depois-de-aberto-receitas-com-estragado-faz-mal-na-geladeira-estraga-salva-como- guardar-aberto-como-beber
vinhos

Como Fazer o uso Inteligente das Sobras de Vinho para Evitar o Desperdício?

Com certeza todo mundo já passou, pelo menos uma vez na vida, pela triste situação pós festa de ver que várias garrafas de vinhos que foram abertas estão pela metade, sem contar aquele restinho que sempre fica na taça de um ou outro.

Triste porque, teoricamente, é um desperdício e você vai ter que se livrar desses restos na pia de cozinha. Dá uma dor no coração só de pensar.

Brincadeiras à parte – nem tanto assim -, sabia que existem maneiras de você reaproveitar essas sobras do seu jantar sem o destino ser necessariamente o ralo?

Sim, você pode utilizar as sobras das taças e das garrafas para várias situações, sem ter que jogar fora aquela ótima safra só porque você não tomou todo o vinho em um mesmo dia.

Qual o prazo recomendado para consumir cada tipo de vinho?

Mas antes de falarmos o que você pode fazer com essas sobras, vamos primeiro saber por quanto tempo esses vinhos podem ser consumidos após terem sido abertos.

Assim que se abre uma garrafa de vinhos, ele entra em contato imediatamente com o oxigênio, o que faz com que suas características sensoriais sofram alterações, e na maioria das vezes, estas ocorrem em pouquíssimo tempo. Sendo assim, é preciso saber até quando é seguro consumir esses rótulos.

E esse tempo muda de acordo com o tipo de vinho!

Espumante

Após ser aberto, um espumante tem um tempo de vida que varia de um a dois dias, na geladeira. Mas isso só é possível se ele for vedado com uma tampa específica, pois assim ele não perde seu gás.

Além disso, você também precisa levar em consideração como aquele rótulo foi processado para saber seu tempo de vida. Aqueles que tiveram um método tradicional costumam durar mais do que aqueles que passaram pelo processo charmat.

Isso ocorre por conta das características aromáticas do vinho e também pela concentração de ácidos.

Os itens com aromas tostados, por exemplo, que são aqueles encontrados no método tradicional, são menos sensíveis do que o charmat, que detém cheiros florais e cítricos.

Branco

Aqui, é preciso levar em consideração que existem dois tipos de vinhos brancos: os encorpados e os leves.

Os encorpados, como Sémillon, Marsanne e Chardonnay, têm um tempo útil que varia entre dois e três dias na geladeira após aberto, com a sua tampa.

Estes rótulos duram menos que os leves, pois a maioria deles já passam por um tempo em barricas de carvalho, sendo expostos há mais tempo ao oxigênio.

Já os brancos leves podem ficar até três dias armazenados com sua tampa. Por serem mais ácidos, eles resistem mais tempo na geladeira. Contudo, lembre-se que a intensidade do aroma pode mudar. Infelizmente é um risco que se corre após a abertura da garrafa.

Rosé

A regra para os rosés é a mesma dos vinhos brancos: três dias na geladeira com sua tampa, correndo o risco de ocorrer alteração na intensidade dos aromas.

Tinto

Os tintos também são divididos em duas categorias e por isso o tempo muda entre eles: encorpados e leves.

Os encorpados, como Malbec, Cabernet Sauvignon e Tannat, duram de três a quatro dias após abertos. O seu tempo mais longo está diretamente ligado à quantidade de acidez presente nesses rótulos, assim como o nível de álcool e os taninos.

Isso quer dizer que quanto maior forem essas três características, mais tempo ele pode ser guardado após aberto.

Quanto aos leves (Pinot Noir, Gamay e Carménère sem carvalho), eles têm no máximo três dias de vida na geladeira. Estes duram menos que os encorpados justamente por terem menos taninos.

Fortificado

Por fim, temos os rótulos fortificados, entre eles: Madeira, Jerez e Porto. Dentre todos, eles são os que mais têm tempo de vida. Com sua tampa e na geladeira, eles podem durar de quinze a vinte dias. É bastante tempo!

Esse tempo de vida maior é possível graças a quantidade de açúcar nestes rótulos, além da adição de álcool vínico que eles possuem.

Quais são as principais características que resultam na extensão do tempo de vida de um vinho após aberto?

Sem dúvida que a característica que mais influencia no tempo de vida do vinho após sua abertura é o oxigênio.

Assim que a bebida entra em contato com esse elemento, ocorre o processo oxidativo. Quando este começa a acontecer, a bebida começa a sofre alterações em suas características.

É por culpa dele que o vinho fica com gosto ruim depois de passar alguns dias na geladeira.

Sendo assim, o oxigênio é o vilão e herói da história, pois ele interfere diretamente nas melhores características do vinho, ou seja, sabor e aroma.

Sem esquecer que ele também não é bem-vindo durante o processo de vinificação, principalmente nos rótulos de vinho branco e rosé, e por isso são evitados a todo custo.

