lambrusco-continente-dell’emilia-melhores-vinhos-rose-espumante-brut-e-doce-o-que-combina-com-rose
vinhos

Vinho Branco Frisante: O Que Precisa Conhecer Antes de Comprar

Para os amantes de vinho, o que não falta no mercado são opções dessa deliciosa bebida. Entre as diversas alternativas, hoje vamos falar do vinho branco frisante.

O que diferencia um ótimo vinho branco frisante dos demais?

A principal diferença entre o vinho branco frisante dos demais está na sua confecção. Ele surge já na primeira parte do processo de fermentação da uva e não tem a presença do vinho base. E é isso que dá a coloração da bebida.

É também por essa etapa única que ele conta com uma concentração de gás carbônico, uma característica comum desse primeiro processo. As bolhas, que surgem nesta fase, podem ser adquiridas de duas formas, naturalmente ou de maneira artificial.

Basicamente, isso quer dizer que ele é criado na pré-produção do espumante, mas conta apenas com metade do gás carbônico encontrado neste outro. O que resulta em um vinho mais leve, discreto e igualmente refrescante.

As uvas usadas nesse tipo de vinho são:

  • Chardonnay;
  • Sauvignon Blanc;
  • Riesling.

Abaixo, listamos as diferenças dos outros vinhos comparado com o frisante.

Comparando com o tinto

O vinho tinto é produzido por meio da fermentação do suco ou mosto, extraído de uvas pretas ou tintas. O primeiro passo é realizar a maceração – descanso – das cascas no mosto. É a partir deste processo que o vinho tinto ganha sua famosa coloração.

Essa maceração junto com o tipo de uva usada é que dá a cor e a intensidade do sabor da bebida.

Normalmente são usadas uvas do tipo:

  • Malbec;
  • Cabernet Sauvignon;
  • Merlot;
  • Pinot noir;
  • Tempranillo.

E na comparação com os rosé, o que muda?

O vinho rosé é conhecido por ter uma coloração mais puxada para o alaranjado até a púrpura, e esse tom também vai depender da uva usada em sua confecção.

Este pode ser produzido de duas formas: por meio de uma mistura muito cuidadosa entre vinho tinto e branco, ou por uma maceração leve das uvas pretas no mosto.

O resto do processo é basicamente o mesmo do tinto, a única diferença é no momento da maceração, que não pode ser muito longa, já que neste caso o objetivo é alcançar uma coloração clara.

As uvas mais comuns usadas no rosé são:

  • Cabernet Sauvignon;
  • Chardonnay;
  • Merlot;
  • Pinot Noir;
  • Grenache.

Diferenças entre Frisante e Espumante

Quanto ao espumante, a diferença entre ele e o frisante está na fase de fermentação.

O espumante passa por duas fases, a primeira é chamada de vinho base. Aqui, ele ainda não possui a quantidade ideal de gás carbônico, este só é alcançado na segunda fase.

Além das duas fases de fermentação, o espumante passa também por dois métodos de produção: o champenoise e o charmat.

No primeiro, a segunda fase da fermentação ocorre dentro da própria garrafa. Já no segundo, esse processo é feito em tanques de aço inoxidável.

Entre o frisante e o espumante, outro ponto que diferencia os dois é o teor alcoólico. Enquanto o primeiro tem apenas 7%, o segundo varia entre 9,5% e 10%.

Para este, são usadas uvas:

  • Chardonnay;
  • Pinot noir;
  • Moscatel;
  • Pinot Blanc.

Basicamente, além do teor alcoólico e da temperatura a que é servido, a principal diferença do frisante para outros vinhos é que ele passa por menos processos de produção.

Com que tipo de comida e acompanhamentos ele mais combina?

Além de ser um delicioso vinho, o frisante é muito fácil de harmonizar com vários tipos de comida, isso porque é uma bebida delicada. E essa facilidade permanece mesmo sendo uma versão doce ou seca.

Quem gosta de combinar vinhos com bebidas pela afinidade, então o ideal é fazer dele um acompanhante para comidas leves, ou seja, saladas, quiches e sobremesas.

Agora, se você prefere apostar no contraste entre o alimento e a acidez desse álcool, você pode apostar sem medo nas carnes assadas e peixes gordurosos. A bebida ajudar a limpar a gordura do seu paladar.

Ele também é perfeito para te acompanhar em um almoço com ceviche, camarão e outros frutos do mar. Para jantares, fica perfeito com pizza, por exemplo.

Além de castanhas, patês, queijos, embutidos e amêndoas.

Como ele tem um teor alcoólico bem baixo, apenas 7%, é aquela bebida ideal para você tomar durante o dia. O que quer dizer que ele não vai te atrapalhar caso você tenha que fazer alguma tarefa após o almoço, por exemplo.

Qual a diferença dele com o champagne?

Enquanto o frisante nasce de apenas uma fermentação da uva, o champanhe é um vinho fino e que tem uma das produções mais elaboradas e complicadas do mundo dos vinhos, com várias etapas.

Este vinho é fermentado naturalmente, e as uvas mais usadas são:

  • Chardonnay;
  • Pinot noir;
  • Pinot meunier.

Ele também precisa de cuidados específicos para ser consumido.

Um fato interessante sobre esta bebida é que o seu nome, Champagne, é o mesmo da região onde ele nasceu, um local que fica a 150 quilômetros de Paris. Aliás, ele só é produzido nesta região, o que quer dizer que rótulos de outros lugares não podem ser chamados de Champagne. Por isso ele é chamado de “o espumante original”.

Outro ponto bastante diferente é que a França desenvolveu um departamento só para checar os champagnes produzidos e seus produtores, garantindo a qualidade com um selo próprio para esta bebida. Se em alguma etapa for detectado problema ou alteração o champagne não recebe autorização de levar este nome.

Interessante, não?

Como servir?

Algo que devemos aprender quando começamos a apreciar vinhos é que não só o rótulo importa, a forma como você serve cada um deles é igualmente primordial para você poder aproveitar todas as qualidades da bebida escolhida.

No caso do frisante, o ideal é que você sirva ele numa taça menor, pois assim você evita perder o gás da bebida. Esse item também ajuda a conservar a temperatura do vinho, que deve ser baixa.

Uma boa opção é servir na taça de espumante, mas em menor quantidade.

E falando em temperatura, o ideal é servi-lo gelado – ao contrário do vinho tinto -, entre 6 e 8 graus celsius, o que ajuda a otimizar a sensação de frescor. Sendo assim, antes de servir no seu jantar ou almoço, não esqueça de colocar a garrafa na adega climatizada.

Os melhores vinhos brancos frisantes

Quando falamos de vinhos brancos de qualidade, sem dúvida nenhuma as melhores opções são aqueles denominados de Lambruscos, que são italianos.

Contudo, você consegue achar ótimas opções em outros países produtores de vinhos, como a França, Portugal, Alemanha e o próprio Brasil (sim, temos excelentes produtos nacionais, basta dar uma pesquisada que você vai se surpreender).

E aí, pronto para experimentar seu primeiro vinho branco frisante? Já garanta uma garrafa para apreciar no próximo dia de sol.

Referências:

https://winefolly.com/tips/sparkling-wine-explained-dry-to-sweet/

http://sparklingwinos.com/the-sparkling-wines-of-italy/

https://www.bostonmagazine.com/weddings/2015/09/25/difference-between-champagne-and-sparkling-wine/

Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!