6 – Moscatel da Aurora

    A partir de R$33,00.

    Terminadas as opções de espumantes internacionais, vamos, agora, às “crias” nacionais. E a nossa primeira opção já começa com uma ótima vantagem: custo-benefício!

    Você consegue comprar um espumante Moscatel da Aurora gastando a partir de R $33 reais. Além do ótimo preço, essa bebida produzida em Bento Gonçalves conta com um corpo equilibrado e preserva a acidez natural das uvas – moscato Bianco e Giallo.

    É perfeito para quem não gosta de bebidas com alto teor alcoólico, além de causar um belíssimo visual quando servido na taça.

    Ao contrário dos citados aqui, esse espumante vai bem não só com salgados, mas com doces também, como tortas, fondues e outras sobremesas que levem chocolate em sua produção.

    Prós:

    • Ótimo custo-benefício;
    • Combina bem com comidas salgadas e doces.

    Contra:

    • Deve ser servido em baixa temperatura.

    7 – Art Tradicional da Casa Valduga

    A partir de R$64,00.

    Mais uma opção bem em conta de um Espumante brasileiro. O Art Tradicional é um rosé produzido com uvas selecionadas do tipo Chardonnay e Pinot Noir. Seu sabor refrescante e agradável vem da sua maturação de um ano em caves subterrâneas.

    Como acompanhante, cai como uma luva em pratos mais leves, como molho branco, carnes e peixes.

    Prós:

    • Bom custo-benefício;
    • Baixo teor alcoólico.

    Contra:

    • Deve ser servido em torno de 4 °C.

    8 – Natural Branco Nature da Georges Aubert

    A partir de R$87,00.

    O Nature da Georges Aubert é um espumante feito com uvas Chardonnay. Com um toque seco, mas equilibrado e um sabor refrescante com notas de frutas, o vinho solta diversas borbulhas quando servido.

    O gosto frutado vem para harmonizar a acidez natural da uva. Não deixa nada a desejar no seu aroma, que com certeza vai te conquistar.

    Se está pensando em fazer uma noite com sushi, frutos do mar ou Ceviche, esse espumante é a escolha certa.

    Prós:

    • Sabor frutado;
    • Ótimo custo-benefício.

    Contra:

    • Deve ser servido, no mínimo, entre 6 e 8 °C.

    9 – Lucia Canei da Salton

    A partir de R$240,00.

    Para quem adora garrafas com design bem trabalho, o Lucia Canei já vale muito a pena. Produzido na Serra Gaúcha, a Salton vem ganhando destaque no Brasil por produzir vinhos de ótima qualidade.

    Este espumante é um Brut rosé, ou seja, detém todas as características de um brut, mas sua coloração é de um tom rosado. O aroma exala notas de frutas vermelhas e rosas, já seu sabor sofisticado remete a amêndoas torradas, mel e frutas secas.

    Prós:

    • Belíssimo design da garrafa;
    • Sabor adocicado e refrescante.

    Contra:

    • Preço mais elevado.

    10 – Moscatel da Santa Augusta

    A partir de R$62,40.

    Para quem gosta de bebidas adocicadas, pode apostar no Moscatel da Santa Augusta sem medo.

    Por conta dessa característica, esse espumante se torna uma combinação perfeita para acompanhar as sobremesas à base de frutas.

    Para quem prefere combinar com salgados, não tem problema. O alcoólico vai bem igualmente com queijo gorgonzola e roquefort.

    Prós:

    • Paladar adocicado;
    • Ótimo acompanhante para doces e salgados;
    • Possui bom custo-benefício.

    Contras:

    • Baixo teor alcoólico;
    • Pode desagradar quem prefere um sabor não tão doce.

    11 – Chandon Riche Demi-Sec

    A partir de R$76,00.

    Apesar do nome internacional, esse Chandon é produzido em terras brasileiras, e nem por isso deixa a desejar no quesito qualidade. A empresa chegou ao Brasil em 1973 e desde então vem produzindo ótimos espumantes.

    O Demi-Sec possui um gosto suave e levemente doce, o que com certeza vai agradar quem prefere bebidas mais adocicadas. Seu aroma detém notas de laranja, mel, baunilha e damasco.

    Como acompanhante, ele é bem versátil. Vai muito bem com pratos agridoces, picantes, queijos fortes e até sorvete de creme. Sem esquecer que este é considerado um dos melhores espumantes brasileiros, então com certeza vale o investimento.

    Prós:

    • Ótimo custo-benefício;
    • Sabor adocicado;
    • Combinada bem com doces e salgados.

    Contra:

    • Por conter gosto e aroma doce, pode desagradar quem prefere algo não tão adocicado.

    12 – Millésime Brut da Miolo

    A partir de R$139,00.

    É claro que o que importa é o conteúdo, mas não podemos menosprezar a beleza de algumas garrafas de espumante, e este é o caso da Millésime Brut, da Miolo.

    Com um design simples e minimalista, este item com certeza será um bela peça decorativa depois que for degustado.

    Quanto ao conteúdo, a bebida é um espumante de qualidade, possui uma cor amarelo palha e produz bolhas constantemente. Seu aroma é cítrico em conjunto com notas de envelhecimento. Já o sabor é considerado complexo, por ter acidez equilibrada, mas que cai muito bem no paladar.

    Ele é perfeito para acompanhar frutos do mar e aperitivos.

    Prós:

    • Alta qualidade;
    • Design da garrafa muito bem elaborado.

    Contras:

    • Alto custo;
    • Sabor ácido pode ser um problema para quem não está acostumado.

    13 – Garibaldi Prosecco Rosé

    A partir de R$33,16.

    Esse Prosecco da Garibaldi é descrito como refrescante, delicado e cremoso. E as qualidades não param por aí, este é o primeiro Prosecco produzido no Brasil, mas precisamente na região sul do país.

    A bebida leva em sua composição uma elaborada seleção de uvas do tipo Pinot Noir.

    É um vinho refrescante e com uma acidez equilibrada. O aroma é uma combinação de frutas cítricas, morango e flores. Não é à toa que ele é considerado um dos melhores espumantes brasileiros.

    Pró:

    • Excelente custo-benefício.

    Contra:

    • A acidez pode ser um problema para quem não está acostumado.

    14 – Moscatel da Casa Perini

    A partir de R$46,90.

    Para quem relaciona custo com qualidade, ou seja, quanto mais caro, melhor, vai se surpreender com esse espumante.

    Ele foi considerado o quinto melhor vinho do mundo em 2017, e não chega a custar R$ 50 reais. Nem sempre a qualidade está relacionada ao preço.

    Uvas moscatéis são usadas na sua produção, estas são cultivadas em Farroupilha, no sul do Brasil. É uma bebida fina com uma doçura equilibrada. Seu aroma possui notas florais e de fruta.

    Vai muito bem com carne de porco, vegetais e sobremesas.

    Prós:

    • Ótimo custo-benefício;
    • Considerado um dos melhores vinhos espumantes do mundo.

    Contra:

    • Valor alcoólico bem baixo – 7,5%.

    15 – Cave Geisse Nature

    A partir de R$106,00.

    O Cave Geisse, produzido pela vinícola Geisse, é um vinho de altíssima qualidade.

    Seu maior diferencial é que a bebida não leva açúcar, o que resulta em um sabor para lá de diferente e único.

    É a escolha perfeita para acompanhar queijos, massas e frutos do mar.

    Prós:

    • Sabor único;
    • Ótimo custo-benefício

    Contra:

    • Como não leva açúcar, pode desagradar os amantes de bebida doce.

    Se era opção de espumante que você queria, agora o que não faltam são alternativas de qualidades e com preços para todos os bolsos.

    Se puder, experimente todos na nossa lista, afinal, ampliar os conhecimentos sobre esse vinho não é, nem de longe, uma má ideia.

    Onde Comprar no Brasil? Qual o preço de cada garrafa?

    Você pode achar que por se tratar de opções internacionais, vai ser difícil achá-los no Brasil. Mas sabemos que hoje em dia, isso não é mais um problema.

    É possível tanto importar espumante quanto comprá-los em lojas nacionais que trabalham com produtos internacionais.

    Sendo assim, você irá encontrar o seu espumante tanto em adegas especializadas, quanto em Marketplace, como Submarino, Americanas, Shoptime, etc.

    Quanto a valores, isso vai variar conforme a sua escolha. Como dito, tudo vai depender do espumante escolhido.

    Referências:

    https://www.townandcountrymag.com/leisure/drinks/g25618518/best-sparkling-wine/

    https://www.winecountry.com/blog/sparkling-wine-vs-champagne/

    https://www.onehopewine.com/shop/wine/wine-sparkling/

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • chandon-região-moet-champanhe-valor-preço-cor-verdadeiro
    Curiosidades

    Nem Todo Espumante é um Champagne? Descubra as Diferenças

    Veja tudo sobre os Champagnes, sua origem, produção e diferenças

    O que é?

    Naturalmente associado a comemorações, o champagne tem um caráter festivo, seja pelo fato de ser borbulhante, seja por conter multisabores numa mesma taça ou por qualquer outra razão.

    É produzido, em linhas gerais, pela mistura de três tipos de uva: Chardonnay, Pinot Noir e Pinot Meunier, mas dependendo da região de fabricação, essa composição básica sofre alterações nos percentuais de composição.

    Desde os primórdios da sua criação, essa é uma bebida de prestígio, pois sempre esteve associada à nobreza e à monarquia. Foi consumido, por exemplo, no batismo de Clóvis em Reims no século V. Posteriormente, a coroação deste estabeleceu o início do Reino da França.

    Um outro fator que contribuiu na consolidação do status da bebida foi que quase todos os reis franceses foram coroados em Reims – cidade mais importante da região de Champagne, precisamente na catedral Notre – Dame de Reims, cuja construção vem aproximadamente de 1225. Nas comemorações, a bebida borbulhante sempre se fazia presente.

    Desde então, tornou-se o vinho oficial das comemorações monárquicas e passou a ser conhecido como “o vinho dos Reis e o rei dos vinhos”.

    Ao longo de todos esses séculos, essa bebida manteve sua personalidade festiva, elegante e sofisticada. Onde havia comemoração, lá estava a inconfundível taça alongada borbulhando de charme.

    Sua fama e produção foram se alastrando mundialmente com o passar do tempo. No entanto, há um consenso de que mesmo com essa enorme popularidade, apenas e exclusivamente é considerado Champagne a bebida que foi totalmente produzida nessa região homônima da França.

    Essa foi uma determinação dos produtores locais, pois o borbulhante lá produzido era superior em qualidade aos produtos oriundos de outras regiões mundiais.

    Existe também a variedade efervescente chamada ProSecco, o qual também sofre “erros” na utilização da denominação. ProSecco nada mais é que uma uva de origem italiana.

    Essa uva, no entanto, não tem sua produção restrita ao seu país originário. Ao contrário, ela é produzida no mundo inteiro. E, para ser considerado um ProSecco, a bebida deve obrigatoriamente conter essa uva em sua composição.

    Como foi a origem da bebida, qual a sua história?

    Não se pode esquecer que o Champagne é, antes de tudo, um vinho. Em razão da fama consolidada dessa bebida, passamos a acreditar que são duas bebidas distintas, quando na realidade a diferenciação se faz de outra forma: esses são os vinhos “efervescentes”, diferentemente dos demais.

    A História nos conta que nas primeiras uvas vinícolas já eram cultivadas no Império Romano.

    Os “efervescentes” já eram de conhecimento de alguns produtores muito antes do aparecimento oficial da bebida. Existem registros do ano de 1530, quando monges da Abadia de Saint Hilaire, na região central do país, conseguiram inventar uma bebida borbulhante à base de uvas.

    No entanto, como ainda não possuíam o conhecimento do correto armazenamento, com a preservação das famosas bolhas, o jeito era consumi-lo logo após a fermentação.

    Um século se passaria até que fosse dominada a técnica de preservar a bebida com sua característica tão peculiar.

    Ainda nos dias de hoje essa região de Saint Hilaire produz espumantes, os quais são nomeados “Blanquette de Limoux”.

    O mito de Dom Pérignon

    Quem nunca ouviu falar nesse nome?

    Ele foi um monge beneditino que viveu de 1639 a 1715 e levou erroneamente a fama de ter sido o inventor do champagne. Na verdade, ele tentou encontrar uma maneira correta e eficiente de armazenar a bebida borbulhante, pois as garrafas sempre explodiam no processo de fermentação.

    Diz a lenda que, ao peregrinar na região da Abadia de Saint Hilaire, tomou conhecimento de uma bebida efervescente fabricada ali e, ao experimentá-la, disse a célebre frase “Estou bebendo estrelas!”

    Existem cinco fatores importantes em todo o processo de fabricação e armazenagem que são atribuídos a Dom Pierre Pérignon:

    • A substituição por garrafas de vidro mais espessas, garantindo assim a segunda fermentação que ocorre na própria garrafa, com uma pressão mais reforçada;
    • A mistura de diversos vinhos da região, buscando uma maior harmonia do produto;
    • A utilização de rolhas de cortiça originárias da Espanha. Com isso, aposentou-se o sistema até então utilizado: pauzinhos de cânhamos úmidos de azeite;
    • O estabelecimento de um modo diferenciado de separação e prensagem das uvas pretas, que prevalecem na região, proporcionando assim um sabor original à bebida;
    • A construção de enormes adegas subterrâneas que hoje se estendem por quilômetros e quilômetros e são de uso geral e comum a todos os produtores, para permitir um adequado repouso e envelhecimento da bebida.

    Pode-se facilmente concluir a partir das observações acima que o monge Dom Pérignon não realizou a descoberta do champagne em si, mas contribuiu com melhorias e avanços na produção e qualidade do mesmo, nas mais diversas etapas da sua fabricação.

    Não é à toa que a bebida que leva seu nome é uma das mais bem reputadas, hoje em dia!

    Como é produzido e feito o champagne?

    Ao longo de todos esses séculos, as etapas do procedimento de fabricação do champagne mantiveram-se quase sem grandes alterações.

    Esse é um processo longo, dispendioso e caro, o qual envolve uma série de regras e etapas rigorosas que precisam ser respeitadas e obedecidas para merecer ostentar o rótulo de “Champagne” na embalagem.

    Um dos requisitos iniciais é que ele deve ter necessariamente as três uvas já citadas, duas tintas (Pinot Noir e Pinot Meunier) e uma branca (Chardonnay). Nas duas primeiras, o vinho elaborado sem sua casca é um vinho branco.

    Também devem estar dentro dos limites geográficos estabelecidos pelo governo francês para tal objetivo de cultivo.

    Todo o sistema de plantação e produção é minuciosamente controlado e inspecionado a cada etapa por um órgão chamado “Comité Interprofessionnel du Vin do Champagne” composto por alguns produtores e comerciantes do famoso espumante.

    Além disso, a bebida tem o seu sistema peculiar de fermentação, nomeado “champenoise”, onde o segundo processo de fermentação ocorre dentro da própria garrafa, enquanto nas outras bebidas as etapas da fermentação ocorrem em toneis de barris de aço inoxidável ou madeira (método “charmat”).

    Será nesta segunda fermentação que a bebida desenvolverá as famosas borbulhas (em francês, “perlage”) de gás carbônico. Na etapa de armazenamento, a garrafa é colocada diagonalmente de cabeça para baixo, tendo uma rotação lateral diária de 90º, facilitando com isso o desprendimento da borra formada.

    Esse processo se chama originariamente “Remuage” e foi introduzido na indústria de bebidas pela famosa Madame Clicquot.

    A Famosa Viúva Clicquot

    Tendo se tornado viúva precocemente aos 27 anos, Nicole Clicquot precisou arregaçar as mangas para aprender a gerir os negócios do falecido marido: atividades bancárias, comércio de lã e fabricação de champagnes.

    Ela então decidiu que manteria o foco na empresa das bebidas, concentrou nesse ramo sua atenção e começou a prosperar.

    Com isso, veio a técnica da “Remuage” que contribuiu em muito para deixar a bebida mais límpida e cristalina. Antes disso, a segunda fermentação ocorrida dentro da própria garrafa gerava um vinho excessivamente doce, com grandes bolhas e restos de levedura proveniente da fermentação.

    Seu aspecto não era visualmente agradável: a bebida era um tanto turva. Com a incorporação desta nova técnica ao sistema de produção, Madame Clicquot inovou e reacendeu todo o mercado de champagnes, tornando-se uma das empresárias mais ricas e bem-sucedidas de toda a Europa.

    Até hoje o produto leva seu nome: Veuve Clicquot

    Conheça a região da França: Champagne!

    A célebre bebida foi batizada com o nome da cidade onde surgiu.

    Localizada no norte da França, precisamente a 145 quilômetros na direção nordeste da charmosa capital Paris, essa é uma região bucólica, como não poderia deixar de ser, dada a presença de tantos vinhedos.

    Os romanos antigos chamavam de “Campagnia”, em latim, essa porção de terras situadas ao norte de Roma.

    Desde os primórdios do Império Antigo, ali eram produzidos os vinhos, embora os borbulhantes só viessem séculos a surgir mais tarde.

    Vindo de Paris de carro, é possível chegar em cerca de duas horas nesta região e há trens que podem fazer esse trajeto ainda mais rapidamente. Há opções de saídas diárias, partindo do Gare du Nord e indo diretamente até Reims ou Éparnay.

    A fronteira com a Bélgica, ao norte, a coloca em vantagem geográfica estratégica no planejamento dos pontos de parada de uma viagem pela Europa.

    A região é dividida em quatro “departamentos”, conforme denominação local: Aube, Ardennes, Alto Marne e Marne.

    Sua extensão geográfica vai desde a fronteira com a Bélgica até a nascente do Rio Sena, se estendendo por vales, florestas temperadas e planícies férteis, onde se pode apreciar todo o charme da França.

    Além de visitar caves e participar de degustações da bebida, existem inúmeras opções de construção para visitar, tais como igrejas, monumentos, museus, além de excelentes restaurantes.

    A Catedral Notre-Dame de Reims, por exemplo, é uma parada obrigatória. Sua história é antiga e muito rica. Ela é uma das catedrais góticas mais importantes da França e, com o forte poder religioso dessa época, já em 250 d. C., abrigava todo o bispado da região.

    Foi em 1211 que iniciou-se a construção da catedral como é conhecida nos dias atuais. Fachada gigantesca com detalhes que exigiam minuciosa atenção, além de eventos catastróficos como a Grande Peste e a Guerra dos Cem Anos acabaram por atrasar ainda mais a sua finalização.

    Ela teve a honra de ter sido o local de coroação de trinta e três reis da França em mais de mil anos de história.

    A região é uma das mais frias da França, com chuvas abundantes na primavera e no outono. O verão costuma ser bastante ensolarado.

    Em Linhas Gerais:

    Vale lembrar que o champagne é um produto de terroir, ou seja: muitas características particulares do produto provém da relação do mesmo com os fatores da natureza, tais como: clima, tipos de solos, umidade do ar, exposição ao sol, chuvas, etc.

    Cada região produz portanto o seu produto específico, com sabor peculiar.

    Muitas vezes, em razão de grandes mudanças climáticas, tais como muita chuva ou muita estiagem, um determinado ano de produção resulta num produto totalmente diferente no sabor ou até mesmo na cor de um mesmo produto, de ano anterior.

    Por isso, os preços costumam variar tanto de uma safra para outra.

    Um champagne bom, leva pelo menos dois anos para poder ser consumido, após o necessário “tempo de espera”. Uma especial leva cinco anos!

    Conforme determinação consensual entre os enólogos, o champagne é um corte, o que significa que é uma mistura de uma quantidade entre 30 e 200 vinhos prévia e oficialmente estabelecida e rotulada.

    Essa quantidade varia conforme o tipo da bebida. No tradicional, há cerca de 30% de corte (mistura) proveniente de vinhos brancos de uvas tintas.

    Um Rosé é uma mistura de vinhos tintos. O “Blanc des Blancs” apenas com uvas brancas e o “Blanc de Noir” é um corte apenas de uvas tintas.

    Tudo é rigorosamente determinado e preestabelecido.

    Por que Champagne?

    Essa bebida borbulhante preserva intactos seu charme e elegância milenares, além de ter seu lado histórico muito ligado à evolução da sociedade francesa, tendo participado ativamente de coroações e comemorações mais variadas.

    Nenhuma outra bebida reflete tão finamente o espírito francês de elegância, cultura e refinamento.

    Há champagnes variados para todos os gostos e bolsos, com valores que oscilam de 200 reais a 1 milhão de dólares por garrafa!

    O importante é sentir-se leve e feliz com a sua taça: esse é o espírito do champagne!

    Referências:

    https://joshuadopkowski.medium.com/what-is-champagne-52215ac0c619

    https://www.winecountry.com/blog/sparkling-wine-vs-champagne/

    https://vinepair.com/explore/category-type/champagne/

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • taça-crital-borgonha
    Curiosidades

    Top 12 Melhores Taças de Vinho para Comprar

    No celular gire a tela para ver a tabela completa

    PosiçãoTaçaPreçoOnde Comprar
    1Kit 6 un. vinho tinto Clássico 245 OxfordR$199,00Ver
    2Kit 6 un. Borgonha Ivento SchottR$ 215,00Ver
    3Kit 6 un. Bordeaux Schott ZwieselR$410,00Ver
    4Prestige Rona para champanheR$19,39Ver
    5Kit 4 un. Flute Style SpiegelauR$ 135,00Ver
    6Kit 6 un. Gastro Bohemia para champganeR$79,11Ver
    7Gastro Bohemia para vinho branco em cristalR$70,00Ver
    8Kit 6 un. Spiegelau Special ClassesR$219,00Ver
    9Kit 6 un. Salute Spiegelau para vinho brancoR$219,00Ver
    10Kit 6 un. ISO Cristal Gastro BohemiaR$78,00Ver
    11Kit 4 un. Riedel Vinum para vinho tintoR$359,00Ver
    12Kit 6 un. Sensus Schott ZwieselR$323,00Ver

    Confira a resenha dos modelos, material, formato e volume para cada tipo de vinho e champagne

    Na hora de tomar vinho, seja ele tinto, seco, rosé ou espumante, não é só o conteúdo que importa, onde ele será servido também deve ser levado em consideração, pois assim você poderá aproveitar todos os traços oferecidos pela bebida.

    Sendo assim, escolher uma boa taça com certeza vai aumentar sua experiência na hora de provar um vinho. Com isso em mente, logo abaixo fizemos uma lista com as melhores opções para você ter em casa.

    Quais são as melhores para vinho tinto?

    1 – Kit com 6 para vinho tinto Clássico 245 Oxford

    champagne-preço-de-água-de-cristal-para-espumante-taças

    A partir de R$ 199,00.

    Esse conjunto da Oxford é a releitura de um clássico. Esse “novo” modelo ganhou mais delicadeza na haste e traços mais ousados e modernos, o que sai um pouco daquele padrão mais tradicional.

    Ela é feita em cristal e comporta até 390 ml de vinho tinto.

    Claro que você pode optar em comprar taças de forma individual. Mas se você tem o costume de chamar os amigos para um jantar ou algo do tipo, o conjunto é muito mais vantajoso.

    Prós:

    • Qualidade;
    • Comporta bastante volume.

    Contra:

    • Alto custo.

    2 – Kit de seis peças – Borgonha Ivento Schott

    taça-de-tulipa-champagne-preço

    A partir de R$ 215,00.

    Como o próprio nome já dá a entender, esse conjunto é ideal para servir vinho do tipo Borgonha. Ao escolher esse kit, a experiência de consumir um rótulo francês de 600 anos será ainda melhor.

    Seu bojo maior foi projetado justamente para proporcionar um melhor aproveitamento deste selo.

    Outro diferencial é que os objetos foram confeccionados com cristal titan, oferecendo mais brilho e resistência à peça.

    Ela comporta até 783 ml de vinho.

    Prós:

    • Qualidade;
    • Comporta alto volume;
    • Resistência e brilho.

    Contra:

    • Alto custo.

    3 – Bordeaux Schott Zwiesel – 6 unidades

    taça-de-tulipa-champagne

    A partir de R$ 410,00.

    Essa foi criada para ressaltar todos os sentidos do consumidor. Seu tamanho permite que os vapores do vinho se desenvolvam.

    Feita com Cristal titan sem chumbo e bário, o material também faz com que ela seja mais resistente.

    Seu volume é de 591 ml.

    Prós:

    • Melhora ainda mais a qualidade do vinho;
    • Não leva chumbo/bário na sua composição.

    Contra:

    • Valor alto.

    Para espumantes e champanhes, quais são as melhores?