Contudo, nem sempre o oxigênio é o “bad guy”. Nos tintos, por exemplo, ele ajuda no processo de fermentação por facilitar a transformação dos açúcares.

Vale lembrar que alguns vinhos quando abertos precisam fazer contato com o ar (oxigênio) para começarem a “soltar” o seu melhor sabor e aroma.

Outro fator que conta muito para a mudança do vinho é sua exposição à luz e a variação de temperatura, que altera o processo químico da bebida, o que inclui a oxidação.

Por isso ele deve ser sempre armazenado na geladeira com uma tampa específica, para evitar todas essas alterações o máximo possível.

O que fazer com o restante do vinho?

1. Vinagre caseiro

Sabia que você pode fazer um vinagre caseiro com as sobras de vinho? Além de não desperdiçar, você ainda consegue um ótimo tempero para suas saladas e para limpar legumes e verduras.

Para fazer essa receita, você vai precisar de:

  • Uma parte de vinagre de vinho tinto já pronto.
  • Três partes das sobras dos vinhos tintos – e outros tipos que você tem em casa.

Coloque essas medidas em um recipiente, preferencialmente de cerâmica ou louça, e tampe logo em seguida. Esses ingredientes vão descansar por cerca de quinze a trinta dias.

Depois de passado esse tempo, é só coar a misturar e colocar em algum pote para armazená-lo.

2. Temperar e cozinhar (risoto, ensopado, carnes, sobremesa)

Como você já deve saber, o uso do vinho na culinária é muito comum, o que quer dizer que você pode e deve usar as sobras para incrementar alguns pratos.

Uma das opções é fazer um ensopado, pois este reforça o sabor do prato. Para sopas cremosas ou caldos, prefira os vinhos brancos. Já os tintos caem muito bem com comidas à base de tomate ou carne.

E não precisa exagerar na quantidade, algumas colheres são mais do que o suficiente.

Uma outra alternativa de prato salgado são os risotos. Mas para este você vai usar somente vinhos brancos secos, que já é um ingrediente dessa refeição. A bebida é usada para dar ainda sabor mais a este alimento.

Por fim você pode reutilizar as garrafas abertas para fazer sobremesa, principalmente aquelas com frutas.

Para acompanhar, você pode preparar uma calda à base de vinho. Uma boa alternativa é cozinhar peras, morangos, maçãs e/ou pêssegos com açúcar e vinho, sempre em fogo baixo e por cerca de dez minutos. E pronto!

3. Congelar

Essa nem eu sabia e adorei a ideia: se você não pretende consumir as sobras tão cedo, congele o vinho.

Assim, quando quiser, você poderá usar essas sobras para fazer algum prato ou mesmo drinks. Uma ideia é fazer gelo com ele. Basta colocar saquinhos de plástico próprio para isso, ou mesmo na forminha e pronto. Bem legal essa alternativa!

4. Sangria

Mais uma sugestão para você fazer em casa com as garrafas abertas: sangria. É uma bebida gostosa e super refrescante que leva vinho – você pode usar vários tipos -, refrigerante de limão ou água com gás, e pedaços de fruta como laranja, maçã e morango.

Caso tenha, adicione também uma colher de licor de laranja. Aí é só colocar bastante gelo e está pronto. A bebida perfeita para você aproveitar nos dias quentes.

5. Vinho quente

Gosta de vinho quente? Ótimo, então suas dobras já tem um destino. Você vai precisar das sobras da bebida, açúcar, água, canela em pau e maçã em fatias. Pode ser tanto vermelha como verde.

Enquanto a sangria cai bem nos dias quentes, o vinho quente é perfeito para dar uma esquentada durante as estações de frio, como agora. E não precisa esperar festa junina para fazer não. Qualquer dia é dia.

6 – Consumir no dia seguinte

Ainda temos a opção mais óbvia de todas, que é consumir o vinho no dia seguinte. Claro que se forem muitas garrafas fica um pouco mais difícil, agora se for uma ou duas, é tranquilo.

E mesmo que sejam muitas, é sempre uma boa desculpa para reunir o pessoal de novo em casa para terminar as garrafas abertas. O que importa é não desperdiçar!

Conclusão

Ficou feliz em saber que o vinho pode ser salvo mesmo depois de aberto, não é mesmo? Deveria ser crime o desperdício dessa bebida dos Deuses, literalmente.

Aproveite os dias de folga ou final de semana para colocar as dicas em prática. Como dito, o que importa é que o vinho terá um destino muito melhor do que o ralo da pia.

Referências:

https://www.eatthis.com/leftover-red-wine-ideas/

https://greatist.com/eat/ways-use-leftover-wine#3

https://www.foodnetwork.ca/everyday-cooking/photos/15-delicious-ways-to-use-leftover-wine/

Se gostou, por favor nos ajude e compartilhe!