para-seco-suave-acompanhar-de-camarão-caprese-que-combina-de-frango-seco-para-barato-cabernet-sauvignon-combina
Gastronomia

Aprenda a Fazer Ótimos 5 Risotos com Vinhos Brancos ou Tintos

Como surgiu o risoto?

A palavra significa “arrozinho” e nasceu no norte da Itália, precisamente na região da Lombardia.

Sua origem vem de longa data, do século XI para maior exatidão, quando os sarracenos – como eram chamados pelos cristãos, os árabes e muçulmanos dessa época – trouxeram para essa localidade o grão diferenciado que é utilizado no risoto.

Em 1574, nascia a receita original numa festa de casamento.

De acordo com historiadores, o prato surgiu de maneira acidental na festa que o artista Valerius de Flanders ofereceu à sua filha pelo seu casamento.

Flanders, um reconhecido artista responsável pelos vitrais da Catedral de Milão, era também bastante famoso na localidade por seus dotes culinários e deixou cair uma boa quantidade de açafrão na panela onde cozinhava o arroz.

Mesmo assim, esse arroz “acidental” foi servido e bastante elogiado após o evento. Boato, invencionice popular ou verdade, essa “história” carrega dentro dela mesmo várias outras mini versões, oficiais ou não.

E assim, cercado de lendas, surgiu o Risoto alla Milanese (risoto a milanesa)

O que é e como fazer um bom risoto?

Aparentemente um prato simples, onde o arroz é mantido constantemente hidratado até que chegue ao ponto “al dente”.

O risoto também é ricamente incrementado no quesito condimentos e especiarias como orégano, queijo parmesão, açafrão e funghi costumam estar presentes em suas receitas.

Esse é um prato que permite a criatividade em todas as etapas da sua elaboração.

O arroz indicado para a preparação do risoto é o arroz do tipo “arbóreo”, cujos grãos quando cozidos apresentam uma textura macia e cremosa. Essa característica faz com que seja um ingrediente de alta versatilidade, com infinitas possibilidades de combinação com vários outros ingredientes.

A cremosidade é um traço essencial do risoto e seu segredo está na liberação do amido no momento do cozimento: a amilopectina.

Para isso, é muito importante prestar atenção na rapidez dessa etapa do processo. Deve-se também servi-lo assim que fique pronto: esse é um outro ponto – chave para obter a peculiar pastosidade.

Como todo o processo é bastante rápido, é importante estar atento para evitar que o risoto queime. Para isso, deve-se mexer sempre. De preferência com uma colher de pau, para evitar que os grãos macios se quebrem.

Basicamente, a cebola é refogada no azeite ou na manteiga e, a seguir, despeja-se o arroz, mantendo assim por 2 ou 3 minutos.

Após isso, é o momento de adicionar um dos elementos básicos do risoto, o qual vai dar um toque todo especial à receita: caldo de carne, ave ou peixe, o qual pode ser industrializado ou preparado em casa.

As receitas aqui apresentadas têm ingredientes simples, como queijo parmesão, verduras, vinhos tinto ou branco, fruta seca, cubos de caldos de carne ou frango, além de, é claro, o indispensável arroz arbóreo.

São também receitas “Gluten Off”, rápidas e fáceis de preparar.

Para acompanhar, a bebida mundialmente recomendada pela maioria dos Chef é o vinho rosé.

1 – Risoto ao vinho tinto

INGREDIENTES:

  • 375 ml de um bom vinho tinto;
  • 400 g de arroz;
  • 250 ml de água;
  • 20 g de queijo parmesão ralado;
  • 1 cebola cortada em pequenos pedaços;
  • ¾ de xícara (chá) de manteiga;
  • Sal a gosto.

MODO DE PREPARO:

  • 1 – Refogar a cebola na metade da quantidade de manteiga, colocar o arroz e deixar fritar por 2 minutos.
  • 2 – Colocar o vinho e deixar cozinhar em fogo alto até que o mesmo tenha evaporado totalmente. Não mexer.
  • 3 – Acrescentar ao arroz a água, o sal, o parmesão e manter o cozimento em fogo brando. Caso seja necessário, pode-se adicionar mais água.
  • 4 – Desligar o fogo e manter a panela fechada por 5 minutos. Em seguida, acrescentar a manteiga restante, misturar bem e servir.

    2 – Risoto de tomate ao vinho tinto

    INGREDIENTES:

    • 3,5 colheres (sopa) de azeite;
    • 1,5 cebola cortada em pedaços;
    • meio quilo de arroz (arbóreo);
    • meio copo de um bom vinho tinto;
    • meio quilo de tomates sem pele;
    • 3,5 colheres (sopa) de manteiga;
    • 5 copos de caldo de carne;
    • 1 xícara de queijo parmesão ralado;
    • 1 xícara de queijo parmesão em fatias finas.

    MODO DE PREPARO

    • 1 – Frite uma cebola no azeite até dourar.
    • 2 – Junte o arroz e refogue por alguns minutos.
    • 3 – Adicione o vinho à panela e deixe cozinhar em fogo alto até que ele evapore.
    • 4 – Amasse delicadamente os tomates, deixando-os em grandes pedaços e junte ao arroz.
    • 5 – Pouco a pouco, vá adicionando o caldo fervente de carne e misture sem parar. Acrescente sempre mais caldo enquanto o arroz for secando.
    • 6 – No final do cozimento, retire do fogo, adicione a manteiga, o queijo ralado e o sal.