    4 – Prestige Rona para champanhe

    de-água-de-cristal-para-espumante-taças-vinho

    A partir de R$ 19,39 a unidade.

    Como dito anteriormente, você tem a opção de comprar taças separadamente, como essa da Rona, elaborada para consumir espumantes e champanhes.

    Seu tamanho e formato permitem que você aproveite muito melhor o borbulhar da sua bebida.

    Ela é resistente e conserva os melhores traços do alcoólico.

    Como as taças para espumantes são menores, seu volume é de 210 ml. E não esqueça de seguir nossa dica, quanto menos bebida no acessório, mais tempo ela permanecerá gelada.

    Prós:

    • Bom custo-benefício;
    • Resistente.

    Contra:

    • Tamanho pequena.

    5 – Kit com quatro – Flute Style Spiegelau

    champagne-preço-de-água-de-cristal-para-espumante

    A partir de R$ 135,00

    Para quem prefere comprar conjuntos, o kit da Spiegelau é uma boa alternativa.

    Seu formato conserva as bolhas e o gosto do espumante.

    A superfície super lisa impede que qualquer elemento fique preso a ela depois de lavada. Além disso, a altura vai fazer você ter uma bela visão do seu champanhe.

    Seu volume é de 240 ml.

    Prós:

    • Qualidade e resistência;
    • Melhora a degustação do espumante.

    Contras:

    • Pequena;
    • Alto custo.

    6 – Seis taças para champanhe – Gastro Bohemia

    preço-de-água-de-cristal-para-espumante-taças-vinho

    A partir de R$ 79,11.

    Feita de cristal, essas peças da Bohemia são altas e com bordas resistentes. Além disso, é um acessório eco friendly, feito com material ecológico e sem chumbo na sua composição.

    A empresa trabalha com cristal há mais de 40 anos, ou seja, qualidade garantida!

    Prós:

    • Qualidade;
    • Produto eco friendly;
    • Bom custo.

    Contra:

    • Tamanho pequeno.

    As melhores para vinho branco!

    7 – Gastro Bohemia para vinho branco em cristal

    taça-de-tulipa-champagne

    A partir de R$ 70,00 (individual).

    Com o intuito de preservar os aromas do seu vinho branco, as taças da Bohemia possuem um bojo em formato de U. Isso também faz com que a temperatura da bebida permaneça estável por mais tempo.

    Prós:

    • Mantém temperatura e aroma do vinho branco.

    Contras:

    • Por ser de cristal, o valor pode ser um pouco alto.

    8 – Spiegelau Special Classes – Kit com seis peças

    taça-de-tulipa-champagne-preço

    A partir R$ 219,00

    Dois pontos fortes das taças da Spiegelau são beleza e durabilidade.

    Então, pode comprar sem medo que elas vão durar bastante tempo.

    Seu formato menor do que outras opções de taças para vinho branco destacam a acidez da bebida, além de proporcionar um equilíbrio perfeito na doçura típica desse tipo de vinho.

    Prós:

    • Durabilidade e beleza.

    Contra:

    • Alto custo.

    9 – Salute Spiegelau – para vinho branco, 6 peças

    champagne-preço-de-água-de-cristal-para-espumante-taças

    A partir de R$ 219,00.

    Esse conjunto de peças, também da Spiegelau, realça todos os aromas do vinho branco. Feito de vidro cristalino, as peças são resistentes, além de brilho e transparência. Tudo para melhorar a sua experiência!

    Prós:

    • Alta capacidade de volume;
    • Resistente.

    Contra:

    • Alto custo.

    Quais são as top taças ISO?

    10 – Kit com seis – ISO Cristal Gastro Bohemia

    champagne-preço-de-água-de-cristal-para-espumante

    A partir de 78,00.

    A vantagem das peças feitas em ISO, mesmo com o custo mais elevado, é que elas são perfeitas para qualquer tipo de vinho, o que com certeza é uma vantagem.

    Esse modelo da Bohemia foi feito com tecnologia usada em itens de degustação técnica. Ou seja, de altíssima qualidade!

    Possui um bojo alongado e estreito, além de ter uma ótima resistência.

    Prós:

    • Qualidade garantida;
    • Bom custo-benefício.

    Contra:

    • Volume não tão grande.

    11 – Kit para vinho Riedel Vinum

    preço-de-água-de-cristal-para-espumante-taças-vinho

    A partir de R$ 359,00.

    Para elaborar essa, a Riedel realizou diversas séries de degustação em Londres e na Áustria, com importantes especialistas em vinho do Porto, tudo isso para criar o formato perfeito.

    E esse esforço não foi em vão, o modelo fará com que você aproveite todos os detalhes de todos os vinhos, principalmente no quesito harmonia e concentração da fruta de cada bebida.

    Prós:

    • Qualidade;
    • Experiência única.

    Contra:

    • Alto custo.

    12 – Kit com seis peças – Sensus Schott Zwiesel

    taça-de-tulipa-champagne-preço-de-água-de-cristal-para-espumante-taças-vinho

    A partir de R$ 323,00.

    Feita em cristal titan, as taças da Schott Zwiesel garantem brilho, transparência e durabilidade. E já que servem para todos os tipos de vinhos, é um investimento ao qual você não irá se arrepender.

    Prós:

    • Qualidade e durabilidade;
    • Alto volume.

    Contra:

    • Alto custo.

    Degustar um vinho vai muito além de apenas consumir uma bebida alcoólica, e essa experiência pode ser ainda melhor se você escolher a taça certa para cada rótulo.

    Abaixo separamos uma sessão cheia de curiosidadaes sobre as taças, confira!

    Qual a origem e como surgiram as taças de vinhos?

    Sabe aquele dito popular, quando vamos nos referir a algum objeto, que fala: ele existe desde que o mundo é o mundo?

    Bom, podemos dizer o mesmo das taças de vinho.

    Elas existem desde que essa bebida foi criada, a única diferença está na sua forma.

    Lá atrás, uma das primeiras versões foi feita com argila e barro cozido. Já na era chamada de Bronze, elas eram produzidas com este material, juntamente com a madeira.

    No império romano, era comum os poderosos da época terem esse acessório fabricado em cerâmica ou prata. E na Idade Média, os nobres tinham o costume de adornar este objeto com jóias preciosas.

    Mas o modelo mais comum, o que conhecemos agora, ou seja, a de vidro, só surgiu por volta do século XV, precisamente em Veneza.

    Na época, a região era conhecida como a capital do vidro. Daí em diante, passou-se a utilizar esse material na confecção de taças.

    Como escolher a melhor e o que levar em conta?

    Com tantos séculos passados desde sua criação e com a evolução da humanidade e das tecnologias na hora de fabricar esse item, é óbvio que hoje em dia o que você mais tem na hora de comprar uma taça, são opções.

    Da mais barata a mais cara, em formato de kit ou individual, nas mais variadas formas.

    Com isso, pode parecer meio difícil escolher a correta, mas não é tão complicado quanto você imagina.

    Basta você levar em consideração qual vinho você vai consumir.

    Atualmente, você encontra no mercado quatro opções: para vinho tinto, branco, espumante e taça ISO.

    Com isso em mente, a escolha fica mais fácil!

    Para o consumo de vinho tinto, o ideal é você escolher taças altas e com boca e bojo largos. Isso porque essa bebida tem mais taninos e fortes aromas, o que faz com que o alcoólico precise respirar.

    Esse modelo vai permitir que entre mais ar no acessório, ativando todo o potencial do líquido.

    Este formato influencia até na forma como o vinho chega na sua língua. Ele fará isso de forma progressiva, suavizando o impacto natural que o tinto causa.

    Para vinho branco, é preferível que você opte por modelos menores e com bojo mais estreito. Isso permite que a bebida fique gelada por mais tempo, além de direcionar o aroma mais facilmente para o seu nariz.

    Esse formato também ajuda a bebida a ter menor contato com o oxigênio que, para este caso, é a situação ideal. A dica para servir esse alcoólico é colocar pequenas doses na taça, isso fará o líquido ficar gelado por mais tempo.

    Para espumante, opte por modelos com bojo comprido e estreito, tais características ajudam na preservação das borbulhas. Este formato também evita que o calor da sua mão esquente o espumante, assim como te ajuda a sentir o perlage, característica dessa bebida.

    E, por fim, temos a taça ISO. Este pode ser chamado de peça coringa, pois serve para todos os tipos de vinho. Ela é usada como padrão nas degustações internacionais.

    Seu formato com uma boca redonda e com laterais estreitas permite que você rode a bebida dentro do acessório, desprendendo todos os aromas do alcoólico sem desperdiçá-lo.

    Esperamos que tenha gostado das dicas, agora basta escolher um bom vinho, a taça certa e extrair o melhor de cada bebida!

    Referências:

    https://www.liquor.com/best-wine-glasses-4842347

    https://www.vogue.com/slideshow/best-wine-glasses-sommeliers-recommend

    https://www.wineware.co.uk/glassware/riedel/which-riedel-wine-glass-to-choose

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • vinho-biodinâmico-natural-onde-comprar-marcas-de-orgânico-preço-comprar-e-bom
    vinhos

    O que São Vinhos Naturais, Biodinâmicos e Orgânicos? Entenda suas Diferenças

    O que faz necessário do vinho para ter estas nomenclaturas?

    A busca por uma melhor qualidade de vida, tem levado muitas pessoas a escolher melhor os alimentos e bebidas que consumirão. Neste contexto, surgem os vinhos orgânicos, naturais e biodinâmicos. Mas afinal, qual é a diferença entre eles e o que eles têm diferente dos demais vinhos disponíveis no mercado?

    Confira a respostas para esta e demais perguntas a seguir.

    A agricultura é o ponto chave para a diferenciação entre estes vinhos. Antes do surgimento dos agrotóxicos (pesticidas, fungicidas e fertilizantes), os agricultores controlavam as pragas de suas culturas de forma natural, buscando sempre o equilíbrio entre as espécies que habitavam suas plantações.

    Entretanto, com o surgimento dos agrotóxicos, alguns produtores passaram a fazer uso deles em suas plantações, aproveitando o lado bom, ou seja, aumentando o lucro e reduzindo perdas, porém outros ainda dão preferência ao controle natural, ou seja, preferem fazer uso de uma cultura orgânica.

    O cultivo natural é o ponto comum dos três vinhos. Confira a seguir as diferenças e semelhanças entre eles.

    Vinhos Orgânicos

    Os vinhos orgânicos são produzidos a partir de uvas cultivadas de forma natural e orgânica, isto é, sem a utilização de qualquer tipo de agrotóxico no vinhedo. O manejo que ocorre no vinhedo se dá através de produtos naturais, assegurando assim um equilíbrio biológico.

    A principal preocupação da cultura orgânica se dá na preservação do solo de qualquer tipo de substância que não seja natural. Agindo assim, os produtores asseguram que os consumidores não irão ingerir nenhum tipo residual de algum pesticida nos vinhos produzidos por eles.

    Assim, o termo orgânico se refere não diretamente ao vinho, mas sim como ele foi produzido, no caso, na forma como as uvas foram cultivadas, de forma totalmente natural e sem a adição de agrotóxicos.

    Existem órgãos regionais e nacionais para fiscalizar e certificar este tipo de produção.

    A chilena Cono Sur é um exemplo de vinícola adepta a este tipo de procedimento.

    O primeiro vinho orgânico brasileiro é o Cabernet Sauvignon, produzido em 1977 por Juan Carrau, em Santana do Livramento ( RS ).

    Biodinâmicos

    Os produtores dos vinhos biodinâmicos se guiam em uma filosofia antroposófica, criada por Rudolf Steiner, em 1924, que indica que as culturas devem ser autossustentáveis, isto é, com a mínima interferência do homem e de aditivos.

    Sendo assim, além da cultura orgânica, isto é, sem a utilização de agrotóxicos, os produtores dos vinhos biodinâmicos seguem outras regras que estão descritas no livro “The Spiritual Foundation of Biodynamic Methods”. Durante o cultivo o produtor deve observar as fases da lua, as estações do ano e o sol sob a plantas, tudo isto influindo no processo produtivo.

    De acordo com este filósofo e esoterista, isto é necessário para que se tenha uma harmonia com o cosmo, a terra recupere sua energia vital e produza frutos que expressem as características próprias do local.

    Neste tipo de cultivo biodinâmico, o produtor não pode usar nenhum tipo de agrotóxico ou fertilizante, porém inicialmente poderá adicionar ao solo um preparo biodinâmico, que nada mais é do que uma fórmula natural a base de ervas medicinais e naturais.

    Domaine de La Romanée-Cont é um dos principais adeptos deste tipo de produção. Ele fabrica um dos vinhos mais caros e famosos do mundo.

    Assim como para os vinhos orgânicos, existem órgãos responsáveis pela fiscalização e certificação para este tipo de produção.

    Naturais

    Os vinhos tidos como naturais são aqueles feitos a partir da fermentação do mosto da uva de vinhas orgânicas por leveduras naturais sem qualquer tipo de intervenção. Neste caso, o enxofre é banido do processo e, algumas vezes, o envelhecimento em tonel de carvalho também.

    A principal característica deste tipo de vinho, além do cultivo orgânico das uvas, comum aos outros tipos de vinho mencionados acima, é a ausência de qualquer outro composto adicionado à bebida.

    De modo geral pode-se modificar a acidez, tanino, aspecto visual, aromas, sabores e textura de um vinho através da adição de produtos químicos, porém no caso do vinho natural, isto não pode ser realizado.

    Pode-se dizer que este tipo de vinho por não contar com a ação antisséptica do dióxido de enxofre é instável e sensível, sendo assim o produtor deve redobrar os cuidados higiênicos em sua vinícola.

    Diferentemente dos outros dois tipos de vinho mencionados acima, ainda não existe uma regulamentação para definir o termo “vinho natural”.

    Quais são as diferenças?

    Vamos começar falando das semelhanças, ou seja, o que estes três tipos de vinho têm em comum. A semelhança se refere ao tratamento do solo no qual são cultivadas as uvas, em todos eles a cultura utilizada é a chamada orgânica, isto é, aquela que é realizada livre de agrotóxicos. O controle de pragas ocorre de forma natural.

    O vinho orgânico e o biodinâmico, são bem parecidos. A diferença principal é que no biodinâmico ainda são levados em consideração as fases da lua e as estações do ano, todas as regras necessárias a este tipo de cultivo estão descritas num livro escrito pelo filósofo Rudolf Steiner.

    Já o vinho natural se difere do vinho orgânico e do vinho biodinâmico por não permitir a adição de nenhum produto químico ao vinho.

    No quadro a seguir estão resumidas as principais características destes três tipos de vinho.

    VinhoCulturaAdição de produtos químicos
    OrgânicoCultura orgânica, sem uso de agrotóxicosÉ permitida a adição de produtos químicos ao vinho
    BiodinâmicoCultura orgânica, sem uso de agrotóxicos, fases da lua, estações do ano são levadas em consideração tambémÉ permitida a adição de produtos químicos ao vinho
    NaturalCultura orgânica, sem uso de agrotóxicosNão é permitida a adição de produtos químicos ao vinho, sobretudo enxofre

    Estes vinhos são melhores ou piores do que os ditos “normais”?

    A resposta é depende, isto mesmo depende do ponto de vista do consumidor. De modo geral, o valor destes vinhos é maior do que o valor dos vinhos “normais”, tudo isto devido às alegações de serem mais saudáveis, cabe neste caso ao consumidor decidir se pagará ou não a mais por isto.

    Vale ressaltar que nem todos os vinicultores que adotam práticas orgânicas ou biodinâmicas vão em busca da certificação, visto que este é um processo demorado e dispendioso. Sendo assim, é importante sempre conhecer a história da vinícola da qual se pretende compra um vinho.

    Conclusão:

    Como dito no início, para quem está em busca de uma melhor qualidade de vida, e opta pelo consumo de alimentos mais naturais, isto é, livre de produtos químicos nocivos a saúde e que tem condições de pagar por isso, estas bebidas orgânicas, biodinâmicas e naturais são uma boa opção.

    Entretanto como também mencionado, infelizmente, a certificação para este tipo de produto leva um tempo e investimento, fazendo assim com que muitos produtores não vão atrás dela, mesmo assim eles aplicam as técnicas necessárias para a produção de um produto saudável.

    Em outras palavras o que queremos dizer é que o marketing em cima destes produtos tem sido grande, e que existem outros vinhos tão bons quanto estes, mas mais baratos. Por isto é importante saber a origem do vinho que se está adquirindo.

    Referências:

    https://www.winemag.com/2019/09/10/whats-the-difference-between-organic-and-biodynamic-wine/

    https://grandreserverewards.com/blog/what-is-natural-wine-organic-wine-or-biodynamic-wine

    https://www.foodandwine.com/wine/natural-wine-explained

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • melhor-champagne-do-mundo-2020-caro-espumante-chandon-francesa-do-brasil-marcas-famosas
    vinhos

    Os 10 Champagnes Mais Caros do Mundo

    No celular gire a tela para ver a tabela completa

    PosiçãoChampagnePreçoOnde Comprar
    12013 Taste of DiamondsR$6.756.000,00Ver
    21841 Veuve ClicquotR$202.200,00Ver
    3Moët & Chandon Cuvée Bi Centenary Cuvée Dry Imperial 1943R$4.000,00Ver
    4Luxor Brut 24K GoldR$2.000,00Ver
    5Krug Private CuvéeR$1.600,00Ver
    6Boërl & Kroff Brut RoseR$4.500,00Ver
    7Perrier Jouët Grand BrutR$330,00Ver
    8Moet Chandon Impérial BrutR$360,00Ver
    9Henriot Blanc De BlancsR$350,00Ver
    10Deutz Brut ClassicR$200,00Ver

    Essa é naturalmente a bebida das comemorações, desde tempos muito antigos. E esse é um costume há muito consolidado por vários povos de muitas nações.

    Na França, o champagne sempre embalou as coroações dos seus reis, as quais ocorriam na região com o mesmo nome da bebida.

    No entanto, engana-se quem acha que basta borbulhar para ser considerado como tal.

    Muito longe disso. Para início de conversa, somente é considerado um autêntico champagne a bebida que é produzida dentro dos limites geográficos estabelecidos para tal pelo governo francês.

    Além disso existem várias outras exigências que devem ser seguidas à risca para que as garrafas possam ter o privilégio de ostentar na embalagem o precioso rótulo “Champagne”.

    Sendo um produto de terroir, seus sabores podem se alterar consideravelmente de uma safra para outra, num mesmo produtor. É que a instabilidade de características da natureza, tais como chuvas, vento, sol, tipo de solo, costumam gerar algumas oscilações na qualidade do produto.

    Assim, podemos ter champagne de qualidade excepcional e outros apenas razoável dentro de uma mesma produtora.

    Se o champagne já é em si uma bebida refinada e chic, o que dizer então de uma lista com os dez mais caros?

    Puro requinte: não há palavra para definir o que seria esse mundo de sabores refinados e cheios de elegância que borbulha.

    Apresentamos abaixo uma lista mais “eclética”, com os 10 Mais Caros “para todos os bolsos”, por assim dizer.

    Conheça os nomes e marca mais famosas. Veja como é feito, a qual safra e região pertencem, seu preço e onde comprar

    1 – 2013 Taste of Diamonds

    Essa é a garrafa mais cara do mundo: US$1,2 milhões, ou seja, R$6.756.000,00!

    Em edição limitada, uma combinação das uvas Pinot Noir, Pinot Meunier e Grand Cru Chardonnay, essa é uma bebida refrescante, com toques florais e textura cremosa.

    Parece coisa simples, mas a garrafa foi desenhada pelo designer Alexander Amosu e é pura ostentação: o símbolo no rótulo foi esculpido em ouro 18 quilates e possui diamantes brancos nele cravejados de 10 quilates.

    2 – 1841 Veuve Clicquot

    Em 2010, 46 garrafas foram encontradas num navio naufragado, de uma safra de 1841.

    Essa é a garrafa mais antiga que existe e os lucros da sua venda foram doados para instituições de caridades e instituições de arqueologia marítima do mar Báltico.

    Seu preço de venda foi estimado em Euro 30.000,00, ou seja, R$202.200,00!

    3- Moët & Chandon Cuvée Bi Centenary Cuvée Dry Imperial 1943

    Especialmente criado para comemorar o Bicentenário dessa vinícola, cada exemplar desse champagne é avaliado em aproximadamente R$4.000,00.

    Donos de um prestígio inabalável, são os fornecedores oficiais da Família Real Britânica.

    4 – Luxor Brut 24K Gold

    Eis aí mais um produto com detalhe diferenciado, que o torna único: esse produto contém partículas de ouro de 24 quilates em suas borbulhas!

    Sendo sempre a combinação das uvas Chardonnay, Pinot Noir e Pinot Meunier, a garrafa sai por R$2.000,00.

    5- Krug Private Cuvée

    Opção elegante e refinada com aroma de flores, frutas secas e mel, num paladar sofisticado onde sentimos a espuma firme e macia.

    De grande versatilidade gastronômica, harmoniza bem com a maioria dos pratos. Seu tempo de armazenamento foi de 10 anos.

    Preço: cerca de R$1.600,00 a garrafa.

    6 – Boërl & Kroff Brut Rose

    De paladar intenso, ácido, e envolvente, essa bebida possui notas de frutas e especiarias.

    Essa marca é uma criação da Maison Drappier e, como a maioria dos espumantes, harmoniza com carnes de porco, mariscos e frutos do mar.

    Custa em torno de R$4.500,00.

    7 – Perrier Jouët Grand Brut

    Desde 1811, a Maison, fundada em Epernay é um símbolo de um estilo cheio de frescor, leveza e elegância.

    Refrescante e equilibrado, ele acompanha perfeitamente peixes, aves e mariscos.

    Custa em média R$330,00.

    8 – Moet Chandon Impérial Brut

    Um exemplar magicamente equilibrado, possui um aveludado toque de frutas suculentas como pera, melão e pêssego.

    Possui um paladar rico, elegante e maduro que envolve o tempo inteiro.

    Harmoniza facilmente com frutos do mar e algumas carnes de porco.

    Custa cerca de R$360,00.

    9 – Henriot Blanc De Blancs

    Um exemplar “Blanc de Blancs” possui em sua composição apenas uvas brancas Chardonnay e esse foi apontado como um dos melhores produtos desse tipo.

    Vários críticos fazem grandes elogios a esse Blanc des Blancs e ele é excelente para acompanhar os frutos do mar em geral. Além de marcar elegante presença em comemorações, claro!

    Preço: R$350,00.

    10 – Deutz Brut Classic

    Seu aroma é inusitado, num mix equilibrado de notas florais, amêndoas e frutas maduras. Como permanece por mais de 30 meses em descanso, em contato com as borras, seu gosto lembra um pouco o do uísque.

    É um produto fino, para ocasiões especiais.

    Valor da garrafa gira em torno de R$200,00.

    Como diz o bordão , champagne é champagne, o resto é espumante!

    Os produtores da região francesa com o mesmo nome estão sempre seguindo todo um protocolo de regras e inúmeras exigências estabelecidas por um órgão chamado “Comité Interprofessionnel du Vin de Champagne” para que esse produto chegue até o consumidor dentro dos padrões.

    E nesse vasto borbulhar, há opções e mais opções. Para todos os gostos e bolsos.

    O importante é não esquecer jamais que o champagne em si já é uma festa, e das melhores!

    Referências:

    https://www.wine-searcher.com/m/2020/06/the-worlds-most-expensive-champagne

    https://moneyinc.com/most-expensive-champagne-bottles/

    https://www.therichest.com/luxury/expensive-champagnes-ranked/

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • preço-dell-emilia-acompanha-o-que-frisante-tinto-suave-cella-tipos-de-porta-soprana-rosso-amabile
    vinhos

    Os 12 Melhores Vinhos Lambrusco Bons e Baratos para Comprar

    No celular gire a tela para ver a tabela completa

    PosiçãoVinhoPreçoOnde Comprar
    1Cella TintoR$35,00 a 39,00Ver
    2Frisante CourmayeurR$35,00 a 39,00Ver
    3Frisante Occhio Nero AmabileR$60,00 a 65,00Ver
    4Galleria Dell’EmiliaR$74,00 a 79,00Ver
    5Frisante Villa FabriziaR$35,00 a 40,00Ver
    6Frisante Dell Emilia CellaR$44,00 a 48,00Ver
    7MontecchioR$44,00 a 48,00Ver
    8Galleria I.G.P. Emilia 2017R$52,00 a 58,00Ver
    9Frisante Linda DonnaR$28,00 a 32,00Ver
    10Cavicchioli AmabileR$63,00 a 69,00Ver
    11IGT AnellaR$45,00 a 50,00Ver
    12Chiarelli Dell`Emilia Bianco AmabileR$27,00 a 33,00Ver

    Você conhece o nome Lambrusco? Sabe do que se trata? É um tipo de vinho de origem italiana, caiu no gosto do mundo inteiro.

