vinhos

Como Ocorrem os Sabores de Frutas Cítrica no Vinho Branco?

suave-para-cozinhar-bom-e-barato-seco-citrico-doce-tipos-de

Não sei por aí, mas sempre que pensamos em vinho, por mais que ele seja mais que bem-vindo em qualquer situação ou época do ano, o relacionamos como um parceiro perfeito para um clima mais ameno, dias mais frios. Mas é claro que isso não é regra.

Por outro lado, os vinhos brancos são vistos mais como uma bebida de verão, principalmente porque são mais leves e devem ser servidos gelados. Um grande exemplo de rótulo são aqueles cítricos, você já ouviu falar?

O que é o vinho branco cítrico?

Quando se fala em vinho branco cítrico podemos citar dois exemplares: aqueles que, como o próprio nome dá a entender, são feitos com frutas cítricas ou com uvas brancas com notas cítricas no paladar.

No caso da primeira opção, sua confecção geralmente leva frutas como:

  • Toranja;
  • Laranja;
  • Tangerina;
  • Limão;
  • Lima.

Já o segundo é feito com uvas mas com boas notas de acidez, com tom floral, como limão em um Alberinõ, ou a toranja em um Sauvignon Blanc ou um Gewürztraminer.

Aliás, uma curiosidade sobre essa bebida é que acredita-se que ele seja o vinho dos Deuses, pois em algumas pinturas existentes de minotauros onde estes estão celebrando a noite com Dionísio, Deus grego do vinho, eles estão cercados por árvores cítricas.

Obviamente que por conta disso crê-se que o primeiro povo a provar esse tipo de vinho foram os gregos, mas atualmente esse rótulo está mais relacionado a França e a Califórnia.

Por que encontramos notas cítricas no vinho branco e não no vinho tinto?

Por uma questão de sabor e até parar tornar a bebida mais fácil de vender. Quando pensamos em vinho tinto imaginamos algo mais doce, com uma boa acidez e um sabor bem presente da uva. No branco, já é mais aceitável que ele seja fresco, ácido, tenha notas minerais e florais.

Mas o sabor cítrico também tem a ver com o processo de colheita. As uvas que são usadas para fazer vinhos brancos citrus são colhidas mais cedo, ajudando na criação da acidez, inclusive, enquanto as utilizadas em vinhos tintos são colhidas mais tarde, proporcionando uma fruta mais doce.

Qual a influência da mineralidade e acidez do solo na condição cítrica do vinho?

Outro ponto muito importante para a criação desse sabor é o Terroir, ou seja, o solo onde as videiras foram cultivadas. Em uma terra onde o volume de mineral e rochas é grande, o resultado será uma fruta mais cítrica e ácida.

Para os mais doces e que têm notas de tangerina e toranja, o processo muda um pouco. Consegue-se este resultado colhendo a fruta mais tarde – e tendo assim uma uva mais doce – ou plantando a fruta em uma região bem ensolarada.

Altitude também influencia em algo?

Sem dúvida nenhuma, se a condição do solo for esta que citei logo acima, um lugar rochoso e com uma terra cheia de minerais e o local ainda estiver em uma região alta, a probabilidade de se conseguir um vinho branco cítrico é de praticamente 100%.

Qual a relação entre amadurecimento do vinhedo e acidez da uva?

A relação é que quanto mais você deixar a uva amadurecer nas vinhas, mais doce e menos ácido será o vinho. Esse processo normalmente é usado para os tintos.

Quando o inverso acontece, ou seja, quando se deixa a uva amadurecer por menos tempo, a porcentagem de acidez é maior.

A diferença entre os dois está nos aminoácidos, no primeiro caso ele foi totalmente decomposto, e por isso o resultado é uma bebida mais doce, enquanto no segundo caso, podemos dizer que esse processo é interrompido ao meio.

Uma versão que está bem no meio desse processo, 50/50, é o vinho branco de maçã verde.

Quais são as variedades de sabores cítricos em uvas na fabricação de vinho branco?

Chardonnay

Podemos dizer que essa é “A” uva quando falamos em vinhos brancos, inclusive cítricos, tanto que ela é chamada de rainha das uvas brancas pelos especialistas. De origem francesa, é uma fruta de altíssima qualidade, tanto no sabor quanto no aroma.

Bebidas feitas com elas costumam ser bem aromáticas, com toques de frutas cítricas ou de noz moscada e baunilha quando o rótulo passa por envelhecimento em barricas de carvalho. É comum que neste caso o vinho ganhe uma coloração dourada.

Gewürztraminer

A uva Gewürztraminer também é uma fruta para a fabricação de vinhos brancos com sabor cítrico. Ela é mais doce por passar mais tempo em processo de amadurecimento, o que acaba tornando-a uma bebida perfeita para acompanhar sobremesas, pois tem notas florais.

A presença de notas de flores nessa uva é possível graças ao citronelol, uma substância que é encontrada em altas doses na Gewürztraminer. Aliás, o limão também conta com esse elemento.