    Para um visual charmoso, coloque o risoto no centro de um prato e envolva-o com as fatias finas de queijo e pequenos ramos de ervas frescas.

    3 – Risoto de parmesão ao vinho branco

    INGREDIENTES:

    • 1 tablete de caldo sabor galinha;
    • 15 ml de azeite;
    • 3 colheres (sopa) de cebola cortadas em pedaços;
    • 4 colheres (sopa) de arroz próprio para risoto;
    • ¼ xícara (chá) de vinho branco do tipo seco;
    • 60 g de manteiga;
    • 1 colher (sopa) cheia de queijo parmesão ralado;
    • Sal e pimenta a gosto.

    MODO DE PREPARO:

    • 1 – Refogue até dourar a cebola em 1 colher (sopa) de azeite.
    • 2 – Adicione o arroz e deixe fritar por cerca de 3 minutos.
    • 3 – Junte o vinho branco e aguarde que o arroz absorva todo o líquido.
    • 4 – Dissolva o tablete do caldo de galinha em 600 ml de água, mantendo a fervura.
    • 5 – Coloque uma concha desse caldo na panela com o arroz e mexa bastante até que o líquido seja absorvido.
    • 6 – Vá repetindo o processo com todo o caldo.
    • 7 – Quando o arroz estiver “al dente”, desligue o fogo, adicione manteiga, queijo e tempero com pimenta e sal. Sirva logo em seguida.

    4 – Risoto com amêndoas ao vinho tinto

    INGREDIENTES:

    • 310 g de arroz próprio para risoto;
    • 1500 ml de água;
    • 1 tablete de caldo sabor galinha;
    • 20 ml de azeite;
    • 350 ml de um bom vinho tinto;
    • 20 g de manteiga;
    • 75 g de amêndoa triturada;
    • 230 g de queijo cremoso ou requeijão;
    • 1 cebola média cortada em pedaços pequenos;
    • 1 caule de salsão;
    • 1 cenoura de tamanho médio;
    • Sal e pimenta a gosto.

    MODO DE PREPARO:

    • 1 – Numa panela, despeje a água, o caldo de galinha, a cenoura e o salsão cortados em rodelas e deixe-os cozinhar por 15 a 20 minutos, em fogo médio, até que os legumes fiquem macios.
    • 2 – Em outra panela, refogue a cebola no azeite e junte o arroz.
    • 3 – Acrescente aos poucos a metade do vinho, o caldo com as verduras e vá misturando sem parar, até que o arroz absorva a parte líquida e fique cremoso.
    • 4 – Despeje na panela o restante do vinho, o queijo (ou requeijão) a manteiga e as amêndoas trituradas. Por fim, junte a pimenta e o sal equilibrando a seu gosto.

    5 – Risoto funghi com vinho tinto

    INGREDIENTES:

    • 300 g de arroz;
    • 40 g de funghi secchi;
    • 200 g de shimeji (ou um pacote);
    • 300 ml de vinho tinto do tipo seco;
    • 1 cebola (média) cortada em pequeninos pedaços;
    • 40 g de manteiga;
    • 1 xícara (chá) de queijo tipo parmesão, bem ralado;
    • Ramos de salsinha e cebolinha;
    • Sal e pimenta a gosto.

    MODO DE PREPARO:

    • 1 – Hidrate o funghi no vinho por cerca de 1 hora. Após esse período, escorra o funghi e reserve o vinho.
    • 2 – Numa panela, ferva 1 litro de água junto com a salsinha, a cebolinha, cebola, sal e pimenta.
    • 3 – Em outra panela, refogue a cebola na manteiga até dourar. Acrescente então o funghi e o shimeji.
    • 4 – Junte o arroz e continue refogando.
    • 5 – Adicione agora a essa panela o vinho que foi reservado da hidratação do funghi.
    • 6 – Aos poucos, vá colocando o restante do vinho. É importante não deixar o arroz secar.
    • 7 – Por fim, quando o arroz estiver “al dente”, coloque por cima pedaços de manteiga e queijo. Tampe a panela por 5 minutos e sirva em seguida.

    Muitos outros ingredientes podem ser tranquilamente adicionados a essas receitas sem que o gosto original seja prejudicado.

    Alguns exemplos são: tomate seco, presunto de parma cortado em pedaços, orégano, azeitonas, castanhas trituradas, damascos, etc.

    Desde que se mantenha a cremosidade do risoto, o céu é o limite para a sua criatividade.

    Vale lembrar que o risoto é um prato que cai bem em qualquer ocasião, seja um jantar romântico, seja um almoço agitado de família. Você simplesmente pode fazer as devidas adaptações nos ingredientes que compõem a receita.

    Também é um prato muito indicado para aquela visita que chega na última hora já avisando que vai ficar para o jantar.

    A grande vantagem em escolher essa opção é que você vai passar por Chef de Cozinha, mesmo que não tenha lá grandes habilidades culinárias. Então aproveite, pois os elogios serão para você.

    Mãos à obra e bom apetite!

    Referências:

    https://www.eatingwell.com/recipe/250205/basic-risotto/

    https://vinodelvida.com/wine-and-food/best-wine-with-risotto-pairings/

    https://www.allrecipes.com/recipe/85389/gourmet-mushroom-risotto/

    Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!