    Foi selecionado os melhores para você conhecer e marcar aquela reunião de amigas para degustar e apreciar o momento.

    Confira!

    O que é um vinho Lambrusco?

    O vinho do tipo Lambrusco são denominados frisantes, isto é, eles possuem uma boa concentração do gás carbônico na sua composição.

    É uma bebida gasosa similar ao refrigerante, e isso o denomina espumante ou frisante.

    Além de gás, ele é saboroso, refrescante e possui um gosto doce e frutado. Ele verdadeiramente caiu no gosto de inúmeras pessoas pelo mundo devido a facilidade de beber e apreciar.

    O Lambrusco é na prática um tipo de bebida milenar. Ele é geralmente elaborado com uva Lambrusco, facilmente encontrada nas áreas da Lombardia e da Emilia Romagna.

    Vale lembrar que Lambrusco não se trata apenas do nome dado ao tipo do vinho, e sim de uma família completa de uvas de qualidade.

    Existem atualmente 13 tipos de uva lambrusco que são utilizadas a varietal ou com um blend, isto é, uma combinação com duas ou mais espécies.

    Há 3 métodos que, podem ser aplicados no processo de produção, são eles:

    • Charmat:
    • Champenoise;
    • Ancestral.

    O resultado é certamente uma bebida frutada, aromática, levemente adocicada e definitivamente deliciosa.

    Tinto, branco ou rosé, qual é o bom para acompanhar o que?

    É realmente muito difícil dizer qual é o mais gostoso. Cada versão possui a sua singularidade e de alguma forma especial.

    Tinto

    A uva tipo Lambrusco é tinta e muito rica em taninos e acidez. Ela é sempre cultivada em escala grande e sua origem é na Itália. Essa uva rende até três vezes a mais do que a maiorias das outras espécies.

    O vinho tinto produzido por ela, apresenta muita doçura, entretanto, é possível achar opções mais complexas e secas.

    No Brasil, esse tipo ainda não é muito comum, mas a procura cresce a cada dia especialmente para tomar junto de refeições mais leves e piqueniques. Essa é uma cominação perfeita.

    Branco

    Sabe-se que as uvas do tipo Lambrusco são bem tintas, não obstante, para produzir o vinho branco é necessário descartar as cascas.

    O resultado é um vinho sem taninos pronunciados, porém, nota-se uma acidez considerável.

    Essa versão de vinho, possui uma textura ímpar com presença de bolhas, refrescante e ainda com um aroma bem frutado.

    Além disso, ele fica bem cremoso e alguns, portanto, tendem a ser ainda mais secos.

    O ideal é servi-lo gelado, e por isso, ele combina perfeitamente com dias mais quentes, pode ser servido em festas ou recepções juntamente com aperitivos.

    Rosé

    O vinho rosé é de fato chamativo e diferente devido a sua tonalidade. Ela pode variar entre rosa, salmão e pêssego.

    Esse vinho dispõe de muito frescor e uma acidez estonteante. Além desses, o Lambrusco rosé traz em seu aroma notas frutadas e florais.

    A sua produção pode ser feita via curta maceração, sob a mistura dos tintos com brancos ou via sangria.

    Eles são verdadeiramente deliciosos, fáceis de beber e combinam com qualquer ocasião. Vale a pena experimentar!

    Onde Comprar? Qual o preço de cada garrafa?

    Confira abaixo algumas melhores opções que existem no mercado do tinto:

    1 – Cella Tinto

    Esse vinho é produzido com uvas mais selecionadas da área de Modena. Elas são colhidas, higienizadas e tratadas com muita atenção de cuidado pelos produtores.

    Isso garante um vinho único, especial, saboroso e que se tornou preferência de muitas pessoas em cerca de quarenta países.

    Esse vinho possui uma cor intensa rubi sob reflexos da cor violeta e levemente espumado. Suas notas são de frutas e no final é possível perceber um leve amargor.

    É de fato intenso, sofisticado e com uma acidez equilibrada. Perfeito para juntar com aperitivo e servir como vinho de sobremesa.

    Preço: R$35,00 a 39,00.

    2 – Frisante Courmayeur

    Este é ditado com um dos únicos e mais apreciados Lambruscos fabricados no território brasileiro. É elaborado na Serra Gaúcha com uvas importadas da Itália.

    Ele é fabricado via Charmat, com fermentação nas barricas de aço inoxidável. Contém uma quantia satisfatória de gás, acidez destacada e aroma de frutas vermelhas e maduras.

    É um frisante saboroso, refrescante e que vale experimentar.

    Preço: R$35,00 a 39,00.

    3 – Frisante Occhio Nero Amabile

    Esse vinho é um frutado extremamente saboroso. Suas uvas são colhidas em setembro e possui duas fermentações. A primeira sob 4 e 5 ºC e a segunda no tanque de aço inoxidável.

    Apresenta uma coloração vermelha bem intensa e viva. Seu aroma é complexo, frutado com notas da framboesa, da amora e ainda de frutas vermelhas.

    Na boca o corpo é mais suave, redondo e muito agradável.

    Preço: R$60,00 a 65,00.

    4 – Galleria Dell’Emilia

    Esse é o tipo de vinho festivo e com muito sabor. É um Lambrusco ideal para festas! Suas propriedades frisantes são realmente refrescantes e encantadoras.

    Ele possui uma tonalidade rubi claro e seu aroma é de flor e de fruta vermelha. No momento da degustação pode-se sentir a sua leveza, cremosidade e ainda o seu frescor.

    É maravilhoso para ser degustado com canapés, sobremesas e/ou com carnes de panela.

    Preço: R$74,00 a 79,00.

    5 – Frisante Villa Fabrizia

    Essa versão é doce e tem um toque das flores. Sua cor é vermelha rubi com os tons violáceos. E para quem busca sabor e frescor, é uma excelente alternativa.

    O aroma desse vinho é deveras sedutor com notas das frutas e flores do bosque.

    No paladar seu corpo é mediano e sua acidez bem destacada. Já no final ele é extremamente agradável.

    Queijos cremosos, massas e carne vermelha é uma excelente combinação.

    Preço: R$35,00 a 40,00.

    E quais são os bons entre os rosés?

    Para os amantes de um Lambrusco rosé, abaixo estão as melhores opções:

    6 – Frisante Dell Emilia Cella

    O Dell Emilia, é refrescante no tom rosa mais claro, com leve espuma e uma doçura na medida certa.

    O seu forte aroma da violeta é possível de se sentir e ao paladar é muito vivo e de frutas. É de fato muito bom e vale o investimento.

    Preço: R$44,00 a 48,00.

    7 – Montecchio

    Esse Montecchio é bem frutado e com uma cor vibrante e intensa. É um vinho que remete ao grande clássico de Shakespeare: Romeu e Julieta.

    Ele de fato é estonteante de tão intensa que é a sua cor, como paixão existente entre os jovens da Verona.

    O aroma é de fruta mais fresca e na boca se apresenta doce, com ótimo frescor e muito equilíbrio. Quem degusta não se arrepende!

    Preço: R$44,00 a 48,00.

    8 – Galleria I.G.P. Emilia 2017

    Esse rosé é também uma opção ótima para ocasiões festivas. A vinícola Cantina Boido, fundada em meados dos anos 900, elabora bebidas com qualidade impressionante.

    Esse, no entanto, é saboroso, tem uma leve doçura, com frescor e muito fácil de beber. Sua cor é bem clara, um rosa cristalino e muito sofisticado.

    Ele harmoniza com entradas, frios, e até mesmo com sobremesas. É certamente um vinho para qualquer momento.

    Preço: R$52,00 a 58,00.

    Dentre os brancos, quais são os melhores?

    Os vinhos brancos são extraordinariamente elegantes e sofisticados. Dentre os melhores, estão:

    9 – Frisante Linda Donna

    Este Lambrusco branco é levemente adocicado e com o sabor das frutas brancas. É ideal para apreciar os dias quentes devido ao seu frescor ou ainda em eventos juntamente com aperitivos.

    O límpido amarelo palha é a sua tonalidade. Além disso, é doce na medida, efervescente e com as notas das frutas brancas e frescas.

    Você pode harmonizá-lo com pizzas, massas mais leves, fruto do mar e com peixes.

    Preço: R$28,00 a 32,00

    10 – Cavicchioli Amabile

    Esse é bem leve e com muito sabor. Ele é produzido pela Cantina Cavicchioli no fim dos anos de 1920.

    A marca conseguiu alcançar inúmeros países e inclusive chegou até o território brasileiro.

    Ele possui a cor amarela palha e seus aromas remetem às frutas brancas e cítricas. Na boca é bem frisante, fresco, adocicado e ainda frutado.

    É possível sentir o seu corpo bem leve na boca. Combina com comidas asiáticas, com queijos ou ainda com sobremesa.

    Preço: R$63,00 a 69,00

    11 – IGT Anella

    O IGT Anella, se encaixa perfeitamente ao paladar brasileiro. Essa opção é consagrada com muito sabor, aroma e agradabilidade.

    Ele é muito leve, fácil de tomar e ainda muito refrescante. O seu aroma é de deliciosas frutas cítricas que se sente logo após a abertura da garrafa.

    Na boca se apresenta bem redondo, fresco e perfeito como um frisante precisa ser.

    Refeições mais leves nos dias mais quentes, reuniões ou eventos informais harmonizam impecavelmente como ele.

    Preço: R$45,00 a 50,00

    12 – Chiarelli Dell`Emilia Bianco Amabile

    Trata-se de um ótimo custo benefício. Isso porque, há uma junção de qualidade com o preço baixíssimo.

    Se você busca um Lambrusco banho com alta qualidade e que ainda tenha um valor acessível, essa é a opção ideal.

    O Chiarelli é seguramente exuberante e possui um sabor fascinante. Conta com uma coloração amarela palha com caráter doce, porém, sem exageros.

    No olfato, é possível notar o cheiro da maçã madura, do mel e ainda da marmelada. É muito leve ao paladar e remete à cidra.

    O seu fim é repleto de cítricas sensações e vai bem com atum e diversos assados.

    Preço: R$27,00 a 33,00

    Como escolher o vinho ideal?

    Você sabe o que precisa ser considerado no momento da escolha do vinho? Confira abaixo algumas dicas:

    Nível da Doçura

    Normalmente, considera-se o Lambrusco como um tipo de vinho doce. Porém, cada opção conta com um nível da doçura e você pode selecionar conforme a ocasião e gosto. Geralmente, os níveis da doçura são:

    • Seco – Até 9g/l de glicose;
    • Levemente doce – De 10 até 18g/l do açúcar;
    • Semi doce – De 18 até 45g/l de glicose;
    • Doce – Mais do que 45g/l do açúcar.

    Teor alcoólico

    Esses vinhos são os escolhidos para as festas geralmente devido ao seu teor alcoólico mais reduzido. Variam de 8 até 10%. Verifique no rótulo e escolha o que melhor harmoniza o que você deseja.

    Temperatura ideal para consumir o vinho

    Cada vinho possui uma indicação da temperatura ideal para servir. Isso porque, se ele for servir de maneira diferente do indicado pode não ser aproveitada as suas melhores características. Antes de escolher, verifique qual será o ambiente e ocasião.

    Origem

    A região onde a bebida é elaborada, indica quais produtos e consequentemente o tipo de uva utilizada. A Itália é considerada o país com os melhores produtores desse Lambrusco.

    Volume

    Algumas garrafas, contém mais e outras menos volume da bebida. No entanto, você pode eleger de acordo com a quantia de pessoas ou ainda com a circunstância a qual será utilizado.

    Cada pessoa escolhe um critério de escolha na hora de apreciar um excelente vinho. Essas são algumas alternativas e você pode avaliar cada situação e qual combina mais com você e com seus convidados.

    Conclusão:

    Definitivamente, se você ainda não teve a oportunidade de experimentar um tipo Lambrusco, não sabe o que de fato está perdendo.

    Independentemente de qual seja a sua seleção dessa lista, seguramente não irá se arrepender.

    Essa lista compõe os melhores e com alta qualidade além do custo benefício satisfatório.

    Todos são perfeitamente capazes de se experimentar junto da família, dos amigos, da pessoa mais que especial ou ainda para momentos de reflexão sozinho.

    Os vinhos do tipo Lambrusco, são fabricados pelos melhores produtores da região da Itália. Há alguns inclusive produzidos no Brasil e também com muita qualidade.

    E aí gostou dessa lista?

    Te deu água na boca?

    Se ainda não experimentou, esse é o momento de ser feliz!

    Referências:

    https://www.scattidigusto.it/2020/09/11/esselunga-i-10-vini-migliori-da-comprare-sotto-i-10-euro/

    https://www.cronachedigusto.it/index.php/la-degustazione/i-migliori-lambrusco-secondo-doctor-wine

    https://www.passionevini.it/migliori-vini-sotto-10-euro.html

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • de-2020-20-50-preço-suave-mercado-livre-2019-custo-beneficio-cabernet-sauvignon
    vinhos

    Os 10 Melhores Vinhos Argentinos Bons e Baratos para Comprar

    No celular gire a tela para ver a tabela completa

    PosiçãoVinhoPreçoOnde Comprar
    1Partridge Reserva MalbecR$58,00 a 64,00Ver
    2Navegar Sin Mar Cabernet Sauvignon R$43,00 a 47,00Ver
    3Perdigón Malbec Cabernet SauvignonR$43,00 a 49,00Ver
    4Astica Malbec/ Merlot (Trapiche)R$47,00 a 53,00Ver
    5Altos Del Plata MalbecR$61,00 a 65,00Ver
    6Barbarians Malbec Gualta 2014 750 mLR$86,00 a 93,00Ver
    7Altos Las Hormigas Malbec ClásicoR$74,00 a 78,00Ver
    8Malma Finca La Papay MalbecR$112,00 a 121,00Ver
    9Escorihuela Familia Gascón MalbecR$78,00 a 82,00Ver
    10Trapiche Roble MalbecR$70,00 a 74,00Ver

    Considerada o maior produtor de vinhos da América Latina e o quinto do mundo inteiro, a Argentina predomina em sua produção de vinhos tintos. Conhecida também com a produção de uvas especiais, como o Malbec, Cabernet Sauvignon, Merlot e famosa Pinot Noir o solo argentino possui suficiente experiência na produção da matéria prima essencial para a produção de vinhos renomados.

    Por isso, preparamos hoje uma seleção especial para que você conheça os 10 melhores vinhos argentinos bons e baratos. Fato esse que auxiliará você a fazer as melhores escolhas, considerando fatores importantes como a economia e qualidade de cada exemplar. Acompanhe abaixo!

    Onde Comprar? Qual o preço de cada garrafa?

    1 – Partridge Reserva Malbec

    Preço: R$ 58,00 a 64,00

    Em primeiro lugar, o Partridge Reserva Malbec 2018 é uma bebida que reúne qualidade e um ótimo custo benefício em um mesmo lugar. A produção conta com notas de ameixa, framboesa, cereja e baunilha, maciez equilibrada e médio corpo.

    Harmoniza bem com carnes brancas, massas, batata e queijo, sendo uma ótima opção para compor uma refeição variada.

    Vantagens:

    • ótimo custo benefício;
    • produto de qualidade, com reconhecimento no mercado.

    Desvantagem:

    • por possuir um toque bem adocicado, pode não agradar aos paladares de quem prefere um vinho mais neutro.

    2 – Navegar Sin Mar Cabernet Sauvignon

    Preço: R$43,00 a 47,00

    Considerado um vinho seco, produzido na região de Mendonza, com taninos firmes e de boa acidez, esta bebida possui características mais marcantes para quem gosta de um vinho com identidade. É recomendada para um momento entre amigos e familiares, além de harmonizar bem com alimentos como carne vermelha, bife de ancho, filé acebolado e queijos semi-duros.

    Vantagem:

    • É considerada uma bebida agradável e ao mesmo tempo com identidade.

    Desvantagem:

    • A procura por um exemplar disponível a venda é um pouco mais difícil do que outras marcas de vinho.

    3 – Perdigón Malbec Cabernet Sauvignon

    Preço: R$43,00 a 49,00

    Produzido também em Mendonza, este vinho tinho possui algumas peculiaridades interessantes a serem consideradas. No paladar, ele se apresenta como um vinho macio, saboroso, com boa acidez.

    Quanto ao aroma, ele lembra uma mistura de frutas vermelhas, groselhas e um café. Combina bem com grelhados, como carnes vermelhas e linguiça na brasa.

    Vantagem:

    • Ótima opção para harmonizar com carne vermelhas em geral.

    Desvantagem:

    • Para consumidores que preferem um vinho mais intenso, ácido, essa não seria a melhor opção para consumo.

    4 – Astica Malbec/ Merlot (Trapiche)

    Preço: R$47,00 a 53,00

    É uma bebida considerada por ter identidade marcante, exibe uma mistura de frutas como cereja, framboesa, morango e amora, mas ao mesmo tempo, consegue equilibrar um tanino suave e de pouca acidez.

    A bebida harmoniza com frutos do mar e carnes em geral.

    Vantagens:

    • Ótimo custo-benefício;
    • É considerado um vinho versátil, por harmonizar com uma quantidade maior de alimentos.

    Desvantagem:

    • Sua disponibilidade no mercado é limitada, requerendo ao consumidor um pouco mais dedicação no momento de encontrar um exemplar disponível.

    5 – Altos Del Plata Malbec

    Valor: R$61,00 a 65,00

    Considerado um vinho com aroma frutal intenso de ameixas e uvas passas. Possui um corpo médio e equilibrado, e no paladar expressa um sabor de frutas vermelhas. Ideal para harmonizar com carnes vermelhas e massas.

    Vantagem:

    • Harmoniza com uma quantidade grande de alimentos, de massas a carnes e churraco.

    Desvantagem:

    • Para consumidores que gostam de um vinho mais intenso, essa não seria a melhor opção.

    6 – Barbarians Malbec Gualta 2014 750 mL

    Valor: R$ 86,00 a 93,00

    Excelente para acompanhar um churrasco, petiscos com molhos, embutidos como uma linguiça e carnes com gordura entranhada, este vinho tem uma ótima textura e deixa na boca um toque aveludado que aprimora ainda mais o sabor destes acompanhamentos.

    Vantagem:

    • Sua harmonização é perfeita com todos tipos de carnes com gordura e churrasco.

    Desvantagem:

    • Seu paladar no final pode não agradar quem já tem muita experiência em vinhos.
    • Se não for servido com seus acompanhamentos, não é muito indicado.

    7 – Altos Las Hormigas Malbec Clásico

    Preço: R$74,00 a 78,00

    Produzido a partir de uvas Malbec, sendo considerada uma das especialidades de produção em solo argentino, temos uma bebida fresca, de sabor equilibrado, com uma mistura de frutas vermelhas maduras e defumadas, que harmoniza-se perfeitamente com carnes vermelhas e queijos em geral.

    Vantagens:

    • Produtor reconhecido no mercado, o que dá credibilidade a marca;
    • Ótima opção para socializar e comer com queijos.

    Desvantagem:

    • A garrafa é menor do que os tamanhos originalmente encontrados em mercado, cerca de 375ml.

    8 – Malma Finca La Papay Malbec

    Preço: R$112,00 a 121,00

    Originado da região da Patagônia, este vinho tinto possui cor intensa com toques violetas, possui um aroma de frutas vermelhas maduras de framboesa, ameixa e cereja, resultando em um paladar extremamente frutado com um toque de baunilha.

    Harmoniza com alimentos como aves, suínos, cordeiros e queijos médios e duros.

    Vantagem:

    • Vinho de extrema qualidade e fácil harmonização.

    Desvantagem:

    • Um preço um pouco mais elevado, se comparado com as demais marcas mencionadas nesta matéria.

    9 – Escorihuela Familia Gascón Malbec

    Preço: R$78,00 a 82,00

    Vinho tinho produzido a partir de uvas Malbec, este exemplar possui aroma e sabor frutado com um toque violeta, bem característico da bebida. Além disso, devido ao seu estágio de produção em barricas de carvalho, ele carrega também aromas de baunilha, coco queimado e caramelo. O sabor final é potente, denso e macio.

    Vantagens:

    • Fácil disponibilidade no mercado;
    • Vinho que possui bastante identidade a um baixo custo.

    Desvantagens:

    • Pode não agradar a paladares mais neutros, devido sua forte presença degustativa.
    • Devido a ser um vinho com maior identidade, tende a harmonizar com uma quantidade limitada de alimentos.

    10 – Trapiche Roble Malbec

    Preço: R$70,00 a 74,00

    Em último lugar da nossa lista, porém não menos importante, está o Vinho Trapiche Roble Malbec.

    A bebida é constituída de aromas como amora, ameixa, baunilha e toques defumados, resultando em um sabor com taninos mais doces e macios, frutados e intenso.

    Visualmente transparece um vermelho intenso com traços violáceos e harmoniza bem com alimentos como cortes de parrilha, carnes vermelhas assadas e queijos médios.

    Vantagem:

    • Fácil oferta no mercado, que influencia em preços mais baratos e competitivos por uma bebida de qualidade.

    Desvantagem:

    • Harmonização um pouco mais limitada se comparado a outros exemplares.

    Conclusão:

    Chegamos ao fim da nossa seleção especial para você. Lembre-se independente da nossa colocação, todas as opções listadas são de bebidas reconhecidas por sua qualidade no mercado a um baixo custo, logo, é muito importante que você como consumidor também faça a escolha de acordo com as suas expectativas sensoriais e planejamento de harmonização, fato que resulta muito na experiência final.

    O mercado vinícola argentino é extremamente grande e experiente, oferecendo opções para todos os gostos e bolsos. Por isso, aproveite todas as possibilidades destes incríveis exemplares argentinos e tenha uma ótima degustação!

    Referências:

    https://tipsparatuviaje.com/vinos-argentinos/

    https://www.espaciovino.com.ar/noticia/Los-10-Mejores-Malbec-Argentinos-Segun-La-Revista-Decanter

    https://vinomanos.com/2020/12/informe-malbec-los-50-mejores-malbec-2020

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • aerador-decantador-kit-imaginarium-preço-ou-decanter-com-suporte-portatil-vidro
    Curiosidades

    Os 10 Melhores Aeradores de Vinhos Bons e Baratos para Comprar

    No celular gire a tela para ver a tabela completa

     

    PosiçãoAerador de VinhoPreçoOnde comprar
    1Bico de vidro MendonzaR$35,00 a 50,00Ver
    2Le Creuset Black OnyxR$195,00 a 205,00Ver
    3Funil para garrafaR$11,00 a 18,00Ver
    4Top Wine Prana TransparenteR$41,00 a 47,00Ver
    5Bico Dosador em Aço InoxR$24,00 a 28,00Ver
    6RabbitR$181,00 a 190,00Ver
    7Prana Top WineR$42,00 a 47,00Ver
    8Torre Acrílica Mimo StyleR$161,00 a 168,00Ver
    9Tipo Torre Magic DecanteR$63,00 a 69,00Ver
    10ZWILLING SommelierR$296,00 a 310,00Ver

    Você sabia que existem acessórios que são capazes de melhorar a experiência de quem gosta de apreciar um bom vinho?

    Os aeradores são ótimos para otimizar as características dessa bebida e ainda de realçar os detalhes mais ocultos dela.

    Eles de fato fazem toda a diferença na hora de tomar o vinho. Há diversas marcas e abaixo selecionamos as 10 melhores do momento para que você possa escolher e valorizar ainda mais o seu vinho.

    O que é? Para Que serve? Como utilizar?

    Os vinhos, sem dúvida, são bebidas muito complexas. Trata-se de uma bebida cujo aroma e sabor tende a variar conforme as particularidades da uva utilizada, com a fermentação e ainda com o processo de maturação.

    Ademais, ao entrar em contato como oxigênio imediatamente após abrir a garrafa, é possível sentir possíveis notas ocultas.

    Mas esse contato apenas com a abertura do vinho, não é o suficiente para realizar a oxigenação ideal dele. Então, é nesse momento que os aeradores fazem total diferença.

    Eles servem para acelerar todo o processo da oxigenação do vinho antes da sua degustação.

    Isso, portanto, faz a revelação dos ocultos sabores e aromas que a bebida tem e por consequência o deixa mais saboroso, prazeroso, intenso e muito marcante.