E é justamente essa combinação perfeita entre o doce e o ácido fresco da uva que torna este vinho não só um dos mais leves, mas também o seu companheiro perfeito para acompanhar um prato de queijos azuis mais fortes.

Riesling

Mesmo sendo a mais famosa na Alemanha, a Riesling na verdade é originária de todas as partes da Europa Central, incluindo até áreas de outros países.

Essa uva produz um vinho mais frutado e com toques de petroláceos, que inclusive é a característica mais marcante e única dessa varietal.

Os rótulos que levam essa uva em sua composição tem uma coloração clara. Ela também é usada nos espumantes.

Sémillon

Outra de origem francesa, a uva Sémillon cria vinhos jovens, de consumo rápido e elegantes. A bebida dessa fruta costuma ser leve, com aroma frutado e de coloração clara. Ela também pode ser utilizada para a fabricação de espumantes.

Sauvignon Blanc

Sem dúvida nenhuma que o Sauvignon Blanc é outra estrela quando falamos de uvas utilizadas em vinhos brancos.

É uma fruta muito rica em compostos de metoxipirazina que, traduzindo para o português, é um item que não tem gosto de maduro. No vinho, isso quer dizer um líquido com bastante acidez e com notas florais de lima.

Além disso, é essa substância a responsável por dar aquele sabor leve e fresco tão comum aos vinhos brancos. Aliás, sabia que esta é uma excelente opção se você quer beber ainda estando de ressaca? Fica a dica!

Viognier

A Viognier é usada para criar ótimas varietais. Por outro lado, é uma uva de cultivo bem difícil, além de ter um rendimento baixo, ela só pode ser colhida quando estiver completamente madura. Caso contrário, ela acaba não desenvolvendo seus aromas e sabores característicos.

Chenin Blanc

Apesar de ser originária do Vale de Loire, na França, essa uva é cultivada em várias partes do mundo, como Estados Unidos, Nova Zelândia, Israel, Austrália, Uruguai, Argentina e no próprio Brasil.

Uma fruta versátil, ela tem o poder de apresentar diferentes características dependendo do Terroir. Por exemplo, em locais com climas quentes, ela se parece com uma Chardonnay, Torrontés ou mesmo um Viognier.

Já em locais mais frios, ela vai mais para o lado do Pinot Grigio, Sauvignon Blanc ou Alvarinho.

Pinot Gris

A Pinot Gris ou grigio é muito usada nos vinhos dos Estados Unidos. Ela resulta em uma bebida mais leve com aromas cítricos, como pera e lichia. É bem refrescante e deve ser servida sempre gelada.

Zinfandel branc

Apesar de ser usada com mais frequência para fazer vinhos tintos, não é uma uva branca, a Zinfandel também é utilizado para produzir o chamado White Zinfandel.

Para a produção desse rótulo, as cascas da fruta são retiradas rapidamente logo após elas serem esmagadas, isso é feito para evitar que esta fique muito em contato com o pigmento escuro da mesma. Por conta disso, o vinho fica com uma coloração rosé.

Moscatel

A Moscatel na verdade é uma família de uvas. Esse grupo conta com cerca de 150 variedades. Dentre elas, a mais nobre é a Muscat Blanc à Petits Grains. Ela normalmente é usada na produção de vinhos brancos doces.

A característica mais forte da Moscatel é o aroma intenso.

Qual é a regra de harmonização do vinho branco cítrico?

Seja para uma bebida feita com frutas ou notas cítricas, o segredo é combiná-las com comidas que levam também alguma fruta da família citrus.

Por exemplo, essa bebida vai muito bem com um frango cozido com laranja ou limão. O mesmo vale para saladas de frutos do mar. Claro que não é regra e você pode usar e abusar das experimentações.

Uma boa combinação é usar esse rótulo para acompanhar pratos picantes, isso porque o vinho branco cítrico tem a capacidade de cortar essa característica. O melhor de tudo é que mesmo amenizando isso, um não ofusca o outro, pelo contrário, eles se complementam.

O vinho branco, principalmente um Sauvignon Blanc, vai bem com o sabor mais espesso do polvo. Já um Alberinõ é o companheiro ideal para acompanhar aperitivos, como uma tábua de queijos.

Conclusão

Nunca tomou vinho Branco cítrico?

Bom, agora você pode e conhece bastante sobre o assunto.

Além das frutas que são usadas para produzir essa bebida, também indicamos a harmonização perfeita para esse rótulo.

Então você não tem mais desculpas para experimentar.

Referências:

https://www.thewinewiki.com/notes-and-flavors/what-is-citrus-wine/

https://www.winefrog.com/definition/1184/citrus

https://conchaytoro.com/en/blog/discovering-wine-aromas-citrus-notes/

https://www.internationalwinechallenge.com/Canopy-Articles/how-to-influence-citrus-notes-in-wine.html

Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!