    Tais aeradores são indicados para os vinhos mais jovens devido à concentração alta do dióxido do carbono.

    Todavia, para os vinhos em que a idade é acima de 20 anos, a utilização desses acessórios, podem interferir nas principais características.

    Onde Comprar? Qual o preço de cada ?

    Nesse momento você já entende para que servem os aeradores, não é mesmo? Sendo assim, confira a lista abaixo das 10 melhores opções para você garantir uma experiência de qualidade.

    1 – Bico para vinho de Vidro Mendoza

    Com esse modelo, você garante mais espaço para que a bebida possa respirar.

    Ele tem um design diferente com o bocal emborrachado e o seu encaixe é perfeito e não deixa o vinho escorrer.

    O seu bico tem o papel de conter as gotas e dar maior precisão no momento de servir. Ele é muito bonito mas é necessário cuidado ao armazenar para evitar quebras.

    Preço R$35,00 a 50,00.

    2 – Le Creuset Black Onyx De Aço Inox

    Seu design é bem minimalista e eficaz. Ele é utilizado diretamente na garrafa para acelerar a respiração. Possui acabamento em inox e com revestimento emborrachado.

    Ele também evita que o vinho escorra, no entanto, sua ergonomia não é muito acertada. É necessária inclinação da garrafa para conseguir se servir.

    Preço R$195,00 a 205,00.

    3 – Funil / Aerador para Garrafa de Vinho Brinox

    Esse aerador é bem prático e seguro. Ele ajuda a oxigenar o vinho bem como também a controlar o fluxo evitando assim possíveis derramamentos.

    Acopla adequadamente na garrafa e o seu tamanho compacto facilita no momento da higienização.

    Preço R$11,00 a 18,00.

    4 – Oxigenador Top Wine Prana Transparente

    Esse modelo também é muito prático e fácil de ser utilizado. Acopla bem no bico, garante uma boa respiração e intensifica o sabor e o aroma instantaneamente.

    O tamanho é pequeno que permite facilidade na limpeza e no armazenamento. Indica-se a higienização apenas com água corrente ou morna.

    Preço R$41,00 a 47,00.

    5 – Tampa / Bico Dosador Rolha Salva Gota Em Aço Inox Para Garrafa Vinho Sommelier

    Esse possui uma tampa e um bico dosador. Essa junção garante mais precisão na hora de se servir.

    É um modelo com um custo baixo, porém, muito resistente e fácil de utilizar, de guardar e de higienizar.

    Preço R$24,00 a 28,00.

    6 – Rabbit

    O Rabbit tem o design bem diferenciado. Ele conta com uma haste posicionada no interior da garrafa, e isso permite servir sem muito esforço para inclinar a mesma.

    Esse modelo substitui os decantadores e intensifica ainda mais as características da bebida de maneira imediata.

    Preço R$181,00 a 190,00.

    7 – Prana Top Wine

    O aerador Brinox possui um protetor contra respingos, pode ser acoplado no bico diretamente e garante uma ótima experiência na hora de servir o vinho.

    A marca garante que a aeração desse modelo é equivalente a trinta minutos da decantação por meios tradicionais.

    Preço R$42,00 a 47,00.

    8 – Com Torre Acrílica Mimo Style

    Esse possui uma torre acrílica Mimo Style. Ele é simplesmente perfeito para impressionar na hora de servir os convidados.

    Ele conta com uma aparência sofisticada e garante mais praticidade e precisão sem se preocupar muito com o posicionamento da garrafa e da taça.

    Preço R$161,00 a 168,00.

    9 – Decantador De Vinho Magic Decanter Tipo Torre

    Mais um modelo fácil de utilizar e de armazenar. Ele é bem funcional e com estrutura versátil e compacta. Para servir é necessário segurá-lo acima da taça no momento de servir seu vinho.

    Além de uma boa oxigenação da bebida, ele conta com filtro para reter possíveis resíduos, sedimentos e/ou impurezas acumulados na garrafa.

    Para higienizá-los é preciso apenas de água morna.

    Preço R$63,00 a 69,00.

    10 – ZWILLING Sommelier em Aço Inoxidável ou Prateado

    Nessa lista, esse modelo é o que possui o custo mais alto. Entretanto ele é mais resistente, moderno e com alta durabilidade.

    Garante uma respiração instantânea, sem desperdícios, eficaz e facilitada.

    Preço R$296,00 a 310,00.

    Conclusão:

    Nessa lista, você conheceu os melhores aeradores disponíveis no mercado. Cada um deles possui uma particularidade, porém, todos são capazes de oxigenar o vinho e garantir intensificação dos sabores e dos aromas da bebida.

    Vale ressaltar que, as opções cujo material é relativamente mais frágil, o cuidado com a higienização e com o armazenamento deve ser maior.

    Já as versões que possuem filtro, elas potencializam ainda mais a respiração e se compara até mesmo com um decantador tradicional.

    Antes de eleger o seu preferido, analise suas necessidades e opte pelo que melhor lhe atenderá.

    E por fim, se prepare, pois, o seu paladar viverá novas e incríveis experiências no momento de degustar um bom vinho.

    Referências:

    https://www.liquor.com/best-wine-aerators-5070858

    https://wineadventurejournal.com/top-10-best-wine-aerators/

    https://advancedmixology.com/blogs/art-of-mixology/best-wine-aerator

    https://californiawineryadvisor.com/best-wine-aerators-to-buy/

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • custo-beneficio-2020-bordeaux-preços-do-mundo-portugueses-italianos-vinho-frances
    vinhos

    Os 10 Melhores Vinhos Franceses Bons e Baratos para Comprar

    No celular gire a tela para ver a tabela completa

     

    PosiçãoVinhoPreçoOnde Comprar
    1Rosé Chateau de Pourcieux AOP Cotês de
    Provence
    R$155,00 a 165,00Ver
    2Branco Francês Sauternes C. Des Comperes 2016R$315,00 a 330,00Ver
    3Rosé Calvet Cotês de ProvenceR$120,00 a 128,00Ver
    4Tinto Calvet Varietals Cabernet SauvignonR$67,00 a 73,00Ver
    5JP Chenet Cabernet SyrahR$63,00 a 68,00Ver
    6Tinto Paul Sapin Bordeaux AOP 2016R$103,00 a 110,00Ver
    7Branco Maison Belleroche ChardonnayR$90,00 a 96,00Ver
    8Fra Franc Beausejour Bordeaux TtoR$93,00 a 98,00Ver
    9Paul Mas Claude Val BlancR$103,00 a 109,00Ver
    10Branco Gran Bourdeaux Chateau Haut
    Mondain
    R$78,00 a 85,00Ver

     

    A França é também detentora de incríveis tipos de vinhos. Quando se fala nesse país é notório, como sempre, os pensamentos rementem a essa fantástica e apreciada bebida.

    As vinícolas existentes por lá, procuram sempre otimizar os processos de produção para oferecer os melhores e singulares sabores e aromas através do vinho.

    Você já provou algum vinho francês?

    Abaixo separamos os melhores para que você possa escolher e apreciar a preciosidade dessa bebida.

    Como Escolher o Melhor Vinho Francês

    Existem alguns aspectos que devem ser considerados no momento da escolha. Por exemplo, se ele é tinto, rosé ou branco, dentre outros.

    Para se fazer uma boa escolha, abaixo estão os critérios:

    Verifique a opção que mais lhe agrada de acordo com o tipo do vinho

    • Tinto – É intenso, clássico e ótimo para acompanhar um jantar perfeito;
    • Branco – Esse já é mais leve e com acidez moderada e muito refrescante. Perfeito para dias mais quentes;
    • Rosé – Esse é mais descontraído, mais leve, aromático e com muito frescor. Ele pode ser servido sob temperatura mais baixa.

    Verifique se o vinho é Varietal ou de Corte

    • Varietal – Os vinhos do tipo varietal são produzidos apenas por um tipo de uva.
    • Corte – Esse é produzido sob combinação de dois ou mais tipos de uvas. Nesse caso, a variedade de sabores e aromas é mais intensa.

    Ao comparar esses dois casos para sua escolha, lembre-se que mesmo o Varietal sendo produzido de um único tipo de uva, não quer dizer que a experiência com esse tipo seja ruim. Vale a pena experimentar e aprender a saborear cada um!

    Escolha o Vinho Francês com Base no Tipo de Uva

    • Há quem gosta de escolher o vinho de acordo com a uva. Porém, nem todos os vinhos possuem discriminados em seus rótulos a uva utilizada para sua produção. Contudo, você pode identificar de acordo com o lugar de produção bem como quem é o produtor.

    Verifique se houve a passagem do vinho nas barricas do Carvalho

    • Se o vinho passa pelas barricas, ele é geralmente mais suavizado, com notas de coco, baunilha ou até mesmo esfumaçado ou tostado. O carvalho agrega um sabor e aroma diferenciado para o vinho.

    Analise o potencial da guarda do vinho.

    • Apenas alguns vinhos podem ser guardados por um prazo maior do que 3 anos. Quanto maior o tempo de guarda, mais distinto o seu sabor pode ficar.

    Confira a Temperatura de Serviço do Vinho na Hora da Compra

    • É necessário conferir a temperatura indicada para servir o vinho. Alguns são ideais para servir frio e outros mais quentes. Respeitando esses detalhes você garante a preservação de todas as qualidades da bebida.

    Onde Comprar? Qual o preço de cada garrafa?

    Se você ainda não experimentou um vinho de origem francesa, não sabe o qual valiosa é a experiência.
    Confira abaixo 10 opções para você degustar e deixar qualquer ocasião muito especial.

    1 – Chateau de Pourcieux AOP Cotês de Provence (Rosé)

    Esse é um vinho fácil de harmonizar com comidas. Combina com legumes, ratatouille, peixes e também frutos do mar.
    É um rosé com uma menor quantia de taninos, refrescante, acidez controlada e um corpo perfeito para diferentes pratos.

    Preço R$155,00 a 165,00.

    2 – Francês Sauternes C. Des Comperes 2016 (Branco)

    As uvas utilizadas para produzir esse vinho, são apanhadas propositalmente após elas sofrerem infestação de um tipo de fungo chamado Botrytis Cinerea, conhecido também como nobre podridão.

    Ele eleva a porosidade da uva na casca, reduzindo a quantidade de água e retendo uma maior quantidade de açúcar.
    Isso o deixa com um sabor inigualável com notas de flores, aromas de frutas, mel, amêndoas e ainda especiarias. Vale a pena conferir!

    Preço R$315,00 a 330,00.

    3 – Calvet Cotês de Provence (Rosé)

    O Calvet é extremamente elegante, e produzido com as uvas do tipo Grenache, Syrah e Cinsault.

    Sua cor é salmão mais claro e seu aroma é muito delicado com notas de pêssego e flor branca.

    Ao paladar a acidez é média e ele é feito para uso imediato.

    Valor R$120,00 a 128,00.

    4 – Francês Calvet Varietals Cabernet Sauvignon (Tinto)

    Esse vinho possui a cor muito escura, um rubi quase no tom preto. Ao olfato apresenta notas de frutas vermelhas, de pimenta e pimentão verde.

    Ele é suave, persistente e com um fim longo. Carne vermelha, queijo, camarão e salada são ótimas combinações.

    Preço R$67,00 a 73,00.

    5 – Vinho JP Chenet Cabernet Syrah

    O JP conta com notas da cereja e um pouco de pimenta. Sua textura e muito aveludada com sabor de frutas.

    Ótimo para reuniões entre amigos com churrasco e queijo.

    Preço R$63,00 a 68,00.

    6 – Paul Sapin Bordeaux A.O.P. 2016

    Esse é elaborado no método “corte bordalês”. É uma junção das uvas típicas da área de Bordeaux.

    É uma bebida que possui um corpo bom e frutado. Pode-se harmonizar com massas, pizzas e carnes. Ótimo para os momentos de reflexão sozinho ou reunião de amigos.

    Preço R$103,00 a 110,00.

    7 – Maison Belleroche Chardonnay

    Com uma cor amarela clara, concentração de álcool de 13%, e produzido com uvas Chardonnay, esse tipo é muito refrescante.

    Na boca ele é arredondado, maduro e com notas de frutas, por exemplo, o abacaxi.

    Combina com vegetais e peixes.

    Preço R$90,00 a 96,00.

    8 – Fra Franc Beausejour Bordeaux Tto

    O Fra Franc possui uma cor intensa de rubi. O aroma lembra os frutos vermelhos e também especiarias.

    Ele é bem fresco, acidez moderada e com sabor das frutas. Combina com qualquer circunstância.

    Preço R$93,00 a 98,00.

    9 – Paul Mas Claude Val Blanc

    Esse vinho não passa pelas barricas do carvalho, e mesmo assim o seu frescor e aroma é mantido primariamente.

    Ele é equilibrado, frutado, com notas de flor branca, mel e muito persistente ao paladar. Ideal para combinar com frutos do mar e com saladas.

    Preço R$103,00 a 109,00.

    10 – Gran Bourdeaux Chateau Haut Mondain

    A cor dourada encanta pela sofisticação. Seu aroma é frutado, e posteriormente é possível sentir uma leve sensação picante.

    É um branco elegante que harmoniza com aves e com peixes.

    Preço R$78,00 a 85,00.

    Conclusão

    Ficou com água na boca?

    Os vinhos originários da França são muito refinados e com alto valor agregado. Eles agradam até mesmo os paladares das pessoas mais exigentes.

    Alguns de fato possuem um custo um pouco mais alto, mas acredite a experiência de sua degustação vale cada centavo.

    Chame os amigos e aprecie qualquer um desses vinhos que são de extrema e indiscutível qualidade!

    Referências:

    https://www.vigneronsdexception.com/fr/1048-les-meilleurs-vins-de-france

    http://www.vin-vigne.com/vin-rouge/

    http://jecreemacave.blogspot.com/2012/09/les-meilleurs-vins-de-france-et-leurs.html

    https://www.parcellaire.com/content/15-bordeaux

    https://www.linternaute.com/lifestyle/art-de-vivre/1034101-les-vins-francais-du-top-100-du-wine-spectator-2012.amphtml/

    https://www.liv-ex.com/2019/12/les-100-meilleurs-vins-francais-selon-james-suckling-le-millesime-2016-en-tete/

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • baratos-chilenos-português-melhor-vinho-italiano-preço-brasileiros-francês
    vinhos

    Os 10 Melhores Vinhos Cabernet Sauvignon Bons e Baratos para Comprar

    No celular gire a tela para ver a tabela completa

     

    PosiçãoVinhoPreçoOnde Comprar
    1Vinho Alma MoraR$75,00 a 84,00Ver
    2Vinho Tinto Aurora ReservaR$65,00 a 72,00Ver
    3Vinho 120 Reserva EspecialR$35,00 a 42,00Ver
    4Latitud 33ºR$46,00 a 52,00Ver
    5Founder’s CollectionR$328,00 a 335,00Ver
    6Vinho Round HillR$78,00 a 84,00Ver
    7Cabernet Sauvignon ReservadoR$35,00 a 41,00Ver
    8Cabernet Sauvignon Reserva – MioloR$50,00 a 55,00Ver
    9Cabernet Sauvignon VarietalsR$58,00 a 63,00Ver
    10Cabernet Sauvignon da Maison CastelR$60,00 a 65,00Ver

    Para muitos, o ato de beber uma taça de vinho vai muito além do simples fato de ingerir uma bebida alcoólica. Esse processo é visto como um hábito a ser passado de geração a geração, é o momento de compartilhar boas lembranças com quem se ama ou acompanhar um bom prato de comida.

    Este momento é também a oportunidade de você reunir os amigos para experimentar novas variedades. Com essa ideia em mente, hoje falaremos das melhores opções de rótulos de Cabernet Sauvignon. Trata-se de um dos vinhos mais famosos e consumidos pela França, sendo igualmente o tipo de uva mais popular do mundo.

    Vamos conhecer mais sobre esse clássico francês?!

    Onde Comprar? Qual o preço de cada garrafa?

    1 – Alma Mora

    Preço R$75,00 a 84,00.

    Não podemos negar que a melhor combinação que existe é o BB, ou seja, bom e barato. E isso vale para os vinhos também. Para aqueles que desejam experimentar as várias alternativas do Cabernet Sauvignon, pode ficar tranquilo que você consegue achar opções bem em conta, como o Alma Mora, uma versão argentina, que custa em torno de R$80,00.

    Mesmo o Cabernet Sauvignon sendo uma uva que produz vinhos mais tânicos e encorpados, o Alma Mora é uma opção que agrada a todos e é bem fácil de beber.

    A bebida Argentina, da região de San Juan, possui um tom rubi, corpo médio e teor alcoólico de 13,5%. Seu aroma detém tons de frutas vermelhas e negras, como a cereja e a amora. Para ficar perfeito, ele deve ser servido entre 16 e 18 ºC.

    Para acompanhar as refeições, o Alma Mora combina muito bem com comidas mais pesadas, como massas e carnes vermelhas.

    Prós:

    • Barato;
    • De fácil ingestão.

    Contra:

    • Ser sempre acompanhado de comidas mais encorpadas, já que para as mais leves, ele acaba roubando um pouco o paladar.

    Indicamos começar com esse Cabernet Sauvignon pois além de mais em conta, seu gosto não é tão forte como as outras alternativas. Ou seja, é uma maneira de você ir se acostumando com o sabor até chegar em opções mais encorpadas.

    2 – Aurora Reserva

    Preço R$65,00 a 72,00.

    O vinho tinto da vinícola Aurora, Reserva, é uma boa opção de bom e barato para quem quer experimentar cepas do Cabernet Sauvignon. Produzido na Serra Gaúcha – uma das regiões mais famosas na produção de vinhos -, a bebida passa cerca de 10 meses em barris de carvalho americano e francês.

    Sua cor é rubi intenso e possui um aroma de frutas negras. Pode ser um problema para quem não está acostumado a beber outras opções além do suave, pois na boca ele fica com aspecto seco, aveludado e bem encorpado.

    Por essas características, ele é melhor acompanhado com carnes vermelhas, preferencialmente as mais gordurosas.

    Pró:

    • Bom custo benefício.

    Contra:

    • Vinho tinto seco – pode ser estranho para quem está acostumado apenas com as versões suaves.

    Ele é perfeito para acompanhar, quem sabe, aquela tarde de churrasco entre a família.

    3 – Cabernet Sauvignon 120 Reserva Especial

    Preço R$35,00 a 42,00.

    Produzido pela vinícola mais antiga do Chile, o vinho 120 Reserva Especial com certeza vai agradar a todos os paladares. Sua safra, do ano de 2018, detém um tom mais suculento e fresco.

    Assim como o Alma Mora, tem um teor alcoólico de 13,5%. Quanto ao acompanhamento, você pode seguir as mesmas dicas dadas nas opções anteriores. Mas uma outra opção é combiná-lo com frutos do mar.

    Prós:

    • Custo-benefício;
    • Agrada todos os paladares.

    Contra:

    • Não é o favorito de quem detém um paladar mais treinado.

    É uma ótima combinação para quando você for fazer aquela Strogonoff de camarão.

    4 – Latitud 33°

    Preço R$46,00 a 52,00.

    E falando em agradar paladares, o Latitude 33°, feito pela multinacional Chandon, faz sucesso entre os jovens por ter um sabor de frutas e taninos mais suaves, o que não deixa a boca do consumidor muito seca. É uma boa alternativa para você que está começando a degustar vinhos de maior qualidade.

    Só é preciso ficar atento ao teor alcoólico, que é maior que os outros já citados até aqui: 14%.

    Como tem um sabor mais leve, ele não precisa ser necessariamente acompanhado de alguma comida . Mas, caso queira, combine-o com queijos duros.

    Prós:

    • Bom custo benefício;
    • Sabor mais agradável.

    Contra:

    • Teor alcoólico mais elevado que outras opções.

    Mais uma alternativa para quem ainda está acostumado com um sabor mais leve.

    5 – Founder’s Collection

    Preço R$328,00 a 335,00.

    Esse, sem dúvida, não é a opção mais em conta se comparado com os outros vinhos citados até aqui. Porém, se você deseja investir em sabores refinados, com certeza o Cabernet Sauvignon Premium é a melhor escolha.

    A bebida oferece um sabor prolongado e intenso, e seu maior diferencial está em sua confecção. Toda a produção é artesanal e as uvas são selecionadas manualmente.

    O alcoólico passa um ano e quatro meses no barril e depois mais doze meses na garrafa, o que proporciona ao consumidor um sabor incrível. Seu teor alcoólico é de 14%.

    Prós:

    • Vinho de alta qualidade;
    • Sabor refinado.

    Contra:

    • Alto custo.

    É um ótimo presente para você ou para aquele amigo que gosta de vinhos mais encorpados.

    6 – Round Hill

    Preço R$78,00 a 84,00

    Esse Cabernet Sauvignon vem direto da Califórnia, mas precisamente da região de Napa Valley. Aliás, o local tem se tornado bastante conhecido na produção de vinhos, devido a qualidade das bebidas.

    O Round Hill conta com um aroma de frutas, além de ter um bom equilíbrio e taninos mais leves. Possui a maior característica dos vinhos californianas: um final doce. Seu teor alcoólico é de 13%.

    Prós:

    • Aroma frutado;
    • Paladar doce e com taninos mais leves.

    Contra:

    • Apesar de ter um paladar doce, não tem outros atributos tão relevantes.

    Como o intuito é justamente provar os mais diferentes vinhos, o Round Hill é uma boa escolha.

    7 – Cabernet Sauvignon Reservado

    Preço R$35,00 a 41,00

    O vinho Cabernet Sauvignon Reservado da Concha Y Toro é um dos mais vendidos no Brasil, isso se deve ao fato do seu bom custo e qualidade da bebida.

    Confeccionando na vinícola em Valle Central, detém um sabor bem leve, além de um baixo teor alcoólico, cerca de 12,5%. A menor de todas as opções apresentadas até aqui.

    Essa versão chilena é conhecida por ser de fácil consumo e por agradar os mais variados paladares, inclusive os mais experientes.

    Prós:

    • Ótimo custo benefício;
    • Agrada todos os paladares, inclusive os mais treinados.

    Contra:

    • Baixo teor alcoólico.

    Nada melhor do que uma ótima opção boa e barata, não é mesmo?

    8 – Cabernet Sauvignon Reserva – Miolo

    Preço R$50,00 a 55,00

    O Cabernet Sauvignon Reserva da Miolo – uma das mais tradicionais vinícolas brasileiras – é feito na região da Campanha Gaúcha, área conhecida por ter um clima muito próximo da Argentina e do Chile.

    É uma bebida feita com safra recente, mas nem por isso deixa de ter seus atrativos.

    É um vinho bem equilibrado, mas possui um sabor mais tânico, sendo recomendável para aqueles que já conhecem o paladar seco desta uva.

    Entre os nacionais, é o que mais se destaca, pela qualidade e pelo preço acessível.

    Prós:

    • Qualidade;
    • Bom custo-benefício;
    • Vinho nacional.

    Contra:

    • Indicado exclusivamente para paladares treinados.

    Por mais que seja indicado para paladares treinados, é uma boa forma de você sair da sua zona de conforto e experimentar coisas novas.

    9 – Varietals

    Preço R$58,00 a 63,00

    Francês, esse Cabernet Sauvignon é conhecido por ter um sabor persistente e tenso. Ele também remete às origens da produção dessa uva.

    Assim como o anterior, é recomendado para paladares já treinados, pois seu sabor é bem seco. Porém, para aqueles que querem se aventurar neste francês, a dica é combiná-lo com alimentos embutidos e/ou carne vermelha.

    Prós:

    • Qualidade;
    • É o Cabernet Sauvignon francês mais em conta do mercado.

    Contra:

    • Sabor mais seco.

    Apesar do sabor mais seco, é sua oportunidade de experimentar um bom francês com um preço mais acessível.

    10 – Maison Castel

    Preço R$60,00 a 65,00

    A Maison Castel é uma das vinícolas mais jovens da França, mas é um das maiores fabricantes da região, inclusive de Cabernet Sauvignon.

    A bebida confeccionada pela empresa consegue agradar vários paladares por ter um sabor equilibrado, com notas frutadas no final, e baixo teor alcoólico – 13%.

    Com safra estabelecida em 2016, seu envelhecimento acabou por amenizar os taninos, além de proporcionar sabores prolongados.

    Prós:

    • Vinho francês com ótimo custo-benefício;
    • Qualidade.

    Contra:

    • Taninos mais suaves.

    Mais uma chance de experimentar um Cabernet Sauvignon francês com preço acessível e de ótima qualidade.

    Deu para perceber que mesmo querendo investir em vinhos mais sofisticados, você pode fazer isso sem ter que gastar tanto, não é mesmo?!

    As opções na nossa lista agradam todos os gostos e bolsos, agora é só escolher o seu.

    Gostou das nossas dicas?

    Não deixe de compartilhar nas suas redes sociais.

    Referências:

    https://www.reversewinesnob.com/search/label/cabernet-sauvignon/

    https://vinepair.com/articles/25-best-cabernet-sauvignons-2020/

    https://www.themanual.com/food-and-drink/best-cabernet-sauvignon/

    https://www.wine-searcher.com/best-cabernet-sauvignon-wine-under-30

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • custo beneficio – 2020 - barato-doce-brasileiro-suave-português-dicas
    vinhos

    10 Melhores Vinhos Rosé Bons e Baratos para Comprar

    No celular gire a tela para ver a tabela completa

    PosiçãoVinhoPreçoOnde Comprar
    1Rosé Piscine StripesR$86,00 a 92,00Ver
    2Quinta de Bons-VentosR$47,00 a 52,00Ver
    3Bleu de MerR$110,00 a 115,00Ver
    4Rosé ReservadoR$35,00 a 39,00Ver
    5Mosketto Sweet PinkR$60,00 a 66,00Ver
    6Mateus The OriginalR$67,00 a 72,00Ver
    7Grenache Terroir LittoralR$67,00 a 72,00Ver
    8Casal GarciaR$43,00 a 47,00Ver
    9Miolo SeleçãoR$44,00 a 48,00Ver
    10Mosen PierreR$42,00 a 47,00Ver

    Considerado o vinho do verão, do calor e da jovialidade, o Vinho Rosé, sem dúvida possui peculiaridades que conquistam muitos fãs ao redor do mundo. Isso porque apesar de possuir características de vinho branco, ele é elaborado com uvas tintas e a suavidade dessa composição permite um resultado muito agradável ao paladar.

    O desafio muita das vezes é encontrar no mercado opções que atendam a todos os gostos e bolsos de maneira satisfatória. Sabemos que o mercado vinícola possui um leque de marcas, histórias e preços que podem contrastar absurdamente com a realidade de muitas pessoas.

    Pensando nisso, elaboramos uma lista especial para aqueles que não querem deixar de apreciar uma boa taça (ou mais!) dessa bebida refrescante e de toque único, porém de forma acessível ao bolso.

    Acompanhe a seleção que preparamos abaixo!

    Onde Comprar? Qual o preço de cada garrafa?

    1 – Vinho Rosé Piscine Stripes

    Preço: R$86,00 a 92,00.

    Produzida em Vinovalie no Sudoeste da França, este vinho possui cor salmão com alguns leves toques azulados. É considerado vinho Rosé preferido dos brasileiros e se adequa facilmente a situações distintas que vão de um dia de sol até um jantar formal, podendo ser servidos tanto com gelo quanto completamente gelados.

    A garrafa possui 750ml e além disso o vinho se adequa muito bem com frutos do mar.

    Vantagens:

    • Ótimo custo-benefício;
    • Reconhecimento no mercado, que agrega confiabilidade na marca.

    Desvantagem:

    • Não foram encontrados avaliações de que este vinho harmonize com outros alimentos, com exceção dos frutos do mar.

    2 – Quinta de Bons-Ventos

    Preço: R$47,00 a 52,00

    Considerado um vinho Português, oriundo de Lisboa sua garrafa possui 750ml de bebida com aromas de morango, amora e algumas notas apimentadas. Quanto ao paladar, é considerado ácido e de final marcante.

    Além disso, é um vinho que consegue harmonizar bem com comidas leves e aperitivos, expandindo as possibilidades de composição ao consumidor, sem deixar de aproveitar toda a experiência que a bebida pode oferecer.

    Vantagem:

    • Preço acessível a todos os bolsos.

    Desvantagem:

    • Pouco recomendado para ocasiões especiais, com ênfase em uma bebida para o dia a dia.

    3 – Bleu de Mer

    Preço:R$110,00 a 115,00.

    Considerado uma marca compatível para dias quentes, entre a primavera e verão, a bebida é oriunda de Provence, na França e possui aroma frutado com sabor equilibrado, não sendo possível destacar sua intensidade ou leveza.
    De tipo seco, chegou há pouco tempo no Brasil, já sendo reconhecida anteriormente no exterior.

    Vantagens:

    • Harmoniza com uma grande variedade de alimentos, que vão de massas a doces;
    • Recebeu premiações no mercado Europeu, garantindo credibilidade a marca.

    Desvantagem:

    • Preço menos acessível em comparação as outras marcas.

    4 – Vinho Rosé Reservado

    Preço: R$35,00 a 39,00.

    De origem Chilena, este vinho possui corpo leve e toque seco, sendo considerado por muitos especialistas uma bebida de extrema qualidade a baixo custo. Harmoniza bem com aperitivos e alimentos picantes. Além disso, seu aroma é compatível com uma mistura frutada, de morango e cereja.

    Vantagem:

    • Produto considerado de excelente qualidade a um preço acessível.

    Desvantagem:

    • Por ser um vinho que agrada paladares iniciantes, pode causar um desconforto aos mais exigentes.

    5 – Mosketto Sweet Pink

    Preço:R$60,00 a 66,00.

    Esta bebida originária de Piemonte, Norte da Itália possui características importantes, como por exemplo apenas 5,5% de teor alcóolico. Isso faz que este vinho se torne uma ótima pedida refrescante e suas borbulhas ajudam a enfatizar esta deliciosa sensação. Combinam perfeitamente com pratos doces ou picantes, contudo, quando servidos sozinhos também são excelentes!

    Vantagens:

    • Baixo teor alcóolico;
    • Combina muito bem quando servida sozinha, ou seja, sem acompanhamentos.

    Desvantagem:

    • Para ocasiões especiais ou dias mais frios, não é a melhor opção para ser servida.

    6 – Mateus The Original (Rosé)

    Preço:R$67,00 a 72,00.

    Considerado um vinho mais denso, esta produção de origem portuguesa é composta por uma série de uvas também utilizadas no Vinho do Porto. O resultado é uma coloração mais escura, e encorpada. Deve ser servida fresca, e combina com uma série de pratos, que vão desde a frutos do mar, massas, alguns outros pratos da culinária Italiana e até mesmo comidas asiáticas.

    Vantagem:

    • Harmoniza bem com uma variedade maior de alimentos.

    Desvantagem:

    • Não foram encontradas desvantagens acerca do produto.

    7 – Grenache Terroir Littoral

    Preço:R$67,00 a 72,00.

    Esta produção, advinda do Sul da França resulta em um vinho jovem, fácil de beber e com aroma de frutas e flores. Além disso, devido a sua leveza e toque seco, é uma bebida que harmoniza bem com pratos vegetarianos, massas, frutos do mar e aperitivos em geral.

    Vantagem:

    • É uma opção de bebida que combina com pratos vegetarianos.

    Desvantagem:

    • Por se tratar de uma safra jovem, pode não agradar a consumidores mais exigentes.

    8 – Casal Garcia

    Preço: R$43,00 a 47,00.

    Desenvolvido em Portugal, a bebida considerada seca, possui sabor de morango e framboesa, além de uma sensação refrescante e efervescente ao paladar. Combina com uma grande variedade de aperitivos, frutos do mar e massas. Contudo, para um vinho seco, é considerado um pouco mais adocicado que o comum.

    Vantagens:

    • Harmoniza bem com uma grande variedade de alimentos;
    • Considerada uma ótima opção refrescante.

    Desvantagem:

    • Mais adocicado que o comum para um vinho seco.

    9 – Miolo Seleção (Rosé)

    Preço: R$44,00 a 48,00.

    É o primeiro Vinho Rosé do grupo Miolo, marca brasileira conhecida no mercado exterior. Além disso, possui acidez média, com um sabor persistente ao paladar, fato que para algumas pessoas pode gerar certo tipo de incômodo. Quanto a sua harmonização, a bebida combina bem com opções leves, frutos do mar, carne brancas e queijos.

    Vantagem:

    • Marca brasileira renomada no mercado, o que dá credibilidade ao produto.

    Desvantagem:

    • Devido ao seu sabor marcante, pode não agradar a muitos paladares.

    10 – Mosen Pierre

    Preço: R$42,00 a 47,00.

    Produzido na Espanha, em Navarra, o nosso último colocado mas não menos especial possui em sua composição a variedade de dois tipos de uvas: a Tempranillo e Grenache. Possui um sabor floral, seco e acidez equilibrada.
    Não é um vinho com características extremamente marcantes, por isso combina bem com carnes brancas, alguns frutos do mar e queijos.

    Vantagem:

    • Vinho simples e equilibrado, fácil para consumo e adaptação ao paladar.

    Desvantagem:

    • Para consumidores mais exigentes, esta bebida pode parecer um pouco mais sem identidade.

    Conclusão:

    Assim finalizamos por aqui nossa seleção especial. Como visto, são opções baratas, reconhecidas no mercado e que mais uma vez reafirmam que, consumir vinho pode ser uma experiência muito boa e acessível também, uma vez que se conheçam as opções corretas e que atendam melhor às suas expectativas!

    Referências:

    https://www.thespruceeats.com/best-rose-wines-3511062

    https://www.themanual.com/food-and-drink/best-rose-wines/

    https://www.winemag.com/2020/09/04/best-popular-rose-wine-guide/

    https://www.gayot.com/wines/top-best-rose-wine-to-drink/

    https://www.majestic.co.uk/top-10-rose

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • suave-caros-preço-argentinos-2019-2020-vinho-chileno-cabernet-sauvignon-carménère
    vinhos

    Os 10 Melhores Vinhos Chilenos Bons e Baratos para Comprar

    No celular gire a tela para ver a tabela completa

    PosiçãoVinhoPreçoOnde Comprar
    1Cabernet Sauvignon ReservadoR$26,00 a 34,00Ver
    2Merlot Aves Del SurR$45,00 a 55,00Ver
    3Branco Suave Bodega ViejaR$40,00 a 50,00Ver
    4Rosé Reservado
    Famiglia Zaeli
    R$40,00 a 50,00Ver
    5Rosé Reservado VentisqueroR$80,00 a 90,00Ver
    6Cabernet Sauvignon Reserva
    Etiqueta Negra
    R$290,00 a 310,00Ver
    7Marques de Casa
    Concha Carménère
    R$120,00 a 130,00Ver
    8Branco Reserva Chardonnay
    Aves Del Sur
    R$80,00 a 90,00Ver
    9Chardonnay 1551R$40,00 a 50,00Ver
    10Rosé Winemakers
    Secret Barrels
    R$190,00 a 200,00Ver

    Os Dez Melhores Rótulos Chilenos, Marcas e Vinícolas com Ótimo Custo Benefício para Experimentar esse Ano!

    Não dá para negar que um prato de macarrão fica ainda melhor se acompanhado com uma bela taça de vinho, não é mesmo? Mas seu aroma e seu gosto tornam a bebida o personagem principal, sem nem precisar de acompanhamento.

    Para os fãs desse alcoólico, que estão sempre à procura de aumentar seu conhecimento e paladar, abaixo separamos os 10 melhores vinhos chilenos para você provar e se apaixonar ainda mais por esse item. Vamos lá?!

    Quais São os Vinhos, Onde Comprar e Qual o preço de cada garrafa?

    1 – Cabernet Sauvignon Reservado

    Preço: R$26,00 a 34,00.

    Para quem quer se aventurar pelo universo do vinho chileno, pode começar com a versão chilena do Cabernet Sauvignon. Além de qualidade, essa opção possui um valor super em conta.

    Ele é o queridinho entre os amantes de vinho por ter uma excelente qualidade. É perfeito para o dia a dia, porém, aqueles com paladar mais sofisticado podem sentir um pouco da falta da sofisticação.

    Prós:

    • Bom e barato;
    • Fácil de beber.

    Contra:

    • Falta de sofisticação.

    Para os iniciantes, é uma boa pedida, ainda mais pelo fato de que o Cabernet Sauvignon possui um sabor mais suave.

    2 – Vinho Chileno Merlot Aves Del Sur

    Preço: R$ 45,00 a 55,00.

    Mais uma opção de vinho tinto na nossa lista, o Merlot da Aves Del Sur é a pedida perfeita para combinar com aquela noite de massas, pizzas e carne. Ele é leve, saboroso, tem um paladar mais aveludado na língua e possui um aroma que lembra frutas pretas, como cereja e amora.

    Prós:

    • Sabor aveludado;
    • Ótimo custo-benefício.

    Contra:

    • Pode desagradar quem prefere vinhos mais encorpados.

    Para quem se preocupa em como os produtos que consome são produzidos, a vinícola Del Pedregal possui um sistema de fabricação que combina técnicas tradicionais e de sustentabilidade.

    3 – Vinho branco chileno suave Bodega Vieja

    Preço: R$40,00 a 50,00.

    Essa opção é perfeita para quem gosta tanto de vinho tinto quanto branco, já que a Bodega Vieja trabalha com as duas opções. Esta produção da vinícola é considerada o melhor vinho chileno suave disponível.

    Feito com Sauvignon Blanc, detém um sabor frutado, o que ajuda na degustação, ainda mais por se tratar de um vinho branco, que costuma ter um gosto mais forte e presente.

    Prós:

    • Versão em vinho tinto e branco;
    • Sabor frutado.

    Contra:

    • Muito doce para paladares mais treinados.

    Esse vai totalmente em direção oposta dos vinhos brancos, que costumam ser intensos e marcantes. Uma boa pedida para quem quer começar a apreciar uvas brancas.

    4 – Vinho rosé chileno reservado Famiglia Zaeli

    Preço: R$ 40,00 a 50,00.

    Apesar do vinho tinto e branco serem os mais comuns, não podemos nos esquecer dos rosés. Uma opção perfeita para aqueles dias quentes, já que é uma bebida refrescante.

    O rosé da Famiglia Zaeli possui taninos mais marcantes no paladar. Sua coloração é mais forte por conta da utilização de uva mais forte em sua composição.

    Ele oferece um sabor aveludado e de frutas, o que faz ele ser consumido com mais facilidade.

    Prós:

    • Ótimo custo-benefício;
    • Sabor mais adocicado.

    Contra:

    • Produzido no Brasil com uvas do Valle Central do Chile – pode desagradar os paladares mais tradicionais.

    Por ser refrescante, o rosé é perfeito para confraternizações, ainda mais se for ao ar livre.

    5 – Vinho rosé chileno reservado Ventisquero

    Preço: R$80,00 a 90,00.

    Feito com uva do tipo Syrah, esse rosé da Ventisquero proporciona um gosto prolongado e marcante na boca. Seu diferencial fica na cor. Mesmo sendo usada uma fruta de cor rubi na sua confecção, a bebida é macerada para ficar com uma coloração mais clara.

    Feito em barril de aço inoxidável, o alcoólico tem um excelente aroma de frutas com notas mais refrescantes.

    Prós:

  • Custo-benefício;
  • Refrescância.

Contra:

  • Gosto marcante e prolongado, sendo um problema para quem não está acostumado.

Por ter notas mais refrescantes, cai como uma luva para os dias de verão, se tornando o companheiro perfeito para aquelas horas na beira da piscina ou mesmo na praia.

6 – Cabernet Sauvignon Reserva Etiqueta Negra

Preço: R$290,00 a 310,00.

Para quem puder e quiser colocar a mão no bolso, terá a oportunidade de provar o Cabernet Sauvignon Reserva Etiqueta Negra da Tarapacá.

Vinho chileno do tipo Premium, essa bebida detém um gosto mais seco e aromas mais marcantes, sendo uma excelente opção principalmente para aqueles com paladar treinado, isso porque o sabor da bebida é marcado por notas de couro e tabaco, proporcionando uma experiência mais prolongada e intensa na boca.

Seu diferencial fica na sua confecção, que é super cuidadosa. O líquido permanece um ano e dois meses em um barril de carvalho.

Prós:

  • Agrada paladares mais treinados;
  • Produção cuidadosa.

Contras:

  • Alto custo;
  • Não vai agradar quem prefere sabores mais leves e adocicados.

Esse é o presente perfeito para você dar aquele amigo ou amiga que já tem certa experiência no consumo de vinhos mais fortes.

7 – Marques de Casa Concha Carménère

Preço: R$120,00 a 130,00.

Fabricado pela tradicional vinícola chilena Concha Y Toro, esse vinho conta com um sabor intenso, assim como mais acidez e taninos marcantes. Ele passa por um processo de envelhecimento em barris por cerca de um ano e quatro meses, o que faz deste um vinho chileno de alta qualidade e refinado.

Prós:

  • Altíssima qualidade;
  • Agrada paladares treinados.

Contra:

  • Não é um rótulo tão popular, por isso acaba sendo um pouco mais caro.

Apesar de ter um custo mais elevado, o Marques de Casa Concha é ideal para quem quer conhecer a verdadeira essência do vinho chileno.

8 – Vinho branco chileno Reserva Chardonnay Aves Del Sur

Preço: R$80,00 a 90,00.

Marcante e grifado, este Chardonnay combina com paladares mais treinados. Uma curiosidade é que, apesar de ser um vinho branco, sua coloração é esverdeada, e isso por conta da uva utilizada em sua fabricação, de nome homônimo da bebida. Esse tom também vem do processo de amadurecimento, que ocorre em barris de carvalho, por cerca de 8 meses.

Prós:

  • Bom custo-benefício;
  • Vinho altamente premiado.

Contra:

  • Ideal principalmente para paladares treinados.

Se na hora de comprar um vinho, você se importar com o reconhecimento do produto, então você vai adorar o Chardonnay da Aves Del Sur.

9 – Chardonnay 1551

Preço: R$40,00 a 50,00.

O Chardonnay 1551 é claramente um vinho muito bom é barato, principalmente se pensarmos em seu processo de fabricação. A bebida, que é produzida pela Cono Sur, é toda feita com meios de produção ecológicos e sustentáveis. Diante dessa informação, seu custo é bem em conta.

É uma vinho de fácil consumo por ser mais suave e com gosto de frutas.

Prós:

  • Ótimo custo-benefício;
  • Gosto suave e frutado.

Contra:

  • Pode não ser uma boa opção para quem prefere sabores mais marcantes.

Por ele conter 10% de outras uvas e sendo mais leve justamente por isso, tem que estar na lista de quem quer começar a se aventurar nos vinhos brancos.

10 – Rosé chileno Winemakers Secret Barrels

Preço: R$190,00 a 200,00.

A experiência para quem prova o Winemakers Secret Barrels é um fator marcante entre os consumidores desse vinho, e isso se deve ao fato de que a mistura das uva é secreta. Ou seja, somente o fabricante sabe as características técnicas dessa bebida, o que torna seu consumo um momento de pura curiosidade, já que você provavelmente vai tentar adivinhar o que vai neste vinho.

Contudo, mesmo que os ingredientes sejam desconhecidos ao público, de nada interfere na leveza e refrescância desse rótulo.

Prós:

  • Bom custo-benefício;
  • Sabor leve e refrescante.

Contras:

  • Não conhecer o blend que compõe o vinho, pode não agradar algumas pessoas.

Além do mistério nas uvas usadas nesse vinho rosé chileno, outro diferencial da bebida é que a garrafa é de um litro. Ou seja, ótimo para ser compartilhado naquele encontro com os amigos.

E aí, pronto para aprofundar seus conhecimentos em vinhos Chilenos?

Não deixe de experimentar todas as opções, mesmo que você seja acostumado a tomar apenas vinho tinto. Uma das graças em degustar é justamente se aventurar por alternativas que você não tem o hábito de consumir.

Referências:

https://tipsparatuviaje.com/mejores-vinos-chilenos/

https://www.mqltv.com/buenos-ricos-y-baratos-conoce-las-10-mejores-gangas-de-vinos-chilenos/

https://www.capital.cl/seis-vinos-chilenos-entre-los-10-mejores-de-los-andes/

Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • 2020-nacionais-bons-e-baratos-sugestão-importado-bons-e-baratos-para-iniciantes-importados-suave-doce
    vinhos

    Os 10 Melhores Vinhos Suaves Bons e Baratos Para Comprar

    No celular gire a tela para ver a tabela completa

    PosiçãoVinhoPreçoOnde Comprar
    1Abes del Sur – Cabernet SauvignonR$26,00 a 32,00Ver
    2José Maria da Fonseca Periquita TintoR$55,00 a 60,00Ver
    3Porto Valdouro TawnyR$95,00 a 105,00Ver
    4Lambrusco Dell’emilia Cascina Santa Maria DoceR$25,00 a 30,00Ver
    5Woodbridge White ZinfandelR$88,00 a 93,00Ver
    6Chilensis Carmenère ReservaR$78,00 a 83,00Ver
    7Aurora Reserva TannatR$47,00 a 53,00Ver
    8Olaria Tinto SuaveR$30,00 a 47,00Ver
    9Benjamim Nieto Suave & RefrescanteR$40,00 a 49,00Ver
    10Finca Terranostra MalbecR$45,00 a 52,00Ver

    Onde Comprar? Qual o preço de cada garrafa?

    Um bom vinho é perfeito companheiro de qualquer tipo de situação social, seja um simples e eventual almoço de família, seja uma ocasião mais refinada, tudo combina com um bom vinho.

    São inúmeras opções de uvas que harmonizam maravilhosamente com os mais variados tipos de culinária, Entre essas opções, há o vinho doce.

    A característica básica do vinho suave é a adição do açúcar em sua fórmula e ele pode ser tanto tinto quanto branco ou rosê. São vinhos simples, não apresentam grandes opções de aroma e sabor. Perfeitos para um momento de descontração em casa, assistindo um filme ou num encontro informal com amigos. São basicamente vinhos despretensiosos e simples.

    1 – Abes del Sur – Cabernet Sauvignon

    Produzido pela vinícola chilena Carta Vieja, esse vinho teve sua melhor safra em 2019 e possui notas de chocolate, café e tabaco.

    Excelente acompanhamento para carnes vermelhas, assados em geral, massas e queijos curados. Considerado um vinho coringa, pode ser tomado sozinho também. Vinhos produzidos com uvas do tipo Cabernet Sauvignon são versáteis no quesito acompanhamento e harmonização.

    O valor oscila entre R$26,00 a 32,00.

    2 – José Maria da Fonseca Periquita Tinto

    Produzido na Península de Setúbal em Portugal, esse é um tinto que certamente agrada com facilidade. Conta com aromas com notas frutadas e florais e ainda uma acidez marcante no sabor.

    Este vinho tem história, pois foi a primeira bebida a ser engarrafada em Portugal por volta de 1850.
    Com o tempo, foi tornando-se famoso em seu país, ganhando até mesmo reputação internacional.

    Versátil na mesa, combina muito bem com quase tudo, desde aves a massas, passando ainda por um churrasco.

    Custa entre R$55,00 a 60,00.

    3 – Vinho do Porto Valdouro Tawny

    Típico vinho do Porto, de Portugal, tem alto teor alcoólico (19%) e é bastante encorpado, apresentando um agradável equilíbrio entre a doçura e a acidez. O aroma é rico, num mix de madeira, frutas secas, mel e café.

    Um vinho original e marcante, recomendado para ocasiões mais especiais.

    Seu valor fica entre R$95,00 a 105,00.

    4 – Lambrusco Dell’emilia Cascina Santa Maria Doce

    Produzido na vinícola italiana Chiarli, essa é uma bebida leve e refrescante com um aroma de frutas. Por essa leveza, cai muito bem acompanhando sobremesas geladas e cremosas e também à base de frutas.

    Seu valor fica entre R$25,00 a 30,00.

    5 – Woodbridge White Zinfandel

    De origem californiana (EUA), esse Rosé é uma ótima pedida para as agradáveis tardes com amigos.

    Com aroma suave de frutas vermelhas e presença de notas cítricas e florais, tem baixo teor alcoólico (9,5%), resultando numa bebida frutada, adocicada, leve e fresca.

    Ótimo acompanhante para sobremesas e petiscos, seu preço varia de R$88,00 a 93,00.

    6 – Chilensis Carmenère Reserva

    Proveniente do Vale Maule no Chile, esse tinto possui um teor alcoólico moderado (13,5%). Tem a cor vermelho escuro com nuances violáceas, sabor e aroma intensos, de frutas vermelhas e negras como amora e a groselha passando a tons de chocolate e tabaco, esse é um vinho encorpado e firme ao paladar.

    Versátil na mesa, acompanha desde carnes assadas até quiches e risotos com molhos picantes e agridoces.

    Custa entre R$78,00 a 83,00.

    7 – Aurora Reserva Tannat

    Sendo uma uva originária do sul da França, a Tannat encontrou uma ótima adaptação na Serra Gaúcha, onde ficam os vinhedos Aurora.

    Com teor alcoólico moderado de 12,5%, essa é uma opção de paladar concentrado, volumoso, com aroma de frutas negras e notas de carvalho. Harmoniza com queijos fortes, salames e carnes assadas.

    O preço varia de R$47,00 a 53,00.

    8 – Olaria Tinto Suave

    Esse é um tinto suave feito a partir das uvas Aragonez, Castelão e Trincadeira, é proveniente da região de Alentejo, Portugal. Com um aroma de frutas maduras, ele também tem um agradável equilíbrio entre a doçura e a acidez, harmoniza com massas leves.

    O preço varia de R$30,00 a 47,00.

    9 – Benjamim Nieto Suave & Refrescante

    Proveniente da região de Mendoza, Argentina, essa bebida é composta por um mix de uvas do tipo Malbec, Syrah e Merlot e tem baixo teor alcoólico (10,5%). Com aroma agradável de frutas vermelhas e maduras, parece muito um champagne frutado. Na boca, seu sabor se equilibra entre a doçura e a acidez.

    Harmoniza com frutos do mar, queijos leves e frescos e ainda com sobremesas.

    O preço vai de R$40,00 a 49,00.

    10 – Finca Terranostra Malbec

    Vinho argentino também da região de Mendoza composto pelas uvas Malbec, Bonarda e Tempranillo.

    Bastante volumoso, harmoniza muito bem com massas, carnes, queijos e antepastos.

    Com teor alcoólico moderado de 12%, essa opção traz consigo o agradável aroma das frutas vermelhas, como amora, cereja e morango.

    Seu preço varia de R$45,00 a 52,00.

    Existem ainda inúmeras outras opções, mas não cabem todas aqui. Trata-se de uma bebida largamente produzida e consumida no mundo inteiro: opções de escolha é justamente o que não falta.

    Cabe a você decidir qual o melhor vinho suave para sua ocasião.

    As opções que foram listadas já nos deixam com uma agradável vontade de testar alegremente, como pede essa bebida tão universal e cheia de personalidade. Em roda de amigos, em cineminha caseiro, em eventos sofisticados, tudo cai como uma luva: o vinho talvez seja a única bebida com tanta versatilidade e adaptabilidade. Saúde!

    Referências:

    https://delishably.com/beverages/10-Cheap-Wines-That-Still-Taste-Good

    https://delishably.com/beverages/Best-Fruity-Sweet-Tasting-Wines

    https://thetab.com/us/2017/08/14/best-cheap-wines-ranked-70689

    https://www.reversewinesnob.com/search/label/red-blends/

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • 2020-ate-100 reais-lista dos-do-mundo-2019-bons-e-baratos-brasileiros-importados-tinto-do-brasil
    vinhos

    Os 10 Melhores Vinhos Secos Bons e Baratos Para Comprar

    No celular gire a tela para ver a tabela completa

    PosiçãoVinhoPreçoOnde Comprar
    1Finca Dorada Selección
    Especial Merlot 2019 – Chile
    R$30,00 a 40,00Ver
    2Partridge Reserva
    Malbec 2018
    R$45,00 a 55,00Ver
    3Já PiasR$30,00 a 40,00Ver
    4Navegar Sin Mar
    Cabernet Sauvignon 2020
    R$30,00 a 40,00Ver
    5Palafitos de Mar Semi Sweet Rosé
    Cabernet Sauvignon Syrah 2020
    R$35,00 a 45,00Ver
    6Paine Syrah 2019R$30,00 a 40,00Ver
    7Villaggio Grando Merlot
    – Santa Catarina
    R$65,00 a 75,00Ver
    8Bodega Vieja
    Cabernet Sauvignon
    R$35,00 a 45,00Ver
    9Tinto Lidio Carraro
    Faces do Brasil Merlot 2019
    R$45,00 a 55,00Ver
    10Sanjo Nobrese
    Carbenet Sauvignon
    R$30,00 a 40,00Ver

    Nada melhor do que degustar um bom vinho acompanhado de uma boa comida e ainda melhor se estiver ao lado de alguém que ama, não é mesmo?

    Mas o que é vinho seco? É definido como seco, aquele vinho que possui no máximo cinco gramas de açúcar por litro. Ele pode ser tanto tinto quanto branco.

    Para os entendedores e apreciadores de vinho, estes são os melhores pois como não há adição de açúcar, a percepção e identificação de aromas e sabores da bebida não serão prejudicados, visto que o açúcar interfere diretamente neste processo.

    E diante as diversas opções de vinhos Brasileiros e importados disponíveis no mercado atualmente, qual deles escolher? Foi pensando nisso, que nós separamos a você uma lista contendo os 10 melhores vinhos secos, bons e baratos disponíveis atualmente no mercado. Vamos a ela?

    Onde Comprar? Qual o preço de cada garrafa?

    1- Finca Dorada Selección Especial Merlot 2019 – Chile

    Valor: R$ 30,00 a 40,00.

    De origem chilena, este vinho tinto meio seco tem uma breve passagem por barricas de carvalho, o que confere a ele, ao final, um aroma característico. Ele possui acidez agradável e notas de tabaco e frutas vermelhas.

    O vinho Finca Dorada Selección Especial Merlot agrada a todos os paladares, desde os iniciantes até os maiores apreciadores desta deliciosa bebida.

    Ele é um vinho gastronômico que combinada com as mais variadas receitas do dia a dia e é comercializado como a maioria dos vinhos, em garrafas contendo 750 ml cada.

    A principal vantagem deste vinho é o excelente custo x benefício.

    2 – Partridge Reserva Malbec 2018

    Valor: R$ 45,00 a 55,00.

    Este é um vinho tinto seco de origem argentina. Possui acidez agradável, paladar frutado (ameixa, cereja, framboesa), notas de baunilha e toque amadeirado. Este é um vinho que possui o perfeito equilíbrio entre fruta e madeira.

    Ele é comercializado em garrafas contendo 750 ml cada e, apesar de ser de excelente qualidade e possui um ótimo preço, a sua desvantagem é ser extremamente seco, desagradando ao paladar de quem não está acostumado com este tipo de vinho.

    3 – Já Pias

    Valor: R$ 30,00 a 40,00.

    De origem portuguesa, o vinho Já Pias é do tipo meio seco, e é considerado uma verdadeira raridade entre os apreciadores de vinho. Possui acidez suave, e um perfeito equilíbrio entre a fruta vermelha e os taninos.

    É comercializado assim como a maioria dos vinhos em garrafas de 750 ml e possui um valor bem acessível, ideal para quem gosta de unir qualidade a bom preço.

    A sua desvantagem é que ele não é encontrado em qualquer local.

    4 – Navegar Sin Mar Cabernet Sauvignon 2020

    Valor: R$ 30,00 a 40,00.

    De origem argentina, o Navegar Sin Mar Cabernet Sauvignon é um vinho tinto seco bastante frutado, com boa acidez. É um vinho ideal para ser degustado com queijos ou então com carne vermelha.

    É comercializado em garrafas contendo 750 ml cada a um preço bem acessível.

    5 – Palafitos de Mar Semi Sweet Rosé Cabernet Sauvignon Syrah 2020

    Valor: R$ 35,00 a 45,00.

    De origem chilena, este é um vinho Rosé meio seco, refrescante, leve e com sabor frutado. Ele possui uma acidez bastante agradável e é ideal para ser consumido em dias quentes, justamente por conta de seu frescor.

    É comercializado em garrafas contendo 750 ml cada a um preço bem acessível. Sua desvantagem é ser Rosé, visto que não são todas as pessoas que gostam de vinho como este.

    6 – Paine Syrah 2019

    Valor: R$ 30,00 a 40,00

    Os vinhos argentinos e chilenos são os que se enquadram bem na lista de vinhos bons e baratos e o vinho Paine Syrah 2019 é um destes. De origem chilena, este é um vinho tinto e seco, que passou por um amadurecimento em barricas de carvalho, o que contribui para o seu aroma característico.

    Ele pode ser consumido tanto sozinho como também acompanhando uma massa ou uma pizza.

    É comercializado em garrafas contendo 750 ml cada a um preço bem acessível, como pode ser verificado acima.

    7 – Villaggio Grando Merlot – Santa Catarina

    Valor: R$ 65,00 a 75,00

    O vinho Villagio Grando Merlot é um vinho tinto de origem brasileira, com teor alcoólico de 13% e corpo médio, possui cor rubi brilhante e um aroma bem robusto.

    Ele harmoniza muito bem com massas e pizzas. E comercializado em garrafas contendo 750 ml cada e possui como desvantagem o seu preço não tão atrativo, porém quem o adquire, diz que vale muito a pena desembolsar este valor para degustá-lo.

    8 – Bodega Vieja Cabernet Sauvignon

    Valor: R$ 35,00 a 45,00

    Este é um vinho tinto seco de origem chilena com um excelente custo x benefício. Possui um teor alcoólico de 13%, frescor e aroma frutado de ameixa, mirtilo e cerejas negras. Harmoniza muito bem com carnes vermelhas.

    É comercializado assim como a maioria dos vinhos em garrafas de 750 ml e possui como vantagem o ótimo preço como já mencionado. A desvantagem é que ele não é encontrado em muitos pontos de vendas.

    9 – Vinho Tinto Lidio Carraro Faces do Brasil Merlot 2019

    Valor: R$ 45,00 a 55,00.

    Produzido no Rio de Grande do Sul, na vinícola Lidio Carraro, este é um dos vinhos mais famosos do Brasil. É um vinho tinto, seco com teor alcoólico de 13%, possui coloração vermelho rubi, é bem refrescante e tem como descritores de odor amora, morango, framboesa, cravo da índia e cassis.

    Harmoniza muito bem com queijo, carnes vermelhas, massas e risotos.

    É comercializado em garrafas de 750 ml cada e possui como vantagem o bom custo benefício.

    10 – Sanjo Nobrese Carbenet Sauvignon

    Valor: R$ 30,00 a 40,00.

    De origem brasileira, o vinho Sanjo Nobrese Carbenet Sauvignon é produzido na vinícola Sanjo, localizada no sul do país. Possui cor vermelho rubi, teor alcoólico de 13% e seu aroma traz notas de frutas vermelhas.

    Harmoniza maravilhosamente bem com carnes vermelhas assadas.

    É comercializado em garrafas contendo 750 ml cada e possui um excelente custo x benefício.

    Conclusão:

    Trouxemos até você tudo sobre o melhor vinho seco disponível atualmente em nosso país. Nossa lista contém vinhos nacionais e importados e diante tantas variedades é impossível que você não tenha se interessado por algum deles, não é mesmo? Sendo assim, desejamos a você boas compras!

    Referências:

    https://www.eatthis.com/best-cheap-wines/

    https://www.cosmopolitan.com/lifestyle/g19734826/best-cheap-wines/

    https://spoonuniversity.com/lifestyle/10-best-wines-at-target-on-a-budget

    https://www.winemag.com/2020/10/09/best-budget-american-white-wines/

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • bons-baratos-2019-melhor-vinho-branco-brasileiro-do-mundo-seco-branco-suave-tipos de-importados
    vinhos

    Os 10 melhores Vinhos Brancos Bons e Baratos para Comprar

    No celular gire a tela para ver a tabela completa

    PosiçãoVinhoPreçoOnde Comprar
    1Seco Sauvignon Blanc
    – Casa Perini
    R$58,00 a 65,00Ver
    2Naturellle Branco Suave
    – Casa Valduga
    R$50,00 a 60,00Ver
    3Pinto Bandeira – AuroraR$60,00 a 70,00Ver
    4Monte Velho Branco
    – Portugal
    R$60,00 a 70,00Ver
    5Sauvignon Blanc Reservado
    – Santa Helena
    R$55,00 a 70,00Ver
    6Reservado Charhonnay
    – Santa Carolina
    R$50,00 a 60,00Ver
    71551 Chardonnay
    – Cono Sur
    R$55,00 a 65,00Ver
    8Chardonnay – Los VascosR$75,00 a 80,00Ver
    9Chardonnay – Golden SunR$65,00 a 75,00Ver
    10Sauvignon Blanc – Concha Y ToroR$50,00 a 60,00Ver

    O vinho é uma bebida obtida a partir da fermentação das uvas que possui um sabor muito agradável e que por este motivo vem sendo consumida pelos homens desde a antiguidade. Além de ser agradável ao paladar, ele traz ainda alguns benefícios à saúde, àqueles que o consomem com frequência.

    Já está comprovado cientificamente que o consumo regular do vinho traz benefícios principalmente ao sistema cardiovascular, nervoso e imunológico das pessoas.

    O vinho branco é feito a partir de uvas verdes ou então através da polpa da uva roxa. Esta qualidade de vinho vem se popularizando dia a dia no Brasil, devido ao seu frescor e leveza que combina perfeitamente com o nosso clima tropical.

    E para você que é amante de vinho ou que pretende inclui-lo em seu dia a dia, trouxemos hoje a uma lista contendo os 10 melhores vinhos brancos bons e baratos disponíveis no mercado. Acompanhe conosco!

    Onde Comprar? Qual o preço de cada garrafa?

    1 – Vinho Branco Seco Sauvignon Blanc – Casa Perini

    Valor: R$ 58,00 a 65,00.

    Este vinho é produzido pela Casa Perini que é uma das principais vinícolas do Brasil na atualidade. É uma bebida refrescante que possui boa acidez, um teor alcóolico de 12%, aroma cítrico com notas de erva-cidreira.

    Harmoniza perfeitamente com carnes brancas e é ideal para ser servido em jantares com massas e frutos do mar.

    Ele é comercializado em garrafas que contém 750 ml cada e possui um excelente custo x benefício.

    A desvantagem se dá no toque de erva-cidreira no final, que não agrada alguns consumidores.

    2 – Vinho Naturellle Branco Suave – Casa Valduga

    Valor: R$ 50,00 a 60,00.

    O vinho Naturelle Branco Suave é o mais indicado para você que pretende iniciar um consumo regular desta bebida.

    Isto se deve ao fato de ela ser leve e equilibrada, doce, com uma pequena acidez e com notas de flores e frutas.

    Seu teor alcoólico é de 10%.

    Este vinho é feito a partir de uvas das variedades Moscato e Malvasia e é ideal para ser consumido juntamente com pratos leves, queijos e doces.

    Ele é comercializado em garrafas contendo 750 ml cada.

    A desvantagem deste vinho é que por ele ter um baixo teor alcoólico, as pessoas acabam exagerando na dose embriagando-se.

    3 – Vinho Branco Pinto Bandeira – Aurora

    Valor: R$ 60,00 a 70,00.

    O nome deste vinho se refere à região na qual as uvas utilizadas para a sua produção são plantadas: Pinto Bandeira.

    Este é um vinho de qualidade, que possui notas olfativas de flores, baunilha, frutas e coco. Possui também um sabor único e é extremamente refrescante. Possui 13% de teor alcóolico e é comercializado em garrafas de 750 ml.

    A grande vantagem deste vinho é o seu excelente custo x benefício, pois é um vinho de excelente qualidade e que possui um preço bem acessível.

    4 – Vinho Branco Português – Monte Velho Branco

    Valor: R$ 60,00 a 70,00.

    O vinho branco português Monte Velho Branco é refrescante, leve e possui uma acidez mediana. Tem aroma de abacaxi e frutas cítricas.

    É considerado um vinho gastronômico e é ideal para ser consumido juntamente com peixe assado e batatas, muito azeite e azeitonas ou então sardinha na brasa.

    Possui 13% de teor alcóolico e é comercializado em garrafas de 750 ml cada.

    Sua vantagem é ser um vinho gastronômico bem versátil.

    5 – Vinho Branco Sauvignon Blanc Reservado – Santa Helena

    Valor: R$ 55,00 a 70,00.

    De origem chilena, este vinho assim como todos os outros que vem marcados como “reservados” se referem a vinhos mais jovens e que por este motivo são mais fáceis de beber e assim recomendados para pessoas que não tem o hábito de consumir este tipo de bebida alcoólica com frequência.

    O Vinho Branco Sauvignon Blanc Reservado, da vinícola Santa Helena, possui coloração amarelada e é ideal para ser tomado em temperatura fria, como acompanhamento para massas e frutos do mar.

    Suas principais características são: acidez marcante e sabor frutado, em especial de manga e abacaxi. Assim, como a maioria dos vinhos, ele também é comercializado em garrafas contendo 750 ml cada.

    6 – Vinho Branco Reservado Charhonnay – Santa Carolina

    Valor: R$ 50,00 a 60,00.

    Este também é um vinho importado, produzido no Chile em uma das mais antigas vinícolas do país.

    De excelente qualidade, este vinho possui notas de mamão papaia, melão, pêssego e maçã.

    Possui teor alcoólico de 13,5% e é comercializado assim como a maioria dos vinhos em garrafas contendo 750 ml cada.

    A grande vantagem deste vinho é seu custo x benefício, pois esta é uma bebida importada de excelente qualidade que é comercializada em nosso país por um preço bem acessível.

    7 – Vinho Branco 1551 Chardonnay – Cono Sur

    Valor: R$ 55,00 a 65,00.

    Este é também um vinho importado, produzido na vinícola Cono Sur, localizada no Vale de Casablanca, no Chile.

    Ele é considerado um vinho branco menos seco, extremamente refrescante, seu aroma possui notas de frutas cítricas, maçã e manteiga.

    O Vinho Branco 1551 Chardonnay possui um preço bem acessível, ainda mais pois se tratar de um vinho importado e excelente qualidade.

    8 – Vinho Branco Chardonnay – Los Vascos

    Valor: R$ 75,00 a 80,00.

    O Vinho Branco Chardonnay produzido pela vinícola Los Vascos, é um vinho de altíssima qualidade.

    É um vinho fresco, cujo aroma é característico desta espécie de fruta, possuindo ainda nuances frutais.

    Possui coloração amarelada, um teor alcóolico de 13,5% e é comercializado em garrafas contendo um volume de 750 ml.

    Este vinho possui um valor um pouco mais alto do que os já apresentados aqui, porém o sabor agradável certamente faz valer a pena sua compra.

    9 – Vinho Branco Chardonnay – Golden Sun

    Valor: R$ 65,00 a 75,00.

    Este é um vinho de origem australiana, muito apreciado pelos amantes de vinho. Isto porque possui uma acidez média e um teor alcóolico de 12,3% que é considerado baixo quando comparado a outros vinhos.

    Possui coloração dourada, é muito refrescante e seu aroma é de pera com notas de frutas cítricas. É comercializado assim como os demais vinhos em garrafas contendo 750 ml cada.

    Possui como vantagem seu baixo teor alcoólico associado ao seu valor acessível para compra.

    10 – Vinho Branco Sauvignon Blanc – Concha Y Toro

    Valor: R$ 50,00 a 60,00.

    Este também é um vinho de origem chilena, extremamente refrescante e saboroso e cujo aroma possui notas de frutas cítricas.

    Possui coloração amarelada com tons esverdeados. Ele é ideal para ser consumido juntamente com peixes, massas e frutos do mar. Com teor alcoólico de 12,5%, que é considerado baixo quando comparado aos demais vinhos brancos.
    Recomenda-se degustar este vinho em uma temperatura entre 8 e 10ºC.

    As vantagens do Vinho Branco Sauvignon Blanc – Concha Y Toro são: seu baixo teor alcoólico e seu preço acessível.

    Conclusão:

    Depois desta apresentação do melhor vinho branco, temos certeza de que você já irá às compras com bom conhecimento e definição, não é verdade? Afinal toda a pesquisa já foi realizada por nós, e estes vinhos estarão ao seu dispor com apenas um clique na internet.

    Referências:

    https://www.foodandwine.com/wine/white-wine/best-15-dollar-and-under-white-wines

    https://www.delish.com/entertaining/wine/g32066856/best-white-wine/

    https://www.vinovest.co/blog/white-wine

    https://www.wineanddrama.com/1711/top-10-best-white-wines/

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • lista dos-do-mundo-bons-e-baratos-2019-2020-suaves-importados-vinho-tinto-chileno-emiliana-merlot
    vinhos

    Os 10 Melhores Vinhos Tintos Bons e Baratos Para Comprar

    No celular gire a tela para ver a tabela completa

    PosiçãoVinhoPreçoOnde Comprar
    1Morandé Pionero
    Cabernet Sauvignon
    R$63,00 a 71,00Ver
    2Menguante GarnachaR$80,00 a 110,00Ver
    3Coto de Imaz (El Coto)R$120,00 a 150,00Ver
    4Concha Y Toro Reservado
    Meio Seco Carménère
    R$34,00 a 55,00Ver
    5Chianti Classico
    Riserva (Cigliano)
    R$120,00 a 130,00Ver
    6Tinto Santa Carolina Reservado
    – Cabernet Sauvignon
    R$27,00 a 32,00Ver
    7Yellow Tail ShirazR$60,00 a 65,00Ver
    8Dante Robino MalbecR$80,00 a 85,00Ver
    9Mancura CarménèreR$45,00 a 55,00Ver
    10Grans Muralles
    (Família Torres)
    R$440,00 a 460,00Ver

    Onde comprar? Qual o preço de cada garrafa?

    Vinhos são bebidas altamente versáteis: fazem bem nas mais variadas situações, desde um simples cineminha em casa a uma festa mais pomposa. Existem vinhos para todos os gostos e bolsos, com os mais variados tipos de uvas, provenientes de diferentes regiões dos quatro cantos do planeta.

    É uma bebida que só cresce em preferência nacional, estando no mesmo nível da badalada cerveja gelada, outrora imbatível como marca registrada do brasileiro. Mas felizmente os tempos mudaram.

    A lista a seguir não pretende ser oficial, muito longe disso: são apenas sugestões no vasto mundo de cores, sabores e aromas dos vinhos. Uma lista definitiva é, portanto, impossível.

    Essas são as nossas sugestões:

    1 – Morandé Pionero Cabernet Sauvignon

    Localizada em Casablanca, região central do Chile, a vinícola Morandé é especialista em produções originais.

    Além do cultivo em solo de granito com idade avançada, os vinhedos recebem influência da localização próxima ao mar, o que gera o aroma e o frescor característico das bebidas produzidas na América do Sul.

    Vinho encorpado, com boa acidez e de final prolongado, esse tinto apresenta notas de chocolate, tabaco, café e frutas cristalizadas.

    Seu preço varia de R$63,00 a 71,00.

    2 – Menguante Garnacha

    Esse tinto espanhol produzido com uvas Garnacha é encorpado e macio.

    Possui aroma forte de fruta madura, negra e tem toques picantes e frutados em seu sabor.

    Harmoniza com carnes vermelhas, pizzas e queijos mais duros.

    Seu preço varia de R$80,00 a 110,00.

    3 – Coto de Imaz (El Coto)

    Produzido na vinícola Rioja Alavesa, na Espanha, a partir de uvas Tempranillo, esse tinto escuro e denso foi envelhecido por dois anos em barricas de carvalho francês e americano e ainda mais 36 meses em garrafas. Possui o paladar persistente e duradouro com aroma requintado de coco, couro, frutas vermelhas, nozes e notas torradas. Harmoniza com cordeiro, vitela, aves e carnes de vaca.

    Seu preço varia de R$120,00 a 150,00.

    4 – Concha Y Toro Reservado Meio Seco Carménère

    Originário da região do Vale Central no Chile, é um tinto intenso, com aroma de frutas negras e especiarias. O final é persistente e redondo.

    Como os vinhos elaborados com uvas Carménère, é uma bebida versátil que combina com todas as situações.

    Harmoniza com queijos maduros e carnes com molho e custa entre R$ 34,00 a 55,00.

    5 – Chianti Classico Riserva (Cigliano)

    Considerado um clássico, esse tinto é originário da bela Toscana, Itália e elaborado com uvas Sangiovese, próprias dessa região.

    Seu aroma é um inigualável mix de pimenta preta, violeta, groselha, ameixa e especiarias. É um vinho equilibrado, com acidez média e gosto persistente.

    Custa de R$120,00 a 130,00.

    6 – Vinho Tinto Santa Carolina Reservado – Cabernet Sauvignon

    Esse chileno proveniente do Vale Central é um meio – seco elaborado com uvas do tipo Cabernet Sauvignon e possui um aroma frutado que lembra geleia de frutas. Seco, encorpado, ácido, seu final é equilibrado com retrogosto de frutas.

    Com médio teor alcoólico (13,5%), acompanha bem carnes e massas em geral.

    Preço R$ 27,00 a 32,00.

    7 – Yellow Tail Shiraz

    Elaborado com uvas do tipo Syrah, esse tinto australiano apresenta num primeiro momento uma explosão exuberante de frutas negras seguida pelo agradável sabor da baunilha, que promove uma agradável doçura à bebida. O final é amargo e persistente.

    Um vinho fácil de beber, sobretudo para os que ainda não possuem muito conhecimento no vasto campo dos vinhos: essa era a proposta original dos seus produtores: uma bebida leve e despretensiosa, embora marcante.

    Preço: R$ 60,00 a 65,00.

    8 – Dante Robino Malbec

    Proveniente da Argentina, esse tinto se destaca pelas notas vegetais em seu aroma: gramíneas e arbustos se fazem notar imediatamente, para em seguida prevalecer os exóticos toques terrosos de violetas e azeitonas.

    Sendo um vinho cheio de surpresas, o paladar é frutado, numa combinação de cereja, ameixa, incenso e chocolate.

    Preço: R$80,00 a 85,00.

    9 – Mancura Carménère

    Um chileno agradável com a versatilidade das uvas Carménère, que pode ser apreciado em qualquer tipo de ocasião, desde as mais rotineiras às mais especiais, tornando esse tinto obrigatório na adega.

    O aroma é muito agradável: amora, ameixa e chocolate se envolvem delicadamente. O sabor é macio e frutado, equilibra todos os componentes do vinho.

    Preço: R$45,00 a 55,00.

    10 – Grans Muralles (Família Torres)

    Elaborado com uvas Garnacha, este tinto espanhol tem o teor alcoólico de moderado a forte (14,5%) e possui um sabor inconfundível e elegante, graças ao solo pedregoso onde foi cultivado: região de Catalunya.

    A vinícola Torres é uma das mais importantes do mundo, reconhecida por aliar tradição, inovação e sustentabilidade.

    Harmoniza com carnes grelhadas e massas com molhos condimentados e custa por volta de R$440,00 a 460,00, sendo tão precioso e refinado.

    Como prometemos, eis aí uma lista democrática: vinhos para todos os gostos e bolsos, provenientes das mais diversas regiões do mundo.

    Saber que existem tantas opções e inúmeras possibilidades só reforça o caráter universal dessa bebida.

    Tim-tim!

    Referências:

    https://www.prevention.com/life/g32654191/best-red-wine/

    https://www.thespruceeats.com/best-red-wines-4844059

    https://www.bestproducts.com/eats/drinks/g2267/best-red-wine-dry-sweet/

    https://www.drinkhacker.com/2020/10/20/the-top-10-wines-for-winter-2021/

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • sob-medida-personalizadas-melhores-de-vinho-com-compressor-8-200-garrafas-art-des-caves
    vinhos

    Descubra as Melhores Adegas Climatizadas do Mercado

    No celular gire a tela para ver a tabela completa

    PosiçãoAdega ClimatizadaPreçoOnde Comprar
    1Adega Midea Liva
    12 Garrafas
    R$910,00 a 930,00Ver
    2Adega Lyon Suggar
    18 garrafas
    R$1.670,00 a 1.700,00Ver
    3Adega Philco
    12 garrafas
    R$770,00 a 820,00Ver
    4Adega Brastemp
    12 Garrafas
    R$950,00 a 990,00Ver
    5Adega Electrolux ACD29 29 garrafasR$2.870,00 a 2.960,00Ver

    Veja como escolher o melhor modelo de adega de vinho para sua casa ou apartamento e evite o envelhecimento precoce

    Você já pensou em ter uma adega climatizada em sua residência? Caso sua resposta tenha sido afirmativa saiba que você faz parte de inúmeros brasileiros que vêm buscando mais informações sobre este equipamento dia após dia.

    A principal vantagem de ter uma adega climatizada em casa, é sem dúvida, poder consumir um bom vinho na presença de amigos ou mesmo sozinho com na sua melhor versão, pois ele terá sido armazenado nas condições ideais de temperatura e umidade.

    Além disso, a existência de uma adega em sua residência traz outras vantagens, dentre elas: controlar a trepidação das garrafas, proteger a ação dos raios de luz, ótima opção para armazenar vários vinhos de uma só vez e acabam se tornando um item de decoração da casa.

    Você já possui uma adega climatizada? Ou pretende adquirir uma?

    Trouxemos hoje para você a lista com as melhores adegas climatizadas disponíveis no mercado na atualidade. Confira a seguir!

    Refrigeração por compressão ou peltier, qual escolher?

    A resposta a esta pergunta dependerá da temperatura do ambiente no qual a adega ficará localizada.

    A refrigeração pelo princípio peltier é indicada para residências que possuem temperaturas internas amenas. A tecnologia deste equipamento (termoelétrica), consiste em retirar o calor interno da adega e lançar para o ambiente. Porém, se a temperatura do ambiente externo for elevada a tecnologia não será capaz de manter a temperatura no interior do equipamento ideal.

    Então, caso a residência tenha uma temperatura ambiente elevada recomenda-se a refrigeração por compressão, cujo funcionamento ocorre de forma bem parecida com uma geladeira. Este tipo de refrigeração é mais caro do que o anterior, porém possui baixa manutenção e durabilidade maior.

    A quantidade de garrafas que cabe influencia muito na hora da escolha?

    Com certeza! E para você dimensionar a capacidade ideal de sua adega você precisa primeiramente levar em consideração o seu consumo de vinho, quanto maior o seu consumo maior deverá ser a capacidade de sua adega e vice-versa.

    De modo geral no mercado atualmente são disponibilizadas adegas com as seguintes capacidades:

    • Baixa capacidade: de 8 a 13 garrafas de vinho;
    • Média capacidade: de 28 a 34 garrafas de vinho;
    • Alta capacidade: mais de 50 garrafas de vinho.

    Outro fator que deve ser levado em consideração diz respeito a rotatividade de suas garrafas, isto é, se você pretende ou não deixar os vinhos envelhecerem em sua adega.

    Qual o melhor controle de temperatura, interno ou externo?

    O controle de temperatura externo é considerado o melhor visto que você precisará abrir menos vezes a adega para verificar a temperatura, deste modo o controle desta é facilitado.

    Além disso, é sempre importante saber quais são as temperaturas mínimas e máximas comportadas pelo equipamento, visto que as garrafas de vinho comumente possuem temperaturas diferenciadas.

    Certifique-se em comprar o seu aparelho na voltagem correta

    Infelizmente pouquíssimas adegas climatizadas são disponibilizadas atualmente em versões bivolt, sendo assim, quando for adquirir sua adega certifique-se de que ela virá na voltagem correta de sua residência.

    Confira abaixo o nosso top 5 das melhores adegas

    Agora que você já está por dentro das principais características sobre as adegas climatizadas, vamos te apresentar as 5 melhores que estão sendo comercializadas no momento.

    1- Adega Midea Liva 12 Garrafas

    Esta é uma adega para as pessoas que desejam ter uma adega em casa, mas que não dispõem de muito espaço, pois ela é compacta e moderna.

    Características:

    • Possui painel touch para controle da temperatura externo;
    • Iluminação interior em LED;
    • Baixo nível de ruído;
    • Sem vibração;
    • Possui sistema de refrigeração por placas peltier;
    • Voltagem: 110 VCA

    A desvantagem desta adega se refere a baixa capacidade e ao sistema de refrigeração que não é eficiente em ambientes quentes.

    Preço: R$910,00 a 930,00.

    Adega Climatizada Lyon Suggar

    Esta é considerada uma adega de média capacidade, pois comporta até 18 garrafas de vinho e seu designer moderno vem chamando a atenção de seus consumidores.

    Características:

    • Porta espelhada com vidro duplo temperado;
    • Prateleiras removíveis e cromadas supermodernas;
    • Refrigeração realizada de forma eletrônica;
    • Controle de temperatura externo através de painel touch;
    • Iluminação interna através de lâmpadas LEDs;
    • Fácil instalação;
    • Voltagem: 220 VCA

    A desvantagem deste equipamento se refere ao seu alto custo, que é considerado elevado quando comparado com as demais adegas.

    Preço: R$1.670,00 a 1.700,00.

    Adega climatizada Philco

    A adega climatizada comercializada pela Philco é compacta, pois comporta no máximo 12 garrafas, porém é bem moderna e tem várias vantagens, inclusive o preço acessível, que tem feito com que ela seja a queridinha da vez entre os enólogos.

    Características:

    • Capacidade para 12 garrafas;
    • Controle digital de temperatura;
    • Prateleiras cromadas, reguláveis e deslizantes;
    • Porta com vidro duplo;
    • Iluminação interna com LED azul;
    • Baixo nível de ruído;
    • Sistema termoelétrico;
    • Voltagem: 127 VCA

    A desvantagem desta adega climatizada é sua capacidade, considerada pequena para algumas pessoas bem como seu sistema de refrigeração que não é viável em residências com ambientes internos quentes.

    Preço: R$770,00 a 820,00.

    Adega Brastemp 12 Garrafas com painel touch

    Esta é considerada atualmente uma das mais requisitadas adegas climatizadas disponíveis no mercado atualmente, isto porque a empresa já tem histórico no desenvolvimento de refrigeradores de qualidade, além disso possui um preço bem acessível e um design moderno.

    Características:

    • Iluminação interna com LED;
    • Controle de temperatura eletrônico através de painel touch;
    • É compacta;
    • Sistema de refrigeração por compressão;
    • Voltagem: 220 VCA

    A desvantagem desta adega listado por alguns é a baixa capacidade.

    Preço: R$950,00 a 990,00

    Adega Climatizada Electrolux ACD29

    Esta adega da Electrolux se destaca pela sua capacidade de armazenamento que é ideal para quem tem costume de beber vinho com frequência sem abrir mão de armazenar suas garrafas num ambiente propício.

    Além disso, devido ao material do qual é feita (aço inox) possui uma boa durabilidade, isto é, vale o investimento.
    Características:

    • Capacidade para 29 garrafas de vinho;
    • Painel eletrônico externo de temperatura do tipo touch;
    • Sistema de iluminação interna com LED´s;
    • Sistema de refrigeração por compressão;
    • Voltagem: 127 VCA ou 220 VCA

    Sua desvantagem considerada por alguns é o seu alto custo, pois por se tratar de uma adega com uma capacidade maior e feita de um material mais resistente ela possui um maior preço.

    Preço: R$2.870,00 a 2.960,00.

    Conclusão:

    Diante as diversas opções fornecidas a você temos a certeza de que alguma destas adegas se encaixará com o seu perfil. Perceba também que a compra deste equipamento não é considerada um investimento muito alto se levarmos em consideração os benefícios e vantagens de possuir uma adega em sua casa trará a você.

    Sendo assim, esperamos que este post tenha sido útil a você e boas compras!

    Referências:

    https://nymag.com/strategist/article/best-wine-coolers-fridges-sommelier-reviews.html

    https://www.nytimes.com/wirecutter/reviews/best-wine-fridges/

    https://dehumidifierreviewsinfo.com/blog/humidity-controlled-wine-cooler-options/

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • seco-suave-homem-para pele-antes dormir-para figado-com limao-beneficios
    Curiosidades

    Os 10 Melhores Benefícios do Vinho na Sua Saúde

    Surpreenda-se com as vantagens que os vinhos trazem para a saúde do seu corpo

    Quem não gosta de chegar em casa depois de um dia duro de trabalho e tomar uma taça de vinho para relaxar?

    O que muitos não sabem é que esse simples hábito traz diversos benefícios para a nossa saúde. É isso mesmo, consumir essa bebida com regularidade, em uma dosagem correta, é claro, proporciona muitas vantagens para nosso corpo.

    Abaixo, vamos falar sobre os benefícios do vinho. Vamos lá?!

    O que ele traz de bom para a saúde da boca?

    Provavelmente você já deve ter ouvido falar que consumir vinho com frequência traz benefícios para nossa saúde, mas aposto que você não sabia que ele também tem sua importância para manter a saúde bucal.

    A bebida, neste caso, funciona como um preventivo contra as cáries. Tal fato ocorre devido a presença de polifenóis no líquido, que tem o poder de diminuir o volume de bactérias responsáveis pela criação das placas nos dentes, também conhecido como tártaro. E estas para se transformarem em cárie é um pulo.

    Sendo assim, como o vinho diminui o surgimento destas e as chances de você sofrer com esse problema são bem menores.

    Porém, fique atento, pois o consumo de vinho puro escurece os dentes, isso devido a sua coloração. Neste caso, para evitar tal situação, combine-o com queijos duros, estes ajudam a balancear a coloração do alcoólico. Além de claro, quando puder escove os dentes para remover restos da bebida nos dentes.

    Vinho ajuda realmente a prevenir o câncer?

    Eis a pergunta de um milhão de reais: ele ajuda a prevenir o câncer?

    A resposta é sim!

    A bebida tem a capacidade de reduzir as chances do aparecimento de um tumor, e o responsável por essa boa notícia é uma substância chamada de resveratrol, um poderoso antioxidante. Este elemento é o responsável por neutralizar os radicais livres que se formam naturalmente em nosso corpo.

    Uma outra vantagem do vinho contra o câncer vem da regulação da partícula NF-kappaB. Quando ocorre essa regulação, a reprodução de células cancerígenas diminuem.

    Quais são os benefícios para o coração e o sistema cardiovascular?

    E eis o fator mais famoso do vinho, que trás benefícios à saúde, porque ele tem a capacidade de melhorar o bem-estar cardiovascular.

    Segundo pesquisas, uma taça de vinho diariamente melhora problemas circulatórios e até mesmo as temidas varizes.

    Ele também reduz as chances de infartos e derrames. O maior responsável por isso é o resveratrol ( olha ele de novo!).

    Este antioxidante também auxilia no controle da pressão arterial e nos inchaços das veias.

    Ajuda a prevenir o Alzheimer?

    Além de ajudar o coração, o consumo regular de vinho auxilia o nosso cérebro a combater doenças degenerativas, como o Alzheimer. E, mais uma vez, por conter altas doses de antioxidante. A bebida é igualmente eficaz ao reduzir e prevenir inflamações na região cerebral.

    Uma excelente ferramenta contra a depressão

    E as vantagens não param!

    Sabia que a substância também pode ser usada para combater a depressão?

    Isso ocorre porque a bebida aumenta a produção de neurotransmissores como a endorfina, dopamina e serotonina.

    As mesmas liberadas pelo corpo quando nos exercitamos, e responsáveis por proporcionar sensações de relaxamento e prazer.

    Faz bem para pele

    Ótima notícia para quem quer evitar os sinais de envelhecimento. O vinho, mas precisamente o tinto, tem a capacidade de preservar a beleza da pele por muito mais tempo. Isso é possível graças ao resveratrol – que também está presente na casca da uva -, que retarda a ação dos radicais livres.

    Os polifenóis detém igualmente papel importante nesta atividade, pois melhora a microcirculação e a hidratação da derme.

    Vida longa e próspera

    Se você ainda não está convencido dos benefícios desta bebida, saiba que ela ajuda a prolongar a vida, segundo dados recolhidos pela Harvard Medical School.

    E tudo graças ao resveratrol, mais uma vez!

    Essa substância possui um efeito antienvelhecimento. Isso graças a uma ligação direta com o gene SIRT1, que codifica as proteínas estruturais e as enzimas do nosso corpo.

    Já um estudo da University of London revelou que as procianidinas, outro elemento encontrado no vinho, auxilia na saúde dos vasos sanguíneos.

    Acredita-se que todos esses fatores explicam a longevidade das populações da Sardenha e do sudoeste da França. Isso porque nestas regiões é comum o consumo regular de vinho como acompanhante das refeições.

    Melhora a digestão

    Toda vez que comemos algo pesado, como carne ou massa, ficamos com aquela sensação de peso no estômago por horas, e isso acaba atrapalhando nosso desempenho nas atividades que precisamos fazer logo após o almoço, por exemplo.

    Saiba que o vinho pode te ajudar a se livrar desse problema, isso porque ele é um excelente digestivo. O líquido aumenta a produção do suco gástrico e estimula a vesícula, ajudando na digestão de carboidratos.

    Diminui o risco de aterosclerose

    Infelizmente, a aterosclerose ( ateroma), o acúmulo de placas de gordura nas paredes das artérias, é muito comum. Mas você tem o vinho como aliado para diminuir a probabilidade de sofrer dessa doença que não tem cura.

    Neste caso, a substância é usada pois aumenta os níveis do chamado colesterol bom (HDL), além de inibir a oxidação do colesterol ruim (LDL) nas artérias.

    Diabético pode tomar e ajuda a controlar o problema?

    Não dá para negar que o vinho possui diversos benefícios, mas estes podem ser usufruídos pelos diabéticos? Sim!

    Pesquisas recentes confirmam que esta bebida alcoólica também pode ser usada por quem tem diabetes, isso porque a substância controla os níveis de glicose no sangue.

    Mas antes de introduzir a bebida na sua rotina, consulte um médico, pois, apesar das vantagens, não podemos esquecer que o vinho contém álcool e açúcar, o que pode ser mais negativo do que positivo depende do grau e tipo da diabetes.

    Aposto que você não sabia que essa bebida, que muitas vezes já faz parte do seu dia a dia, tinha tantos benefícios assim.

    Apesar disso, como já falamos anteriormente, não deixe de consultar um médico antes de fazer da substância algo comum na sua rotina. Mesmo com vantagens, é necessário consumi-lo com precaução, afinal de contas, trata-se de uma bebida alcoólica.

    Referências:

    https://whitehalllane.com/10-health-benefits-of-drinking-red-wine-that-will-keep-you-healthy/

    https://www.eatthis.com/wine-health-benefits/

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • Maquina Espresso Delonghi Premium Barista
    Cafés Especiais

    Máquinas de Cafe Espresso: 20 Dicas Para Comprar e Fazer

    Cafeteiras de barista profissional a estilo doméstica / para escritório / lanchonete / copa. Aparelhos com moedor de grãos, automática, multipressão, manual, industrial e mini. Em modo de funcionamento comum e especial para “coffee cream” / crema para capuccino, latte, mocha, etc.

    O café expresso não é caracterizado como um grão diferente. Ele é preparado com os mesmos grãos de um café tradicional.

    No entanto, o que difere o seu gosto e seu aroma é o a forma de prepará-lo. Em sua preparação, há uma passagem de água quente sob uma alta pressão pelos grãos moídos. Para isso, é necessária a utilização de máquinas específicas cujo a pressão da passagem chega até dez bars ou atmosferas.

    Esse processo garante uma bebida com qualidade superior um sabor mais acentuado, porque o grão moído é explorado em toda a sua essência e por isso o líquido é mais consistente do que o tradicional café coado.

    Quais as principais marcas de cafeteiras expresso?

    É possível encontrar numerosas marcas que fabricam máquina de expresso para o uso doméstico. Há quem diga que, as melhores são produzidas na Itália, e geralmente pelas indústrias que também abastecem todo o mercado profissional.

    Máquina de café expresso tem top de linha, fora de série, intermediárias, industriais e também as populares:

    A máquina de café expresso era um objeto de muita cobiça nos anos passados. Esse eletrodoméstico passou a fazer parte das listas de casamentos e obtê-lo em casa era de fato um sinal de status para a maioria das pessoas.

    Mas, com o surgimento das cápsulas e também dos diversos métodos do café coado no comércio, a cafeteira foi perdendo a exclusividade e também a pompa. Bom, nem tanto, as pessoas atualmente não conseguem se separar dela.

    As cápsulas se popularizaram nos últimos tempos. Elas são recipientes em plástico selados com uma folha em alumínio, e com a quantia exata para uma xícara.

    Seu preço é bem acessível, ocupam menos e geralmente são compatíveis com determinadas máquinas de café expresso.

    No comércio há várias opções de máquinas em cápsula: da Nespresso, Dolce Gusto, Três Corações, Philco, Oster, Saeco e cada uma delas possuem suas particularidades:

    • Nespresso – é capaz de produzir diversos sabores de café. Há opções inclusive que podem preparar outras bebidas desde que a base seja o café.
    • Dolce Gusto e a 3 Corações – Essas são bem parecidas. Preparam a chamadas “multibebidas”, pois pode-se preparar o café expresso, chás e até mesmo chocolates. A Dolce Gusto também permite a preparação de bebidas geladas.
    • Philco – Ela é capaz de preparar o famoso café e também o cappuccino.
    • Oster – Essa máquina tem opções de preparação com o pó ou com capsulas. Bem versátil.
    • Saeco – Essa é uma versão mais profissional, automática e que permite preparar cappuccino, expresso, latte macchiato, ou obter água quente em instantes.

    Todas essas opções são excelentes. No entanto, é preciso identificar a sua necessidade, bem como o preço e custo benefício para cada sua finalidade. E por consequência, escolher a máquina ideal para o seu café de todo dia!!!

    Vinte dicas para fazer o melhor café expresso:

    Preparar um expresso é muito simples. Você precisa pôr água no reservatório, acomodar a cápsula no local próprio dela e encaixar a tampa. O café fica pronto em aproximadamente 30 segundos.

    Vale lembrar que, a qualidade é influenciada diretamente através da preparação. Desse modo, para que você garanta um café do tipo expresso perfeito, separamos as seguintes dicas:

    • Ao comprar o café, escolha um que tenha uma boa qualidade;
    • Ligue a sua máquina expressa alguns minutos antes de realizar o preparo para que ela aqueça adequadamente;
    • Opte por utilizar sempre água filtrada;
    • Se for cápsulas, a dose já está pronta de fábrica! Então você não tem que se preocupar com o processo de moagem, compactar o pó e nem de limpar os bicos após o seu preparo.
    • Colocar as capsulas no compartimento conforme instrução da fabricante da máquina.
    • Dispensar a primeira água na xícara para aquecê-la;
    • Extrair o café e apreciá-lo;
    • Se o café for moído, moa na hora com ajuda de um moedor especifico de café manual ou elétrico;
    • Deve-se colocar o pó no compartimento do filtro e nivelar com a ajuda do dedo;
    • Compactar o café com ajuda do prensador;
    • Limpar todas as laterais do compartimento do filtro utilizando de preferência um pincel, caso contrário, limpe o dedo mesmo;
    • Eliminar um pouco da primeira água da máquina anteriormente ao preparo, porque esta está mais quente do que ideal. Além disso, ela serve para higienizar a cafeteira;
    • Despejar um pouco de água na xícara para poder aquecê-la. Isso porque, com ela aquecida a permanência do café quente é estendida por um tempo maior;
    • Encaixar o porta filtro adequadamente;
    • Colocar a xícara para receber o café;
    • Extrair e apreciar o seu café expresso;
    • Após preparar o seu café, é essencial realizar a limpeza da máquina. Deve-se liberar a água para higienizar o local onde o porta filtro se encaixa e passar um pano limpo.
    • Os cantinhos que são mais difíceis de limpar, utilize uma escova de dentes para limpar;
    • Não utilize sabão para a limpeza. As máquinas precisam estar sempre limpas, mas a utilização de sabão e/ou detergente não é indicada;
    • A cada ciclo de preparação de 30 cafés, a higienização precisa ser mais profunda. Deve-se realizar o desmonte da cafeteira com cuidado (se for do tipo italiana), limpar com escova e desobstruir todos os furos. Se por ventura a junta da borracha encontrar-se danificada, essa é a hora de fazer a troca.

    Tenho certeza de que, com todas estas dicas você terá o melhor do café expresso.

    Cada máquina de café tem à sua maneira de funcionamento dentre outras particularidades. Entretanto, antes de realizar a preparação do seu primeiro cafezinho, leia minuciosamente o manual de instruções.

    Essa prática te ajudará a utilizar a cafeteira expresso de maneira correta e por consequência cuidar para que ela dure muito.

    O café expresso não se trata apenas de uma bebida, trata-se de um estilo, de um jeito singular de tomar e apreciar o café.

    Não se trata apenas de uma máquina, e sim de um processo, de uma experiência mais intimista, perceptiva e sensorial dos sabores, aromas e prazeres.

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • Kopi Luwak Civet Coffee da Indonésia
    Cafés Especiais

    Kopi Luwak (Civet Coffee): O Café Mais Caro do Mundo

    O que o torna muito supremo, exótico e diferente dos outros? Como é feito, sua história, como é sua produção e qual animal participa do processo, onde comprar, seu preço e porque é tão caro?

    O café sem dúvidas está presente na vida e na rotina da maioria da população. Muitas pessoas chegam até a confessar que, sem o café, o seu dia e sua a produtividade não são as mesmas. Entre os mais diversos tipos de grãos, você já ouviu falar do Kopi Luwak e suas peculiaridades?

    A origem do Kopi Luwak:

    Esta descoberta apareceu na Indonésia sendo produzida a partir das fezes de um animal chamado Civeta. Este jeito atípico de fazer café vem da região asiática que contempla países além da Ásia como do Sumatra, Vietnã e Índia onde coincidentemente estes animais também habitam!

    Esses curiosos bichos passaram a incluir os frutos de café em sua dieta além de outras frutas da região. Como as sementes não são digeridas por esses animais, obviamente os grãos do café saíam nas fezes dos felinos que, com o tempo passaram a ser aproveitadas pelos moradores.

    Outro fato interessante é que esta descoberta só foi possível pois nas lavouras coloniais, os holandeses não permitiam que os indonésios fizessem o consumo dos frutos, ainda que fossem cultivados em próprio solo dos colonizados.

    Desta forma, não havia outra alternativa: as fezes desses animais eram coletadas, limpas de acordo com os recursos da época, para que finalmente pudessem ser consumidas.

    Mas afinal, o que o torna este café mais “gostoso?”

    O resultado da descoberta foi inacreditável: a partir da fermentação dos grãos do café com os outros frutos consumidos pela Civeta em seu trato digestório, foram atribuídos aos grãos excrementados um sabor único, que logo ganhou notoriedade e consequentemente valor.

    Por que é considerado o café mais caro do mundo?

    Após o processo de fezes desses animais, os grãos atualmente são higienizados, tratados e torrados gerando menos de 230 quilos por ano! Além disso, como se trata de um fazimento que depende da digestão de um animal, sua condição se torna ainda mais rara.

    Quanto a segurança do consumo desse tipo de café, também não há preocupações: o pesquisador italiano Massimo Marcone elaborou um estudo em 2004 que garante a segurança da mesma. Ou seja, consumi-la não expõe riscos a saúde de nenhum indivíduo.

    Qual custa o Kopi Luwak? Onde comprar?

    Aqui no Brasil, este café é encontrado em sites especializados com o preço do Kg variando entre R$1.200,00 a R$1.600,00! Nem mesmo as redes mais renomadas como a Starbucks disponibilizam esta bebida até o momento no país.

    Segundo os apreciadores da iguaria, este café possui um sabor menos ácido e mais aveludado, lembrando uma mistura entre chocolate e vinho com tons avermelhados. Para quem gosta de um bom café, certamente esta seria uma experiência excepcional.

    Além de não ser fácil encontrar estes grãos especiais à venda, existe também uma grande preocupação dos atuais ativistas ambientais. Isso porque devido a notoriedade que o Kopi Luwak ganhou com o tempo, muitos produtores acabaram criando Civetas em cativeiros.

    Infelizmente, muitos desses animais atualmente vivem enjaulados e recebem apenas os frutos do café como alimentação, mantendo uma dieta extremamente pobre e limitada. Logo, é muito difícil prever qual o tipo de café está sendo consumido: por animais livres ou aprisionados.

    Portanto, caso seja uma preocupação sua e esteja em dúvida sobre o consumo, pesquise bem sobre as referências da marca, e faça uma compra consciente. Além de contribuir para a diminuição de tráfico dos animais, você será um dos raros privilegiados a consumir esta bebida.

    Certamente, o Kopi Luwak tem motivos de sobra para ser considerada a o café mais caro do mundo: Além de seu processo ser de maior parte natural, é possível sentir no paladar toda a especialidade que os fenômenos da natureza podem proporcionar ao ser humano.

    Logo, apesar dos grãos serem estimados e possuírem um alto valor aquisitivo, nada se compara ao valor que a natureza por si só tem e é capaz de oferecer! Esperamos que tenha gostado do conteúdo e até breve!

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • Harmonização de Vinho Tinto com Chocolate
    Gastronomia

    Combinação Vinhos e Chocolate: Como Fazer a Harmonização Perfeita

    Veja como montar e fazer a harmonização sem sair da sua dieta e parar de emagrecer e ficar com peso na consciência. Kits, cestas de café da manhã e combinações ideias para aniversário, dia dos namorados, natal para o dia-a-dia!

    Para quem aprecia um bom vinho, certamente a harmonização de sabores é um fator extremamente importante. Até mesmo porquê, combinar o prato e a sobremesa ideal com a bebida, com certeza é o que garante o sucesso da degustação.

    Essa procura pela “combinação perfeita” também acontece entre o vinho e o chocolate. Este doce tão querido mundialmente assume formas, texturas e sabores diferenciados que, quando escolhidos com o certo conhecimento e cuidado, podem trazer uma experiência incrível ao consumidor.

    Além disso, vinho e chocolate tornam-se uma ótima combinação para presente. Ficam lindos quando combinados quer seja com uma cesta, com flores ou até mesmo em um kit romântico para o conjugue ou namorado(a). Na verdade, não faltam combinações para esta harmonização!

    Pensando nisso, separamos algumas orientações que vão te auxiliar a fazer as melhores escolhas como também a garantir a melhor experiência para o seu paladar como o de quem você ama, confira abaixo:

    Chocolate ao Leite e Chocolate Branco:

    Estas duas categorias possuem uma similaridade: a sua concentração de açúcar. Normalmente chocolates desta classe tendem a combinar mais com vinhos doces, devido a sua extrema doçura. Caso o contrário, eles podem deixar o paladar com um sabor “metalizado”.

    Contudo, aqui vai uma dica valiosa: para harmonizar bem, o vinho precisa ser sempre mais doce do que o chocolate e nunca o contrário. Atente-se para este detalhe e aprecie o resultado!

    Chocolate Meio Amargo:

    Já para o sabor mais intenso que o chocolate meio amargo apresenta, a combinação ideal já acontece com os vinhos tintos, encorpados com taninos mais densos. Além disso, é recomendado vinhos com mais idade.

    Quanto maior a evolução do vinho, maior será a maciez do tanino e consequentemente melhor será a sua experiência ao harmonizá-lo.

    Além das opções apresentadas, relacionadas às barras de chocolate é possível harmonizar esses elementos com um vasto leque de possibilidades: já cogitou apreciar uma boa taça de vinho juntamente a um fondue?

    Como Harmonizar Vinho com Fondue?

    Sim, isso mesmo! É possível combiná-lo com opções salgadas como queijo, carne e também o nosso chocolate – alvo desta matéria – com frutas como morango, banana, uva e as mais variadas opções que possam compor a sua dieta.

    Neste caso a regra é mais simples do que se imagina: para o fondue salgado, prefira sempre opções como o vinho tinto, e para o fondue doce, vinhos compativelmente adoçados combinam muito bem.

    Apesar de todas as nossas sugestões, será sempre bem-vinda a composição conforme a sua preferência! Seja em uma linda caixa para presente ou em uma noite descontraída com amigos e familiares, harmonizar vinho e chocolate também é uma oportunidade para a descoberta de novos sabores.

    Logo isso significa que você não precisa se prender as nossas orientações. Aqui preparamos algumas dicas para que você possua êxito nas suas escolhas, contudo, as preferências são desenvolvidas juntamente com a experiência. Por isso, prove bastante combinações!

    Aprecie sua harmonização ideal e não esqueça de compartilhar o conhecimento para mais pessoas, desejamos a você leitor uma boa degustação e até breve!

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • vinho Château Mouton-Rothschild 1982
    vinhos

    Os 10 Vinhos Mais Caros do Mundo

    No celular gire a tela para ver a tabela completa

    PosiçãoVinhoPreçoOnde Comprar
    1Domaine de la Romanée-
    Conti Romanée-
    Conti Grand Cru
    R$53.619,20Ver
    2Egon Muller-Scharzhof
    Scharzhofberger Riesling
    Trockenbeerenauslese
    R$32.170,10Ver
    3Domaine Leroy Musigny
    Grand Cru
    R$25.812,05Ver
    4Domaine Leflaive Montrachet Grand CruR$24.321,05Ver
    5Domaine Georges & Christophe Roumier Musigny Grand CruR$21.701,15Ver
    6Domaine de la Romanée-Conti Montrachet Grand CruR$18.637,50Ver
    7Joh. Jos. Prum Wehlener Sonnenuhr Riesling TrockenbeerenausleseR$17.324,00Ver
    8Domaine Leroy Chambertin Grand CruR$14.231,95Ver
    9Leroy Domaine d’Auvenay Mazis-Chambertin Grand CruR$13.905,35Ver
    10Domaine Leroy Richebourg Grand CruR$12.389,50Ver

    Conheça os nomes, marca, de qual adega eles vieram, os tipos de uvas, se é tinto, branco, amarelo, rose ou espumante. Veja como é feito, a qual safra e região pertencem, seu preço e onde comprar

    O vinho, bebida tão antiga e estimada até os dias atuais tem relatos de seu primeiro aparecimento na história há cerca de 3000 AC sendo usada como artifício medicinal. Mas como tudo o que é bom, com o passar do tempo pôde ser aprimorada e utilizada em outras finalidades.

    Hoje, na missão de satisfazer muitos paladares, existem variadas marcas no mercado que valorizam a história de cada garrafa – e as precificam por isso – reconhecendo o seu valor na atualidade.

    Nem sempre é verdadeira a afirmação que diz quanto mais antigo um vinho, melhor é o seu sabor e mais caro ele é, vale ressaltar que tem muitos recentes que estão surpreendendo. Por isso, listamos aqui os 10 vinhos mais caros do mundo para que você possa conhecê-los e quem sabe, fazer a sua escolha ideal!

    1 – Domaine de la Romanée-Conti Romanée-Conti Grand Cru

    O produtor Domaine de La Romaneé-Conti é o mais famoso e admirado no mundo. Seu vinhedo possui menos de 2 hectares, e sua produção é bem limitada, com aproximadamente 5 mil garrafas por ano.

    Além disso, as suas garrafas mais caras tem um teor histórico muito interessante, o que faz ganhar a admiração de muitos apreciadores da bebida: as safras mais antigas tem data de 1945, que coincide com o término da II Guerra Mundial.

    Logo, em meio a todo o caos no mundo, o produtor conseguiu produzir vinhos que perduram até os dias de hoje. Inclusive, sua garrafa mais cara, do ano de 1945 foi vendida em Outubro de 2018 por US$ 558 mil. Atualmente, as safras mais recentes tem valor médio de R$53.619,20 por garrafa.

    https://www.wine-searcher.com/find/domaine+de+la+romanee-conti+romanee-conti+grand+cru

    2 – Egon Muller-Scharzhof Scharzhofberger Riesling Trockenbeerenauslese

    A produção deste vinhedo da família Müller também tem história, pois os primeiros vinhos mais conhecidos tem relatos de visibilidade por volta de 1900. Além da produção ser um legado que foi passado de geração a geração, a mesma possui um trato completamente artesanal.

    Isso porque não se usam pesticidas nos vinhedos e os fertilizantes são completamente orgânicos. Para manter a produtividade é realizada intensa aragem e os vinhedos mais velhos são os mais valorizados e protegidos.

    Tais produtores mantém estes valores e diferenciais até o dia de hoje, a fermentação do vinho é realizada em cascos de madeira, sem controle de temperatura e com uvas selecionadas, praticamente colhidas uma a uma.

    O preço médio de cada garrafa atualmente é de R$32.170,10.

    https://www.wine-searcher.com/find/egon+muller+scharzhofberger+riesling+tba+wiltingen+saar+mosel+germany

    3 – Domaine Leroy Musigny Grand Cru

    Entre os principais produtores deste vinhedo, destaca-se Lalou Bize-Leroy que foi conhecida como uma mulher de negócios em destaque na área de vinhos, na Borgonha. Em 1990 ela nomeou Domaine Leroy como uma das principais vinícolas do país.

    A marca é reconhecida como a responsável por produzir os melhores vinhos vermelhos e é produzida na França. Por ser um tipo de produção extremamente exclusiva, suas garrafas atuais giram em torno de R$25.812,05.

    https://www.wine-searcher.com/find/domaine+leroy+musigny+grand+cru

    4 – Domaine Leflaive Montrachet Grand Cru

    Considerada como a melhor produção de vinho branco no mundo, o vinhedo Montrachet é localizado em uma área cuja as características geográficas do local, como solo e altitude contribuem para o sabor diferenciado deste tipo de vinho, uma espécie de milagre da natureza.

    Atualmente este vinhedo é constituído por 4 hectares e a fermentação é realizada em barricas de carvalho, de forma mais natural possível. A procedência da madeira para a fermentação é praticamente uma exigência, pois ela colabora com o resultado final tão valorizado por seus degustadores.

    Logo após os vinhos são armazenados por 6 meses em cubas internas para que só assim, possam ser engarrafados e distribuídos. Atualmente cada garrafa é vendida no mercado pelo preço médio de R$24.321,05.

    https://www.wine-searcher.com/find/domaine+leflaive+montrachet+grand+cru

    5 – Domaine Georges & Christophe Roumier Musigny Grand Cru

    Através de um vinhedo conquistado por meio do dote de sua esposa, Georges Roumier começou sua longa trajetória de sucesso com o um tipo de cultivo e preparo dos vinhos todo especial, que logo ganhou fama e reconhecimento desde 1924 e vem assim, passando de geração em geração até os dias de hoje.

    Para a família, as vinhas velhas são valorizadas, sendo replantadas somente após seus 50 anos. Além disso, a fermentação é natural, os vinhos não são filtrados e a colheita é feita de forma mais tardia do que os demais produtores.

    Todo esse cuidado resulta em um sabor extremamente diferenciado que resulta em garrafas de até R$ R$21.701,15 atualmente.

    https://www.wine-searcher.com/find/domaine+georges+christophe+roumier+musigny+grand+cru

    6 – Domaine de la Romanée-Conti Montrachet Grand Cru

    Novamente em destaque, outro vinho da da Domaine de La Romanée-Conti aparece no ranking dos 10 mais caros do mundo. Isso dado devido a qualidade e as especificidades já comentadas acima em nosso vinho número 01.

    Desta vez, as particularidades desta vinha em questão é que ela possui idade média de 62 anos de idade, ocupa um espaço máximo de 0,67 dos hectares e cada garrafa é avaliada em torno de R$18.637,50.

    https://www.wine-searcher.com/find/domaine+de+la+romanee-conti+montrachet+grand+cru

    7 – Joh. Jos. Prum Wehlener Sonnenuhr Riesling Trockenbeerenauslese

    Manfred Prüm e sua filha, Katharina percursores do chamado “melhor vinho doce” possuem um detalhe bem peculiar em sua história que transcende a produção de vinhos: ambos foram formados em direito e chegaram até o doutorado em suas carreiras.

    Nada disso impediu a paixão pela vinícola que também foi passada de geração em geração até chegar nas mãos do doutor Manfred. Muito pelo contrário, embora tenha decidido seguir uma profissão contraditória, quando teve a possibilidade de assumir o negócio realizou muito mais do que tudo que já havia sido construído até então.

    Atualmente cada garrafa custa cerca de R$ R$17.324,00 fazendo jus ser mencionada em nossa seleção para você.

    https://www.wine-searcher.com/find/joh+jos+prum+wehlener+sonnenuhr+riesling+trockenbeerenauslese

    8 – Domaine Leroy Chambertin Grand Cru

    Outro vinho que merece destaque da Família Leroy, já mencionada em nosso número 3, é produzida na vinícola Le Chambertin, também situada na Borgonha sendo destaque nas produções Grand Cru da região.

    Atualmente cada garrafa desta produção é avaliada em cerca de R$14.231,95.
    https://www.wine-searcher.com/find/domaine+leroy+chambertin+grand+cru

    9 – Leroy Domaine d’Auvenay Mazis-Chambertin Grand Cru

    Outra pérola entre os vinhos Leroy, o vinhedo Grand Cru Mazis-Chambertin também ganha destaque nas produções de sucesso da família, valorizando ainda mais a marca como também o preço médio de cada garrafa.

    Atualmente, estes exemplares são vendidos a cerca de R$13.905,35.

    https://www.wine-searcher.com/find/leroy+domaine+d’auvenay+mazis-chambertin+grand+cru

    10 – Domaine Leroy Richebourg Grand Cru

    E para finalizar nossa seleção com grande estilo, outro vinhedo de reconhecimento da família Leroy, o de Richebourg aparece como o nosso último colocado, o que neste caso, ainda assim é um motivo de grande privilégio considerado o contexto de nossa matéria.

    Com certeza os segredos cultivados pelos Leroys foram imprescindíveis para criar vinhos extremamente saborosos e bem avaliados no mercado. Neste caso em específico cada garrafa chega a custar R$12.389,50

    https://www.wine-searcher.com/find/domaine+leroy+richebourg+grand+cru

    Chegando ao fim é possível entender o porquê tais exemplares merecem tanto valor atualmente. Não se tratam de simples produções, cada uma delas possuem particularidades, segredos de família, paciência, cuidado constante e uma forma completamente artesanal de produção.

    Neste caso, o valor agregado passa a ser superior ao de simples uvas colhidas e tratadas, mas a história e cada detalhe passa a ser valorizado tornando estes vinhos dignos da posição ocupada

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!
  • Vale da Pedra 2017 2018 SYRAH
    vinhos

    Nossa Seleção dos 10 Melhores Vinhos Brasileiros que Você Precisa Conhecer e Tomar em 2021

    No celular gire a tela para ver a tabela completa

    PosiçãoVinhoPreçoOnde Comprar
    1Vista Do Chá Syrah
    Guaspari 2015
    R$165,00 a 178,00Ver
    2Don Guerino Pinot
    Noir 2020
    R$68,00 a 75,00Ver
    3Vista Da Serra Syrah
    Guaspari 2015
    R$180,00 a 220,00Ver
    4Valmarino Churchill
    Cabernet Franc
    R$250,00 a 280,00Ver
    5Tempos de Góes – Sauvignon Blanc – Reserva 2019R$70,00 a 75,00Ver
    6Terrroir Merlot – Casa
    Valduga 2015
    R$81,00 a 84,00Ver
    7Vale da Pedra Syrah
    2018 Gaspari
    R$110,00 a 130,00Ver
    8Villagio Grando
    Merlot 2014
    R$105,00 a 109,00Ver
    9Lidio Carraro Agnus
    Merlot 2018
    R$75,00 a 80,00Ver
    10Casa Galiotto
    Tannat 2018
    R$42,00 a 45,00Ver

    Veja os mais baratos, com ótimo custo benefício, suas marcas, tipo de uvas, suaves, secos, doces, espumantes, rose, tinto, branco e os considerado finos

    Um bom vinho é um excelente companheiro para as mais diversas situações e momentos, não é mesmo? Tanto para assistir aquele filme, como para animar uma roda de conversa entre amigos o vinho sempre cai bem.

    Porém, vamos sair do clichê de falar dos aclamados vinhos europeus e lançar um olhar de descoberta sobre os nossos vinhos? Afinal, sempre é tempo de descobrir novidades!

    Selecionamos aqui alguns exemplos, mas a lista pode ser bem maior se você adicionar os seus preferidos. Permita-se descobrir novos sabores!

    1 – VISTA DO CHÁ SYRAH GUASPARI 2015

    https://www.vinhotecaonline.com.br/vinho-guaspari-vista-da-serra-syrah-750-ml

    Proveniente da cidade de Espírito Santo dos Pinhais (SP), esse vinho impressiona logo à primeira vista pela sua cor rubi brilhante. Produzido 100% com uvas Syrah, permaneceu 24 meses em barricas de carvalho francês. Logo no primeiro momento prevalecem notas de madeira no sabor. Mas em seguida emergem na taça as variadas especiarias e flores, que promovem um paladar cativante e persistente. Seus valores variam entre 165 a 178 reais.

    2- DON GUERINO PINOT NOIR 2020

    https://vinhedosdobrasil.com.br/produto/don-guerino-reserva-pinot-noir-2020/

    Produzido em Alto Feliz (RS), esse é um vinho fino. Custa entre 68 e 75 reais. Possui o corpo leve e aroma com presenças marcantes de café, frutas vermelhas, baunilha e tabaco numa inusitada combinação. O paladar agradável e persistente reforçam a aprovação dessa escolha.

    3- VISTA DA SERRA SYRAH GUASPARI 2015

    https://www.vinhotecaonline.com.br/vinho-guaspari-vista-da-serra-syrah-750-ml

    Um dos melhores vinhos da vinícola Guaspari até o momento presente. Possui cor forte e aroma profundo, onde há em profusão notas de amora, mirtilo, café, cacau, pimenta preta e eucalipto. Essa combinação por si só já é atraente. Vinho encorpado e equilibrado. Seu valor gira em torno de 180 a 220 reais.

    4- VALMARINO CHURCHILL CABERNET FRANC

    https://vinhosmundi.com.br/vinho-valmarino-cabernet-franc-churchill

    Com valor entre 250 a 280 reais, é produzido na cidade de Bento Gonçalves (RS) por uma família de origem italiana, esse vinho tem a coloração rubi violácea e aromas com tons requintados de chocolate, pimenta preta, café e tostado de madeira. Envelhecido em barricas de carvalho por 12 meses, ele vinho adquire um paladar aveludado, macio e envolvente. Soberbo!

    5- TEMPOS DE GÓES – SAUVIGNON BLANC – RESERVA 2019

    https://loja.vinicolagoes.com.br/produtos/vinho-branco-tempos-de-goes-sauvignon-blanc-reserva-2019-750ml/

    De 70 a 75 reais este vinho branco, fino e seco, proveniente de São Roque, a leste de São Paulo. Naturalmente fresco e frutado, esse vinho faz harmonizações complexas e difíceis à mesa, pois acompanha desde salada à carne de poro, passando pelos frutos do mar. Uma ótima pedida.

    6- TERROIR MERLOT – CASA VALDUGA 2015

    https://loja.famigliavalduga.com.br/terroir-merlot/p?gclid=CjwKCAiA65iBBhB-EiwAW253W-rec-ioN55Hb9sh7SaWTAOdijAIHYmeoci-FvFCfiqbnU8mAOchShoCCh4QAvD_BwE

    Com valores próximos de R$ 81,00 a 84,00, este é produzido com uvas 100% Merlot, é um vinho originário da região do Vale dos Vinhedos que passou 8 meses em barricas de carvalho francês. Possui notas amadeiradas, com tons de fruta madura.

    7- VALE DA PEDRA SYRAH 2018 Gaspari

    https://www.vinomundi.com.br/guaspari-vale-da-pedra

    De brilhante cor vermelho rubi, apresenta aromas de frutas vermelhas, especiarias e café. Um Syrah de alta qualidade com uvas provenientes de quatro diferentes vinhedos de uma altitude de 1170 m. Tem o paladar denso e profundo e é marcante. Seu preço costuma variar entre de 110 a 130 reais.

    8- VILLAGIO GRANDO MERLOT 2014

    https://www.carrefour.com.br/villaggio-grando-merlot-2014-MP24302972/p

    Um vinho com toque da França, pois a Vinícola Villaggio Grando vinifica e produz vinhos inspirados no Velho Mundo, ou seja: delicados, leves e fortemente perfumados. Presente no paladar todo um leque de frutas vermelhas, é delicado e suave. Seu valor é de aproximadamente R$105,00 a 109,00.

    9- LIDIO CARRARO AGNUS MERLOT 2018

    https://www.baccos.com.br/vinho-lidio-carraro-agnus-merlot-2018-tinto-brasil-750ml.html?gclid=CjwKCAiA65iBBhB-EiwAW253W3JOIIe8pVR92vFFiXIogiqgTC3zen3AjR84BY-lMJ4f32DmMOP-mxoCYekQAvD_BwE

    Com valores entre 75 a 80 reais e proveniente da região Encruzilhada do Sul, no Sudeste brasileiro, esse é um Merlot intenso, tanto no sabor quanto na cor brilhante. É frutado, bem equilibrado e volumoso. Esse vinho não apresenta filtração, conservando assim suas características íntegras.

    10- CASA GALIOTTO TANNAT 2018

    https://br.jackvartanian.com/casa-galiotto-tannat-2018/p

    Com valores entre R$42,00 a 45,00 e presença de frutas negras como jabuticabas e violetas, com notas defumadas de madeira, é seco e tem muito frescor. Proveniente da Serra Gaúcha (RS), é excelente acompanhante para churrasco e carnes mais gordurosas.

    Selecionamos aqui vinhos para todos os gostos e bolsos, esperamos que você encontre o seu favorito no meio desses. Para testar e se apaixonar, é só começar, só não vale ficar na vontade.

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!